<
>

Histórico no Real Madrid, Casillas anuncia aposentadoria do futebol; leia a carta de despedida

Campeão mundial em 2010, o goleiro Iker Casillas, 39, colocou um ponto final em sua carreira nos gramados nesta terça-feira (4). Após uma temporada sem jogar pelo Porto, ele declarou que chegou a hora de parar, mas prometeu que a “viagem não termina aqui”.

“Hoje, deixo para trás aquelas três traves que me viram crescer como goleiro, as que sempre me colocaram no meu lugar e me forçaram a manter os pés no chão, as três traves que devo tanto e que certamente sentirei falta. E lá também eu os deixarei, meus fiéis aliados, lá eu pendurarei as luvas", escreveu, em carta publicada em suas redes sociais (leia mais abaixo).

Casillas ficou muito marcado pelos 25 anos em que defendeu o Real Madrid, tendo chegado ao clube merengue aos 9 anos, fazendo parte da base e jogando uma temporada no Real B. Lá, venceu tudo que disputou. Não faltou nenhum título.

Foram 725 partidas oficiais durante as 16 temporadas como profissional no Santiago Bernabéu, com 19 títulos, entre os quais três edições da Champions League, três do Mundial de Clubes e cinco de LaLiga.

Muitos torcedores e especialistas apontam que ele foi o maior goleiro do Real. Durante o período em que defendeu o uniforme merengue, ele foi cinco vezes eleito o melhor do mundo na posição pela IFFHS.

Depois do Real, Casillas partiu para o Porto, em uma transferência sem custo por causa do fim do contrato, onde manteve a trajetória vitoriosa. Foram dois títulos da Liga de Portugal, um da Supercopa de Portugal e outro da Copa de Portugal.

Ao todo, entrou em campo 156 vezes pelo Porto, exceto na temporada que terminou no último fim de semana. Em maio do ano passado, ele sofreu um ataque cardíaco enquanto treinava. Foi o início da decisão de se aposentar.

Para completar os números do agora ex-goleiro, Casillas entrou em campo 167 vezes pela Espanha, tendo sido campeão da Copa do Mundo de 2018 e bicampeão da Eurocopa (2008 e 2012). Sem dúvida, se despede deixando marcas nobres no futebol.

Veja a carta de despedida de Casillas

"Olá a todos,

Hoje é um dos dias mais importantes e, ao mesmo tempo, mais difíceis da minha vida esportiva: chegou a hora de dizer adeus.

Minha jornada pelo mundo do futebol começou há 30 anos, foi uma longa jornada e, como toda jornada, teve momentos bons e menos bons, alegrias, mas também tristezas. Neste ponto da minha vida, e com perspectiva, posso dizer sem dúvida que valeu a pena.

Tive muita sorte de poder me dedicar profissionalmente ao que sou apaixonado, ao me preenche e me faz feliz: O FUTEBOL.

Lembro-me de quando era criança e comecei a jogar nos campos de terra da minha cidade, Navalacruz, nos campos de Móstoles ou na antiga cidade esportiva do Real Madrid, e depois comecei a jogar nos estádios mais importantes do mundo, e entre eles, principalmente, em que desenvolvi minha carreira profissional, o Santiago Bernabéu e o Do Dragao.

Ao olhar para trás, percebo como sou sortudo por tudo o que consegui, e não estou falando apenas dos títulos, mas do lado humano.

Hoje é um dia difícil, mas não um dia triste, considero-me sortudo por ter chegado tão longe, por como vim parar aqui, por ter conseguido tudo o que consegui, por tudo isso ... Estou feliz.

Não quero terminar sem agradecer a todos que me acompanharam nesta viagem:

À minha família, pelos sacrifícios que foram feitos para que eu pudesse chegar aonde vim e isso me permitiu realizar meus desejos. Vocês são parte de tudo que realizei ao longo da minha carreira.

À minha esposa, e aos meus filhos Martín e Lucas, obrigado por todo o apoio, por todas as horas que não pude passar ao seu lado nesta última parte da minha vida esportiva. Obrigado por me entender e por me incentivar a aproveitar essa vida que escolhi.

Sem dúvida ao seu lado, tudo é mais fácil.

Aos meus clubes: o Real Madrid, onde passei a vida inteira, eles me educaram, me viram e me fizeram crescer, passando para mim seus valores e, finalmente, me transformando no que eu sou.

Ao Porto, por me receber como sou eu, por me ensinar a ver as coisas de outro ângulo, por me dar a oportunidade de conhecer um clube e uma cidade pela qual me apaixonei e que sempre carregarei em meu coração. Você sempre fará parte de mim.

Aos presidentes dos clubes onde joguei, por me permitir alcançar todos os meus sonhos.

Para meus colegas de equipe, sem eles eu nunca teria conseguido nada. Uma equipe é a soma de todos e cada um de seus componentes, remando na mesma direção para alcançar um objetivo comum.

Aos meus treinadores, por confiarem em mim, me ouvirem e me ensinarem tudo.

Aos seletores das diferentes categorias da Seleção Espanhola por me chamarem para fazer parte da equipe do meu país e alcançar os maiores sucessos.

Aos seguidores das equipes pelas quais joguei, por me apoiar e me acompanhar, mas também por ter exigido o máximo de mim para obter a melhor versão de mim.

A todas as pessoas que trabalharam e trabalham nos clubes em que estive.

Aos meus rivais e seus fãs pelo respeito que sempre me transmitiram e pelo qual sempre senti por eles.

Aos meus amigos ao longo da vida, portanto, por durarem a vida inteira. Aos amigos que venho forçando ao longo de todos esses anos, obrigado por cruzar meu caminho.

Sou grato a todos que permaneceram absolutamente vitais em toda essa aventura.

Mas acima de tudo, agradeço ao futebol por me permitir fazer parte dele, por ser um esporte maravilhoso, por me permitir viver uma vida cheia de paixão e emoções, por me proporcionar momentos de felicidade, por me fazer crescer como atleta e como pessoa, por me dar a oportunidade de conhecer e compartilhar momentos com tantas pessoas incríveis. Em suma, obrigado.

O importante é o caminho que você percorre e as pessoas que o acompanham, não o destino que o leva, porque isso com trabalho e esforço vem sozinho e acho que posso dizer, sem hesitar, que esse foi o caminho e o destino dos sonhos.

Estou claro que não é um ponto final, a viagem não termina aqui. Isso continua e certamente nos encontraremos novamente em breve.

Hoje deixo para trás aquelas três traves que me viram crescer como goleiro, as que sempre me colocaram no meu lugar e me forçaram a manter os pés no chão, as três traves às quais devo tanto e que certamente sentirei falta.

E lá também eu os deixarei, meus fiéis aliados, lá eu pendurarei as luvas".