<
>

Caso Ronaldinho: Sem avanço, ele pode ser solto em agosto e já planeja futuro em Barcelona

Detido há quatro meses por entrar no Paraguai com documentos falsos, Ronaldinho Gaúcho e seu entorno trabalham com a possibilidade de conseguir a liberdade em agosto. Junto ao irmão Roberto Assis, o duas vezes melhor do mundo está em prisão domiciliar no Hotel Palmaroga em Assunção desde o dia 7 de abril.

A ESPN apurou que o Ministério Público paraguaio não conseguiu aprofundar a acusação contra Ronaldinho além da entrada no país com passaporte e RG adulterados. Assim, “90%” do caso com relação aos irmãos Assis “está fechado”, uma fonte disse à reportagem.

A Fiscalía teve estendido o prazo para apuração dos fatos de setembro até começo de novembro - são quase 20 pessoas sendo investigadas simultaneamente.

Os procuradores mantiveram os irmãos Assis sob custódia desde o início da investigação em março por causa do perigo de fuga, da falta de raízes no Paraguai e da gravidade do delito cometido.

Agora, o MP já admite esperar pelo pedido de saídas processuais por parte da defesa de Ronaldinho e Roberto, apurou a ESPN. Os irmãos Assis poderiam, por exemplo, admitir a culpa pelo crime, pagar uma multa e se apresentar a um juiz mensalmente por determinado período.

A acusação contra o pentacampeão do mundo é menos grave do que a enfrentada por Wilmondes Sousa Lira, empresário que intermediou a ida dos irmãos ao país e a entrega dos passaportes falsos: ele é investigado por associação ao crime organizado e produção de documentos oficiais adulterados.

Dalia López, empresária foragida desde o estouro do escândalo, é uma peça-chave para elucidar o caso que impactou até mesmo departamentos estatais. Foi ela quem fez o convite para Ronaldinho participar de eventos no Paraguai.

Planos para o futuro

Ronaldinho espera pacientemente há tempos receber a ordem que lhe permita sair do hotel onde cumpre prisão domiciliar. Assim a reportagem apurou com pessoas de sua máxima confiança.

Desde o primeiro dia em que foi detido no Paraguai, Ronaldinho e Roberto têm clara a estratégia a seguir: voarem a Porto Alegre para visitar a mãe e a irmã, encontrar o restante dos familiares e irem rapidamente à Europa para se instalar de maneira definitiva.

A ESPN apurou que o ex-Grêmio, PSG, Barcelona, Milan, Flamengo e Atlético-MG teve contato telefônico praticamente diário com pessoas de sua confiança, tanto no Brasil como na Espanha. Ele explicou suas sensações, e inclusive os amigos aproveitaram para levantar seu ânimo em uma ocasião na qual o ex-jogador mostrou sintomas de debilidade.

O local escolhido para Ronaldinho fixar a nova residência seria Castelldefels, a 20 quilômetros de Barcelona. Ali ficou bem instalado quando jogou no Barça entre 2003 e 2008, tem amigos que não o abusam, clima e praias similares às do Brasil e uma casa que se apaixonou desde o primeiro dia.

Ronaldinho sonha em voltar a sentir a liberdade da qual foi privada desde 6 de março, quando foi para a Agrupación Especializada, prisão de alta segurança em Assunção.