<
>

Roma é comprada por norte-americano por R$ 3,7 bilhões, e isso é só 17% de sua fortuna; conheça

Um consórcio liderado pelo empresário norte-americano Dan Friedkin assinou um acordo para a compra da Roma. De acordo com comunicado do clube, "a transação é esperada para ser fechada até o fim de agosto de 2020".

Segundo o jornal Financial Times, a operação custou 591 milhões de euros (R$ 3,745 bilhões na cotação atual). O valor equivale a cerca de 17% da fortuna de US$ 4,1 bilhões (R$ 21,95 bilhões), avaliada pela revista Forbes.

Ele é dono da Gulf States Toyota Distributors e figura na lista da Forbes como 590º mais rico do mundo. Além disso, tem uma relação com o cinema, sendo que o seu estúdio produziu o filme Todo o Dinheiro do Mundo, de 2017. Ele ainda dirigiu seu primeiro filme The Last Vermeer, que foi lançado em agosto de 2019.

No esporte, Friedkin tem um envolvimento com a NBA, uma vez que a Toyota dá o nome à arena do Houston Rockets.

A Roma já tinha confirmado em dezembro passado que teve conversas com o grupo de Friedkin. O Financial Times aponta que o negócio foi revisto nas últimas semanas depois de um acordo inicial em 750 milhões de euros.

Sempre de acordo com o veículo, James Pallotta rejeitou uma oferta de 575 milhões de euros em maio, antes de o clube anunciar o acerto nesta quinta-feira, que faz o Friedkin Group adquirir 86,6% do controle da Roma.

O clube italiano tinha mudado de dono pela última vez em 2012, quando ficou sob controle de investidores liderados por Pallotta, que virou o presidente.