<
>

Jornal diz que Napoli ficou irritado com vazamento de interesse por Everton 'Cebolinha', do Grêmio

De acordo com o jornal Gazzetta dello Sport, o vazamento da notícia do interesse do Napoli em Everton "Cebolinha", do Grêmio, deixou a equipe italiana muito irritada.

Segundo o jornal, o time celeste vinha tentando conduzir as tratativas de maneira discreta, já que sabe que sabe que há diversos clubes europeus interessados no atleta.

Com isso, os napolitanos temem um inflacionamento da negociação, e inclusive determinaram um preço máximo que podem pagar pelo jogador da seleção brasileira.

Para o veículo, o presidente do Napoli, Aurelio De Laurentiis, não subirá mais o que ofereceu: 27 milhões de euros (R$ 162,83 milhões).

"A notícia publicada na mídia brasileira deixou irritados os dirigentes napolitanos, que vinham seguindo nas tratativas de forma reservada, para evitar a abertura de possibilidades que pudessem aumentar o preço do jogador", escreveu.

"A oferta, no entanto, já foi enviada. Resta, agora, saber se o Grêmio irá aceitar. De todos os modos, De Laurentiis não tem intenção de aumentar essa cifra. E a dificuldade econômica que os clubes brasileiros atravessam deve inclusive acelerar a operação", complementou.

De acordo com Jorge Nicola, comentarista da ESPN Brasil, o "Imortal" diz que, até o momento, não recebeu qualquer proposta oficial por Everton.

As outras partes interessadas no negócio, que são as pessoas e/ou clubes que também possuem fatias dos direitos do "Cebolinha", porém, garantem que o interesse dos italianos é real.

Vale lembrar que o Imortal é dono de 50% do atleta, o que lhe daria 13,5 milhões de euros (R$ 81,41 milhões) na negociação.

Por esse valor, o presidente gremista, Romildo Bolzan Jr, tem pouco interesse em vender, já que quer chegar a algo próximo de 20 milhões de euros (R$ 120,61 milhões).

Ou seja: o martelo só deve ser batido se o Napoli subir a proposta para 40 milhões de euros, o que não deve acontecer, ou se os outros donos de direitos de Everton abrirem mão de seus percentuais em favor da equipe de Porto Alegre.

O atacante está fatiado da seguinte forma: Gilmar Veloz, seu ex-empresário, tem 30%; o Fortaleza, seu ex-clube, possui 10%; e o empresário Celso Rigo completa os 10% finais.

Nos bastidores, o Grêmio enxerga como solução mais fácil Rigo ceder seus 10%, e Veloz e Fortaleza também abrirem mão de parte de seus direitos.

As tratativas, porém, devem se arrastar pelos próximos dias.