<
>

De ex-auxiliar de Parreira e Joel até brasileiro! Quem são os técnicos há mais tempo em um mesmo clube

Os seis anos completos à frente do River Plate fazem de Marcelo Gallardo o treinador há mais tempo em um mesmo clube no futebol sul-americano. No entanto, nem a longa permanência no Monumental de Nuñez faz do ex-meio-campista um dos mais longevos de todo o mundo.

À frente de Gallardo, estão outros 18 treinadores com mais tempo de casa. A lista, que já chegou a ser dominada por Alex Ferguson e Arsene Wenger, ícones de Manchester United e Arsenal, é composta basicamente por nomes de países sem tanta tradição no futebol.

Existem exceções, é claro. A mais famosa delas está no Atlético de Madrid, em que Diego Simeone caminha para completar nove anos consecutivos. Outro nome conhecido da relação é Ricardo Ferretti, o brasileiro que comanda o Tigres desde julho de 2010.

Abaixo, o ESPN.com.br apresenta os técnicos mais longevos e seus feitos em cada clube:

STEPHEN BAXTER

Clube: Crusaders, da Irlanda do Norte, desde 14 de fevereiro de 2005

Foi jogador profissional por duas décadas, aposentou-se em 2005 e imediatamente assumiu a função de treinador, no mesmo ano. Soma seis títulos, entre eles três da liga local.

ANDRIS RIHERTS

Clube: FS Metta, da Letônia, desde 2 de maio de 2006

Foi jogador profissional dos 15 aos 23 anos e depois virou treinador. Desde 2013 divide o clube com a função de auxiliar da seleção. Foi campeão nacional em 2011.

GURBAN GURBANOV

Clube: Qarabag, do Azerbaijão, desde 1º de julho de 2008

Maior artilheiro da seleção, com 14 gols, aposentou-se em 2006. Dois anos depois, chegou ao clube, onde venceu seis ligas locais e quatro Copas. Desde 2017, é também o comandante da equipe nacional.

PETER VERMES

Clube: Kansas City, dos Estados Unidos, desde 4 de agosto de 2009

Treinador mais longevo da MLS, soma quatro títulos, mas nenhum da liga local. Antes de ser técnico, foi jogador, carreira que encerrou em 2002. Está no Hall da Fama do futebol americano há sete anos.

RICARDO FERRETTI

Clube: Tigres, do México, desde 1º de julho de 2010

O único brasileiro da relação já tinha passado pelo clube entre 2000 e 2006. Na atual passagem, de quase dez anos, são oito títulos, sendo quatro Aperturas e um Clausura. Chegou a dirigir a seleção mexicana interinamente.

BEN OLSEN

Clube: DC United, dos Estados Unidos, desde 5 de agosto de 2010

Jogou durante 11 anos no clube de Washington, onde se aposentou em 2009. Virou auxiliar e, no mesmo ano, assumiu o cargo de treinador. Segue à frente, apesar do aproveitamento de apenas 36% dos pontos ganhos.

VARDAN BICHAKHCHYAN

Clube: Shirak Gyumri, da Armênia, desde 1º de julho de 2007

Assim como outros colegas, atuou pelo clube, o seu último como profissional. Virou auxiliar em 2010 e, depois de quatro meses, foi promovido. Desde então, soma quatro títulos, entre eles uma liga local.

GARY HAMILTON

Clube: Glenavon, da Irlanda do Norte, edsde 15 de dezembro de 2011

Único da lista que segue em atividade. Tem 39 anos e, há nove, faz a função de jogador-treinador. Conquistou duas vezes a Copa da Irlanda, os primeiros títulos do clube desde 1997.

FRANCKY DURY ZULTE

Clube: Waregem, da Bélgica, desde 30 de dezembro de 2011

Trabalhou como diretor técnico e depois treinador da seleção sub-21 da Bélgica antes de assumir o clube na última semana de 2011. O máximo que conseguiu foram dois vices, um da liga e outro da copa local.

DIEGO SIMEONE

Clube: Atlético de Madrid, desde 1º de janeiro de 2012

Disparado o mais famoso da lista. O argentino mudou a história recente do Atlético. Com ele, o clube venceu duas vezes a Liga Europa, uma vez a LaLiga e outras quatro taças, além de ser vice-campeão da Champions League duas vezes (derrotado pelo Real Madrid em ambas).

RUZIQUL BERDIEV

Clube: Nasaf, do Usbequistão, desde 20 de novembro de 2012

Assumiu o clube há quase oito anos e conseguiu alguns feitos, entre eles a Copa do Usbequistão, em 2015, e a Supercopa do ano seguinte. Também foi vice-campeão da liga em 2017 e treinador interino da seleção.

PITSO MOSIMANE

Clube: Mamelodi Sundowns, da África do Sul, desde 2 de dezembro de 2012

Auxiliar de Carlos Alberto Parreira e Joel Santana na seleção sul-africana, assumiu o clube e conseguiu feitos históricos. Foi tetracampeão nacional, além de vencer a Liga dos Campeões da África em 2017.

DEREK McINNES

Clube: Aberdeen, da Escócia, desde 7 de abril de 2013

No clube que revelou Alex Ferguson, McInnes não tem o mesmo sucesso do lendário treinador, mas caminha para ter uma longevidade semelhante. Sob seu comando, o clube venceu o primeiro título após 18 anos.

SAMI TRABELSI

Clube: Al-Sailiya, da Tunísia, desde 6 de junho de 2013

Ex-zagueiro da seleção, entre 1994 e 2001, ele passou por outros clubes até chegar ao Al-Sailiya. Até hoje busca a primeira conquista na equipe, que dirige há exatos sete anos consecutivos.

STALE SOLBAKKEN

Clube: Copenhague, da Dinamarca, desde 21 de agosto de 2013

O norueguês foi jogador, aposentou-se em 2011 e passou por Colônia e Wolverhampton até chegar ao futebol da Dinamarca. Pelo clube, venceu seis títulos, sendo três Superligas, o campeonato local.

CHRIS HUGHES

Clube: Newtown, do País de Gales, desde 7 de novembro de 2013

Tem 31 anos e dirige o clube galês há tempos. Na primeira temporada, chegou a levar o Newtown aos playoffs da liga, mas não obteve o título. Ainda busca o primeiro caneco pela equipe.

DIEGO VÁSQUEZ

Clube: Motagua, de Honduras, desde 22 de novembro de 2013

Atuou 24 anos no futebol hondurenho, passando por diversas equipes. Após a aposentadoria, assumiu o Motagua em 2013 e não fez feio. Desde então, são cinco títulos da liga local, uma Supercopa e uma nomeação de técnico do ano da Concacaf.

SUSUMO WATANABE

Clube: Vegalta Sendai, do Japão, desde 10 de abril de 2014

Jogador da liga japonesa de 1996 a 2004, encerrou a carreira no Vegalta Sendai. No próprio clube, atuou como coordenador da base, auxiliar e treinador, quando assumiu para evitar o rebaixamento. Ainda busca o primeiro título.