<
>

Presidente da Fifa, Gianni Infantino é alvo de processo criminal na Suíça

O promotor especial da Suíça, Stefan Keller, abriu um processo criminal contra o presidente da Fifa, Gianni Infantino, nesta quinta-feira, por causa de encontros com o ex-procurador geral Michael Lauber e o promotor do Cantão de Valais, Rinaldo Arnold.

Stefan Keller foi designado no final de junho como agente independente para investigar possíveis crimes cometidos pelo máximo dirigente do futebol mundial.

De acordo com o promotor especial, Infantino, Lauber e Arnold serão investigados por abuso de poder público, violação de segredo oficial, privilégio e incitação a esses fatos.

Os suspeitos nestes casos se beneficiam da presunção de inocência na Suíça até que os procedimentos legais acabem.

O procurador geral Michael Lauber pediu demissão na última sexta-feira apenas minutos depois de uma corte suíça aceitar alegações de que mentiu sobre um encontro com Infantino em junho de 2017 durante uma ampla investigação sobre corrupção no futebol, o Fifagate. Lauber já havia sido punido por má conduta em março passado.

Tanto o ex-procurador geral quanto o presidente da Fifa disseram que não se lembravam das conversas neste que fora o terceiro encontro entre ambos em um período de 15 meses.

"Baseado em experiência de vida, um caso de amnésia coletiva como esse é uma aberração", definiu a corte suíça.