<
>

Atlético-MG divulga carta aberta para explicar situação financeira e fala em 'evolução da dívida anterior'

play
Mauro Cezar: Balanço de 2019 do Galo assusta, será que o Atlético-MG vai 'cruzeirar'? (1:56)

Comentarista analisou divulgação da demonstração financeira do clube mineiro referente a 2019 (1:56)

O Atlético-MG divulgou nesta sexta-feira uma carta aberta a “conselheiros, torcedores, patrocinadores e público em geral” para falar a respeito da situação financeira do clube.

Os alvinegros não publicaram o balanço da última temporada, mas, de acordo com o jornalista Rodrigo Capelo, do “GloboEsporte.com”, especializado em negócios do esporte, a dívida atleticana corresponde a R$ 746 milhões, um aumento de quase R$ 100 milhões em um ano.

Dessa forma, o Galo teria a segunda maior dívida entre os grandes clubes do país, sendo superado apenas pelo Cruzeiro, com R$ 763 milhões.

"O endividamento líquido atual de R$ 656 Milhões nada mais é que a evolução da dívida anterior, corrigida pelas taxas de mercado e juros contratuais. Esses valores podem ser facilmente verificados na publicação de nossos demonstrativos", diz trecho do comunicado.

"Vale salientar que, se o clube, nos dois últimos anos, não tivesse que pagar compromissos anteriores com impactos significativos no balanço, teria conseguido amortizar a dívida que nosso balanço apresenta. Os valores, só em 2019, atingiram um montante de R$ 34 milhões, valor que nos impediu de amortizar nossa dívida bancária.”

O Atlético-MG também argumenta que o seu resultado, "apesar de deficitário, foi o segundo melhor dos últimos 16 anos, registrando um déficit de R$ 5,7 milhões".

Veja a carta na íntegra:

Gostaríamos de esclarecer que, quando esta diretoria assumiu o Clube, nossa dívida líquida era de R$ 538 milhões, valor este publicado no balanço auditado de 2017. Essa dívida corrigida em 31/12/2019, pelo CDI, atingiria um montante de R$ 630 milhões, ou seja, apenas com o efeito financeiro produzido pela correção monetária, sem considerarmos os juros contratuais.

Dessa forma, o endividamento líquido atual de R$ 656 Milhões nada mais é que a evolução da dívida anterior, corrigida pelas taxas de mercado e juros contratuais. Esses valores podem ser facilmente verificados na publicação de nossos demonstrativos.

Vale salientar que, se o Clube, nos dois últimos anos, não tivesse que pagar compromissos anteriores com impactos significativos no Balanço, teria conseguido amortizar a dívida que nosso balanço apresenta. Os valores, só em 2019, atingiram um montante de R$ 34 milhões, valor que nos impediu de amortizar nossa dívida bancária.

Resultado Financeiro - O Resultado do Clube, apesar de deficitário, foi o segundo melhor dos últimos 16 anos, registrando um déficit de R$ 5,7 milhões. É claro que o resultado não é satisfatório, entretanto, o impacto financeiro das mudanças que estão sendo implementadas não tem um reflexo imediato.

Algumas conclusões sobre o Mercado:

• Dos 17 clubes comparados, 6 melhoraram sua performance, sendo que o CAM foi um deles.

• Oito clubes dos 17 apresentaram resultados que variam de +6 a -6 milhões, ou seja, perto do ponto de equilíbrio, faixa em que se situa o CAM.

• Apenas quatro clubes apresentaram resultados positivos que variam de 22 a 63 milhões.

• Por outro lado, quatro clubes apresentaram resultados negativos que oscilaram de R$ -21 a R$ -394 milhões, sendo que, este último, fez que a média dos resultados dos últimos 10 anos fosse a pior da história em todo futebol brasileiro da Série A.

O trabalho publicado pela EY nesta data (Análise-Financeira-Geral-2019) apresenta um comparativo rico em informações dos principais clubes brasileiros e nos dá a correta visão de onde estamos e onde poderemos chegar. Uma visão técnica e isenta, sem nenhum viés político, que tem apenas o objetivo de informar e deixar claro para todos o posicionamento de cada clube no atual momento do futebol brasileiro.

O Atlético entende que a indústria do futebol está em processo constante de transformação e que, para poder continuar competitivo, deve buscar melhorar a governança e os processos de gestão.

Com a ajuda da Consultoria EY, o Atlético está em processo de estruturação de um planejamento estratégico de longo prazo, que possibilite alcançar resultados esportivos de forma equilibrada e sustentável.

Além da EY, o Clube Atlético Mineiro também contratou a consultoria Falconi, para suportar na estrutura organizacional, e a ICTS, em projeto de Riscos e Compliance.

O objetivo que vem sendo perseguido por esta gestão é ter um clube forte e organizado, para enfrentar os desafios do presente e do futuro.