<
>

Marquinhos Cipriano, do Shakhtar, passou quarentena longe da família e comemora volta do futebol na Ucrânia

play
Ex-Internacional, Taison prepara chimarrão e até convida seguidores para jogar videogame (0:35)

Atacante do Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, está aproveitando a quarentena - Instagram @taisonfreda7 (0:35)

Neste final de semana, o Campeonato Ucraniano irá voltar depois da paralisação por causa da pandemia que assola o planeta. Neste domingo, o líder Shakhtar enfrentar o Dínamo de Kiev, neste domingo, às 11h (de Brasília), no maior clássico do país.

Um dos brasileiros do elenco do Shakhtar, Marquinhos Cipriano, falou à ESPN sobre como foi passar a quarentena longe da família, que está no Brasil, a expectativa para voltar a jogar e a nova posição que tem atuado.

Considerado uma das grandes promessas do ataque na base do São Paulo, o jovem foi deslocado para a lateral-esquerda.

Veja a entrevista com Marquinhos:

Conte sobre o período na quarentena
Foi um período bem complicado e difícil. Minha família está toda no Brasil e tive que passar por essa fase sozinho aqui na Ucrânia. Ficar afastado daquilo que amamos é sempre muito ruim. A saudade do futebol e dos meus familiares foram grandes. Feliz por tudo isso ter passado e a gente já estar, pouco a pouco, voltando a normalidade.

O que fez para passar o tempo?
Muito videogame e NetFlix. Procurei manter também uma rotina de treinamentos nesse período para estar preparado quando o futebol retornasse.

Fale sobre a situação da Ucrânia?
O país não teve tantos casos e nem tantas mortes como em outros países. Nem se compara ao que vemos hoje em dia no Brasil. Acho que, muito em virtude disso, de estar sob controle, podemos retornar aos treinos coletivos e aos jogos.

Como fez para treinar?
Tivemos sempre todo o apoio e o acompanhamento do clube. Fiz trabalhos específicos e de manutenção no condomínio em que moro aqui na Ucrânia. Isso foi muito importante para que pudéssemos retornar bem e não “zerados”. Nos deu uma base boa para os treinamentos e certamente será importante para os jogos também.

Como vê a volta do futebol na Ucrânia?
Saudade enorme da bola, do futebol e do dia a dia do clube. A gente sempre brinca que jogador gosta, claro, da bola rolando, mas também é apegado ao dia a dia e as resenhas. Isso faz muita falta. Muito feliz em retornar a fazer o que eu amo.]

play
2:28

Empresário de Lugano revela bastidores de como o zagueiro negou o Sevilla: 'Demonstração de amor ao São Paulo'

História envolve o Real Madrid e o Mundial de Clubes de 2005

Vocês voltamem um clássico contra o Dínamo...
Voltar já tendo um jogo deste nível é prazeroso demais. Vamos conseguir matar a saudade do futebol em grande estilo. Disputar clássicos é sempre uma motivação a mais. Espero que a gente consiga um bom resultado para manter a distância para as outras equipes. Voltar vencendo é importante para manter a confiança lá em cima visando o restante da temporada.

Como tem sido para você jogar de lateral? Está adaptado à posição?
Venho me dedicando muito nos treinamentos e dia a dia para evoluir na posição de lateral-esquerdo. Não é totalmente nova para mim, pois já havia jogado nesta função nas categorias de base. Estou feliz e adaptado. Certeza que posso evoluir ainda mais.

play
0:35

Ex-Internacional, Taison prepara chimarrão e até convida seguidores para jogar videogame

Atacante do Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, está aproveitando a quarentena - Instagram @taisonfreda7

Como vocês estão no Campeonato?
Estamos bem e esperamos manter aquilo que víamos fazendo antes da parada. Expectativa e objetivos é de conseguir mais uma conquista.