<
>

Premier League: o ranking das 100 melhores contratações da história

play
Hazard à frente de Cristiano Ronaldo, Firmino fora do Top 50 e mais; as 100 melhores contratações da história da Premier League (1:44)

Bill Barnwell, da ESPN UK, montou a lista levando em conta produtividade e longevidade do jogador, seu legado no clube, desempenho em títulos e vitórias, quanto custou sua transferência e se o jogador foi vendido com lucro significativo (1:44)

De 1 a 100, chegou a hora de você conhecer as maiores contratações da história da Premier League.

Foram consideradas todas as transferências feitas por um time da liga desde que a primeira divisão moderna foi criada, em 1992, e classificadas verificando produtividade e longevidade do jogador, seu legado no clube, desempenho em títulos e vitórias, quanto custou sua transferência e se o jogador foi vendido com lucro significativo. Além disso, as seguintes regras se aplicam:

  1. O jogador foi extremamente produtivo durante seu tempo no clube? Ele foi considerado um dos melhores jogadores em sua posição na liga?

  2. Ele se tornou uma lenda de clube ou liga? Existe algo icônico que o leva a se destacar por uma assinatura semelhante em termos de talento ou sucesso?

  3. O jogador ganhou troféus? Foram considerados cada um dos títulos e taças conquistados durante seu tempo com a equipe, pesando mais conquistas da Champions League e da Premier League. Apenas para fins de análises de seus jogadores, o Liverpool foi considerado campeão da Premier League 2019/20.

  4. Ele foi uma pechincha? Dado o mercado de transferências da época, olharíamos para trás e consideraríamos sua taxa ridiculamente barata, considerando seu nível de produção?

  5. A equipe lucrou ao vendê-lo?

  6. O jogador passou muito tempo com o clube?

As duas últimas categorias empurram alguns jogadores atuais para baixo no ranking, o que é bom. Estrelas como Raheem Sterling e Virgil Van Dijk já causam impacto em um tempo relativamente curto com seus clubes e continuarão subindo no ranking à medida que continuem ganhando troféus e tendo mais longevidade. Isso está voltado para as últimas 28 temporadas, não para o futuro.

Finalmente, é preciso esclarecer quais jogadores não estão incluídos. Se você está com raiva por uma estrela notável não estar em algum lugar desta lista, lembre-se das seguintes regras:

  1. O jogador deve ter sido comprado enquanto o clube estava na Premier League. Em outras palavras, jogadores contratados antes da formação da Premier League (como Peter Schmeichel e Ian Wright) e jogadores contratados enquanto o clube estava em uma liga inferior (como Kevin Phillips e Jamie Vardy) não se qualificam.

  2. O jogador deve ter se estabelecido no futebol profissional antes de ingressar no clube. Obviamente, jogadores como Steven Gerrard, que vieram diretamente de suas próprias academias, não contam. Também não foram incluídos jogadores que foram contratados da base de outra equipe, o que excluiria a transferência de Cesc Fabregas para o Arsenal em 2003, já que ele não jogou uma partida de LaLiga pelo Barcelona.

  3. Nenhum empréstimo. Somente transferências permanentes contam. Se um jogador é inicialmente contratado por empréstimo e depois faz um contrato permanente, como Christophe Dugarry com o Birmingham, só foi considerado o que eles fizeram depois que a transferência total foi concluída.

  4. A equipe recebe crédito pelo que foi realizado enquanto você estava no clube sob essa transferência específica. O que acontece em outros lugares não importa. O Chelsea não recebe crédito pelo que Thibaut Courtois fez por empréstimo no Atlético de Madrid ou por Kevin De Bruyne florescer após ser vendido. E se um clube ressuscitou um jogador pela segunda vez, essas carreiras foram divididas em duas transferências separadas, para que os dois momentos de David Luiz no Chelsea sejam mantidos separados para os fins desta lista.


O TOP-10

10. Didier Drogba, atacante, do Olympique de Marselha para o Chelsea por 34,7 milhões de libras em 2004

Drogba foi um pouco tardio, já que o marfinense ainda era um atacante razoável na Ligue 1 até 2002-03, quando marcou 17 gols pelo Guingamp e seguiu somando 19 em 35 jogos pelo Olympique de Marselha. Drogba tinha 26 anos quando o Chelsea o contratou em julho de 2004, mais velho do que o normal para grandes atacantes. Fernando Torres, por exemplo, tinha 26 anos quando o Chelsea o contratou para sair do Liverpool, apenas para o clube descobrir que Torres já estava em declínio em sua carreira.

Em vez disso, Drogba floresceu em Londres. O Chelsea já havia tentado formar um ataque em torno de Hernán Crespo e Adrian Mutu, mas Mutu foi dispensado após testar positivo para cocaína, enquanto o argentino saiu por empréstimo. Drogba ajudou a liderar o clube nos títulos consecutivos da Premier League e marcou o gol do título na Copa da Liga. Sua melhor temporada foi aos 31 anos em 2009-10, quando marcou 37 gols somando todas as competições. Dois anos depois, com o clube tendo dificuldades na liga, ele marcou o gol do título da Copa da Inglaterra e empatou a final da Champions League contra o Bayern aos 43 minutos do segundo tempo. O mesmo Drogba foi quem cobrou o pênalti decisivo para dar ao Chelsea o título europeu. Foi a última partida do marfinense pelo clube antes que o clube o trouxesse de volta pela segunda vez anos depois.


9. Roy Keane, volante, do Nottingham Forest para o Manchester United por 7,7 milhões de libras em 1993

Incompreensível é a primeira palavra que me vem à mente quando penso em Keane, que se manifestou de maneiras destrutivas e valiosas. A maioria dos meio-campistas não iria à rede de televisão interna do clube para bater nos jogadores mais jovens do clube. A maioria não deixaria sua seleção na véspera da Copa do Mundo porque as instalações não estavam à altura do padrão. A maioria não chamaria seus próprios torcedores de "brigada de sanduíches de camarão". Quase ninguém esperaria três anos para tentar ferir Alf-Inge Haaland.

Deixando de lado esse ataque e outros incidentes desagradáveis, Keane foi a âncora perfeita para o meio-campo mais lendário da história da Premier League. O irlandês sempre será lembrado por sua tenacidade, mas ele era um jogador mais criativo e ofensivamente capaz do que as memórias podem sugerir. O United não precisava de Keane para atuar como camisa 10, com Paul Scholes, Ryan Giggs e David Beckham ao seu lado, mas ele era bastante capaz de desempenhar a função de volante. Com Keane, o United venceu todos os troféus imagináveis, embora ele tenha sido forçado a ficar de fora da final da Champions League depois de receber uma suspensão contra a Juventus na semifinal. O United não chegaria lá sem Keane.


8. Cristiano Ronaldo, atacante, do Sporting de Lisboa para o Manchester United por 17,1 milhões de libras em 2003

Ronaldo? Oitavo? O United obteve um lucro de quase 70 milhões de libras quando vendeu o ícone português para o Real Madrid em 2009, e CR7 ganhou tudo menos a Copa da Liga durante seu tempo em Old Trafford. Mas vale lembrar que Ronaldo mudou drasticamente ao longo de sua carreira. O que vimos nos últimos 10 anos com Real e Juventus não foi o Ronaldo que vimos nas três primeiras temporadas no United, quando ele era mais um ponta do que um atacante.

Essa versão de Ronaldo realmente passou apenas três anos no United. Essas temporadas foram ótimas - ele foi o melhor jogador da Premier League - mas é realista notar que ele não teve tanta influência no início de sua carreira no United. Como resultado, com as margens tão finas aqui no top 10, tenho que colocar outros jogadores à frente dele.


7. Wayne Rooney, atacante, Manchester United contratado do Everton por 33.3 milhões de libras em 2004

É justo sugerir que Rooney foi parcialmente vítima de expectativas irreais? Ele se tornou maior de idade pouco antes das redes sociais, naqueles últimos momentos em que um jogador com seu potencial teria sido alvo de exageros diários. Rooney ainda era um pouco misterioso quando marcou um gol contra o Arsenal aos 16 anos de idade, e quando ele era o jogador mais importante da Inglaterra na Euro 2004, aos 18 anos, as expectativas eram de que Rooney seria um dos maiores jogadores de sua época.

Não tenho certeza se Rooney atingiu essas alturas, mas ele era muito bom! Rooney é o maior artilheiro de todos os tempos da seleção da Inglaterra e é o segundo maior da Premier League, atrás de Alan Shearer. Durante sua passagem pelo United, Rooney ganhou todos os troféus possíveis que ele poderia ter. Ele nunca seria o jogador mais esteticamente atraente, e o United o empregou mais em um papel de apoio às vezes, mas Rooney ainda tem um dos gols mais bonitos da era Premier League: aquela bicicleta no dérbi de Manchester. E, no entanto, de alguma forma, eu ainda acho que a maioria dos torcedores do United tem mais boas lembranças do próximo...


6. Eric Cantona, atacante, do Leeds United para o Manchester United por 1,6 milhão de libras em 1992

A contratação mais difícil de colocar nesta lista é Cantona, que poderia estar em qualquer lugar entre os 25 melhores. Os números de Cantona não são impressionantes, pois ele marcou 64 gols em 143 jogos na liga com o United e sete vezes em 21 partidas internacionais. Ele era brilhante com a bola nos pés, é claro, mas mesmo contemporâneos como Bergkamp ou Matt Le Tissier, considerados gênios criativos, não são mantidos nos mesmos tons abafados de Cantona. Certamente, Cantona merece algumas críticas por agredir um torcedor – e ficar oito meses longe dos gramados.

O legado de Cantona, além da gola, do outdoor e das citações, era que ele ganhava o tempo todo. Cantona chegou à Inglaterra e venceu a edição final da antiga primeira divisão com o Leeds. Depois de se transferir no meio da primeira temporada da Premier League, ele levou o United ao título. O time venceu o campeonato em três das quatro temporadas restantes do francês com o clube, com a única exceção ocorrida durante a meia temporada que Cantona ficou suspenso. Ele então se aposentou no auge de seus poderes, sem a idade impactar a mitologia que ele havia formado através desse sucesso. Ele é um dos atletas mais exclusivos de todos os esportes do último meio século.


5. Eden Hazard, meia, do Lille para o Chelsea por 31,5 milhões de libras em 2012

Enquanto o Chelsea passou por técnico após técnico e tática após tática nas últimas sete temporadas, uma coisa quase sempre uma constante: Hazard era o centro criativo do time. Tirando a ruim temporada de 2015-16, Hazard foi indiscutivelmente o jogador mais produtivo da liga durante seu tempo em Londres. Considere que, nos sete anos em que esteve no Chelsea, Hazard criou 519 chances de gol. Nas cinco grandes ligas europeias, Messi foi o jogador mais próximo de Hazard e criou apenas 453. Pense nisso. Hazard não venceu uma Champions League com o Chelsea, mas saiu de Stamford Bridge com dois títulos da Premier League, dois de Europa League, uma Copa Inglesa e uma Copa da Liga.


4. Sergio Aguero, atacante, do Atlético de Madrid para o Manchester City por 36 milhões de libras em 2011

O último jogador ativo no top-10, Aguero é provavelmente o atacante mais clínico da história da Premier League. O argentino marcou 180 gols em 261 jogos no campeonato em 19.182 minutos para o Manchester City. Entre jogadores com 100 partidas na Premier League ou mais, o Aguero tem os melhores gols por partida (0,69) e gols por 90 minutos (0,84) na história da liga. O City ficaria feliz com Aguero somente por seus gols, mas ele também melhorou pressionando como parte do time de Pep Guardiola. Ele também tem o gol mais dramático da história da Premier League – aquele contra o QPR. As médias de gol de Aguero cairão se ele jogar na Premier League aos trinta e poucos anos, como fez Shearer, mas com 16 gols em 22 jogos pelo City este ano, não parece que Kun está pisando nos freios ainda.


3. Patrick Vieira, volante, do Milan para o Arsenal por 4,8 milhões de libras em 1996

O Arsenal vendeu Vieira em 2005 e passou os últimos 15 anos sem sucesso tentando substituí-lo em sua equipe. É simples assim. Vieira foi contratado pouco antes da chegada de Arsene Wenger ao clube. Com apenas 20 anos e com uma temporada completa no time profissional no Cannes, Vieira entrou direto no time titular do Arsenal e não foi embora até que o clube o vendeu para a Juventus.

Com Wenger normalmente se concentrando em adicionar armas ofensivas, Vieira foi quem cobriu os quatro defensores que estavam ficando mais velhos e a defesa reconstruída que se seguiu. Mais do que Makelele ou Keane, Vieira tinha o vigor e a capacidade técnica de atacar e ameaçar defesas adversárias, hipnotizadas por Bergkamp e Henry. Vieira contribuiu com 29 gols e 35 assistências durante seu tempo na Premier League com os Gunners. Sobre a única reclamação que você pode ter é a propensão de Vieira por receber cartões vermelhos, já que ele tem oito e está empatado no recorde da liga. O Arsenal venceu o campeonato três vezes em nove temporadas com Vieira e não farejou mais um título desde então.


2. Frank Lampard, meia, do West Ham para o Chelsea por 14,4 milhões de libras em 2001

Acho que Lampard teve a carreira mais completa com seu novo clube do qualquer uma das transferências nesta lista. Não há buracos em seu currículo. Lampard passou 13 anos no Chelsea e venceu todas as competições que ele gostaria, incluindo a Champions League e a Liga Europa em temporadas consecutivas, mais três troféus da Premier League e Copas da Inglaterra. O único outro jogador a figurar no top 10 em gols e assistências é Rooney. O único jogador que passou mais tempo em campo na Premier League do que Lampard é Gareth Barry.

Lampard foi contratado antes do início da era Abramovich, mas junto com Drogba e John Terry, ele se tornou o coração e a alma das equipes do Chelsea daquela época. A única razão pela qual ele não é o número um é que seu pico não foi tão espetacular quanto o melhor jogador da nossa lista.


1. Thierry Henry, atacante, da Juventus para o Arsenal por 14,5 milhões de libras em 1999

Não há ninguém que se compare a Henry, que Arsene Wenger converteu de famoso na ponta da Juventus no atacante mais devastador da história da Premier League. Henry não marcou tanto quanto Shearer ou tão rapidamente quanto Aguero, mas ele era um jogador mais completo do que qualquer um. Henry é o único jogador na história da Premier League a registrar uma temporada de 20/20, acumulando 24 gols e 20 assistências para o Arsenal durante a temporada de 2002-03.

O francês venceu o prêmio de melhor jogador da Inglaterra em 2003-04 e foi o homem da partida no título da Copa da Inglaterra em 2003, mas aumentou seu nível ainda mais no ano seguinte. Henry foi o artilheiro da Europa, marcando 30 gols pelo Arsenal, que ficou invicto em sua melhor campanha da história. Ele foi nomeado o melhor jogador da Inglaterra novamente em 2005-06. A lenda do Arsenal esteve na equipe ideal da Inglaterra seis vezes em suas oito temporadas no clube, o que é incrível, pois o atacante perdeu metade da sua temporada final devido a lesões.

Claro, Henry parecia bem marcando esses gols. Não sei se alguém combinou a velocidade espetacular de Henry com sua capacidade de finalizar rotineiramente de fora da área. Henry teve um equilíbrio incrível e foi um jogador de primeira nas bolas paradas – em faltas e pênaltis. Ele é o melhor jogador da história do Arsenal e a melhor contratação nas 28 temporadas da Premier League.


Os brasileiros da lista

25 - Philippe Coutinho, meio-campista, da Inter de Milão para o Liverpool por 11,7 milhões de libras em 2013

O legado de Coutinho no Liverpool é fascinante. Um dos poucos jogadores a fazer a ponte entre Steven Gerrard / Luis Suárez e Mo Salah / Sadio Mané, Coutinho foi realmente o melhor entre as duas equipes - e o técnico Jurgen Klopp reconstruiu o time em sua imagem. Coutinho foi eleito pelos torcedores e por seus colegas jogadores como o Jogador da Temporada do Liverpool em 2014-15 e 2015-16, mas ele não conseguiu ganhar um único troféu durante seu tempo no clube, ficando aquém da final da Liga Europa.

Acho que provavelmente também olharemos para trás no ataque do Liverpool desta época como um Big Three com Firmino, Mané e Salah, em oposição aos Big Four que originalmente formaram com Coutinho. Enquanto Coutinho era uma força individual no momento em que o Liverpool precisava que ele fosse uma, a melhor coisa que ele já poderia ter feito pelo Liverpool foi forçar a saída para o Barcelona por 130,5 milhões de libras, o que ajudou o Liverpool a contratar Alisson e Virgil van Dijk.


29 - Fernandinho, meio-campista, do Shakhtar para o Manchester City por 36 milhões de libras em 2013

Pouco depois de chegar ao clube, Pep Guardiola disse que Fernandinho poderia jogar em 10 posições. Se o jogador de 34 anos fosse um pouco mais novo, City poderia realmente dar a ele a oportunidade de tentar. Em vez disso, depois de servir como um verdadeiro meio-campista central na Ucrânia, o brilhante brasileiro avançou cada vez mais em direção a seu próprio gol com o City. Embora Fernandinho seja claramente mais habilidoso com a bola nos pés do que jogadores como Makelele ou Kante e possa ter justificado um papel “box-to-box” no início de sua carreira, ele agora é um zagueiro e facilmente preferido por Guardiola a várias alternativas caras que o City tem.


36 - Juninho Paulista, meio-campista, do São Paulo para o Middlesbrough por 5 milhões de libras em 1995

Nove anos afastados na terceira divisão, o Middlesbrough esteve de alguma forma na Premier League e contratou o jogador brasileiro do ano. O Boro caracterizou Juninho como o jogador mais procurado do mundo quando o contrataram do São Paulo, e foi um golpe enorme para o recém-promovido clube. Em 1995, jogadores talentosos como Juninho Paulista deveriam ir para a Itália ou Espanha, ou um dos clubes de Londres. Certamente não deveriam ir a Teesside, onde o mascote do Boro comemorou curiosamente a chegada de Juninho vestindo um sombrero.

Tudo o que o brasileiro de 1,65m fez foi se tornar o jogador mais amado da história do clube. Juninho Paulista foi a força criativa de uma equipe do Boro que teve dificuldades na Premier, mas chegou às finais da Copa da Liga e da Copa da Inglaterra. O Middlesbrough perdeu as duas finais e, quando perdeu três pontos por não comparecer a uma partida após a maior parte de sua primeira equipe ter sofrido uma gripe, o Boro foi rebaixado. Provando que os ingleses adoram nada além de um bom choro depois de uma derrota brutal, Juninho seguiu a liderança de Paul Gascoigne e chorou em campo depois que o rebaixamento foi confirmado. Ele partiu para o Atlético de Madrid após a temporada, mas voltou mais duas vezes para o Middlesbrough.


41 - Diego Costa, atacante, do Atlético de Madrid para o Chelsea por 34,2 milhões de libras em 2014

As coisas raramente eram entediantes para Diego Costa durante suas três temporadas e meia em Stamford Bridge. Mesmo isso é exagerado, já que Antonio Conte congelou Costa - algo que o técnico transmitiu por meio de mensagem de texto - levando Costa a passar um tempo no Brasil antes de voltar para o Atleti por 54 milhões de libras. Em campo, Costa marcou 52 gols em 89 jogos, levou o Chelsea a dois títulos da liga em três anos e acabou com inúmeros inimigos com suas atitudes agressivas. Em uma liga moderna, onde muitas vezes reclamam da falta de personagens, Costa foi uma exceção. Ele caberia - e marcaria - em qualquer época do futebol inglês.


64 - Roberto Firmino, atacante, do Hoffenheim para o Liverpool por 36,9 milhões de libras em 2015

Se estivermos concedendo a Firmino uma medalha de campeão Premier League por seu trabalho com o Liverpool na temporada passada, a única coisa que o brasileiro precisa fazer para avançar nessa lista é ficar mais tempo por lá. Como um terço do que pode ser o ataque mais devastador da história da Premier League, ao lado de Sadio Mané e Mohamed Salah, Firmino marcou 10 gols em cada uma de suas primeiras quatro temporadas no Liverpool e estava no ritmo de chegar a cinco em cinco antes da liga ser suspensa este ano. Ele já está no debate sobre o melhor jogador brasileiro que já jogou na Premier League, e enquanto outros jogadores tiveram picos mais altos, Firmino parece estar melhorando.


O resto da lista

11 - Rio Ferdinand, defensor, do Leeds para o Manchester United por 41,4 milhões de libras em 2002

12 - Dennis Bergkamp, atacante, da Inter de Milão para o Arsenal por 10,1 milhões de libras em 1995

13 - David Silva, meio-campista, do Valencia para o Manchester City por 25,9 milhões de libras em 2010

14 - Alan Shearer, atacante, do Southampton para o Blackburn por 4,1 milhões de libras em 1992

15 - Vincent Kompany, defensor, do Hamburgo para o Manchester City por 7,7 milhões de libras em 2008

16 - Gareth Bale, atacante, do Southampton para o Tottenham por 13,2 milhões de libras em 2007

17 - Mo Salah, atacante, da Roma para o Liverpool por 37,8 milhões de libras em 2017

18 - Luis Suárez, atacante, do Ajax para o Liverpool por 23,9 milhões de libras em 2011

19 - Gianfranco Zola, atacante, do Parma para o Chelsea por 5,6 milhões de libras em 1997

20 - Virgil van Dijk, defensor, do Southampton para o Liverpool por 76,2 milhões de libras em 2018

21 - Nemanja Vidic, defensor, do Southampton para o Manchester United por 9,5 milhões de libras em 2006

22 - Michael Carrick, meio-campista, do Tottenham para o Manchester United por 24,5 milhões de libras em 2006

23 - Ruud van Nistelrooy, atacante, do PSV para o Manchester United por 25,7 milhões de libras em 2001

24 - Petr Cech, goleiro, do Rennes para o Chelsea por 11,7 milhões de libras em 2004

25 - Philippe Coutinho, meio-campista, da Inter de Milão para o Liverpool por 11,7 milhões de libras em 2013

26 - Alan Shearer, atacante, do Blackburn para o Newcastle por 18,9 milhões de libras em 1996

27 - Robert Pires, meio-campista, do Olimpique de Marselha para o Arsenal por 8,8 milhões de libras em 2000

28 - Pablo Zabaleta, lateral, do Espanyol para o Manchester City por 7,8 milhões de libras em 2008

29 - Fernandinho, meio-campista, do Shakhtar para o Manchester City por 36 milhões de libras em 2013

30 - Ashley Cole, lateral, do Arsenal para o Chelsea por 6,7 milhões de libras - mais William Gallas - em 2006

31 - Kevin de Bruyne, meio-campista, do Wolfsburg para o Manchester City por 68,4 milhões de libras em 2015

32 - Ole Gunnar Solskjaer, atacante, do Molde para o Manchester United por 2,3 milhões de libras em 1996

33 - Jay-Jay Okocha, meio-campista, do PSG para o Bolton de graça em 2002

34 - Andy Cole, atacante, do Newcastle para o Manchester United por 8,6 milhões de libras - mais Keith Gillespie - em 1995

35 - Yaya Toure, meio-campista, do Barcelona para o Manchester City por 27 milhões de libras em 2010

36 - Juninho Paulista, meio-campista, do São Paulo para o Middlesbrough por 5 milhões de libras em 1995

37 - Claude Makelele, meio-campista, do Real Madrid para o Chelsea por 18 milhões de libras em 2003

38 - Xabi Alonso, meio-campista, da Real Sociedad para o Liverpool por 14,4 milhões de libras em 2004

39 - Freddie Ljungberg, meio-campista, do Halmstad para o Arsenal por 4,1 milhões de libras em 1998

40 - Raheem Sterling, atacante, do Liverpool para o Manchester City por 57,3 milhões de libras em 2016

41 - Diego Costa, atacante, do Atlético de Madrid para o Chelsea por 34,2 milhões de libras em 2014

42 - N'Golo Kante, meio-campista, do Caen para o Leicester por 8,1 milhões de libras em 2015

43 - Robin van Persie, atacante, do Feyenoord para o Arsenal por 4,1 milhões de libras em 2004

44 - Sadio Mane, atacante, do Southampton para o Liverpool por 37,1 milhões de libras em 2016

45 - Lucas Radebe, defensor, do Kaizer Chiefs para o Leeds por 338 mil libras em 1994

46 - Luka Modric, meio-campista, do Dinamo Zagreb para o Tottenham por 18,9 milhões de libras em 2008

47 - Paolo Di Canio, atacante, do Sheffield Wednesday para o West Ham por 2 milhões de libras em 1998

48 - Teddy Sheringham, atacante, do Nottingham Forest para o Tottenham por 2,8 milhões de libras em 1992

49 - Wilfried Zaha, atacante, do Manchester United para o Crystal Palace por 3,4 milhões de libras em 2015

50 - Darren Anderton, meio-campista, do Portsmouth para o Tottenham por 2,4 milhões de libras em 1992

51 - Fernando Torres, atacante, do Atlético de Madrid para o Liverpool por 34,2 milhões de libras em 2007

52 - Edwin van der Sar, goleiro, do Fulham para o Manchester United por 3,6 milhões de libras em 2005

53 - Sami Hyypia, defensor, do Willem II para o Liverpool por 3,5 milhões de libras em 1999

54 - Romelu Lukaku, atacante, do Chelsea para o Everton por 31,8 milhões de libras em 2014

55 - Marcel Desailly, defensor, do Milan para o Chelsea por 6,1 milhões de libras em 1998

56 - David Ginola, meio-campista, do Newcastle para o Tottenham por 2,6 milhões de libras em 1997

57 - David De Gea, goleiro, do Atlético de Madrid para o Manchester United por 22,5 milhões de libras em 2011

58 - Jordan Henderson, meio-campista, do Sunderland para o Liverpool por 16,2 milhões de libras em 2011

59 - Martin Keown, defensor, do Everton para o Arsenal por 2,7 milhões de libras em 1993

60 - Sol Campbell, meio-campista, do Tottenham para o Arsenal de graça em 2001

61 - N'Golo Kante, meio-campista, do Leicester para o Chelsea por 32,2 milhões de libras em 2016

62 - Leighton Baines, lateral, do Wigan para o Everton por 6,8 milhões de libras em 2007

63 - Gary Cahill, defensor, do Bolton para o Chelsea por 7,5 milhões de libras em 2012

64 - Roberto Firmino, atacante, do Hoffenheim para o Liverpool por 36,9 milhões de libras em 2015

65 - Dimitar Berbatov, atacante, do Bayer Leverkusen para o Tottenham por 14,1 milhões de libras em 2006

66 - Shay Given, goleiro, do Blackburn para o Newcastle por 2 milhões de libras em 1997

67 - Duncan Ferguson, atacante, do Rangers para o Everton por 5,5 milhões de libras em 1995

68 - Pierre-Emerick Aubameyang, atacante, do Borussia Dortmund para o Arsenal por 57,3 milhões de libras em 2018

69 - Carlos Tevez, atacante, do Manchester United para o Manchester City por 26,1 milhões de libras em 2009

70 – Virgil van Dijk, defensor, do Celtic para o Southampton por 14,1 milhões de libras em 2015

71 – Cesar Azpilicueta, defensor, do Olympique de Marselha para o Chelsea por 7,9 milhões de libras em 2012

72 – Kyle Walker, lateral, do Sheffield United para o Tottenham por 5,3 milhões de libras em 2010

73 – Joe Cole, meio-campista, do West Ham para o Chelsea por 8,9 milhões de libras em 2003

74 – Tim Cahill, meio-campista, do Milwall para o Everton por 2 milhões de libras em 2004

75 – Kolo Touré, zagueiro, do ASEC Mimosas para o Arsenal por 167 mil libras em 2002

76 - Gylfi Sigurdsson, meio-campista, do Tottenham para o Swansea por 9,1 milhões de libras em 2014

77 - Andrew Robertson, lateral, do Hull City para o Liverpool por 8,1 milhões de libras em 2017

78 – Graeme Le Saux, lateral, do Chelsea para o Blackburn por 945 mil libras em 1993

79 – Seamus Coleman, lateral, do Sligo Rovers para o Everton por 63 mil libras em 2009

80 – Gary Speed, meio-campista, do Everton para o Newcastle por 7,4 milhões de libras em 1997

81 – Jurgen Klinsmann, atacante, do Monaco para o Tottenham por 2,5 milhões de libras em 1994

82 - Youri Djorkaeff, atacante, do Kaiserslautern para o Bolton por 450 mil libras em 2002

83 – Gareth Southgate, zagueiro, do Aston Villa para o Middlesbrough por 8,8 milhões de libras em 2001

84 – Harry Maguire, zagueiro, do Hull City para o Leicester por 12,3 milhões de libras em 2017

85 – Gareth Southgate, zagueiro, do Crystal Palace para o Aston Villa por 3,4 milhões de libras em 1995

86 – Nicolas Anelka, atacante, do PSG para o Arsenal por 684 mil libras em 1997

87 – Emmanuel Adebayor, atacante, do Monaco para o Arsenal por 9 milhões de libras em 2006

88 – Dwight Yorke, atacante, do Aston Villa para o Manchester United por 17,3 milhões de libras em 1998

89 – John Stones, zagueiro, do Barnsley para o Everton por 3,2 milhões de libras em 2013

90 – Dele Alli, meio-campista, do MK Dons para o Tottenham por 6 milhões de libras em 2015

91 – Robin van Persie, atacante, do Arsenal para o Manchester United por 27,6 milhões de libras em 2012

92 - Christian Benteke, atacante, do Genk para o Aston Villa por 7,9 milhões de libras em 2012

93 - Christian Eriksen, meio-campista, do Ajax para o Tottenham por 12,7 milhões de libras em 2013

94 – Robbie Keane, atacante, do Leeds para o Tottenham por 9,5 milhões de libras em 2002

95 – Marc Overmars, ponta, do Ajax para o Arsenal por 6,8 milhões de libras em 1997

96 – Faustino Asprilla, atacante, do Parma para o Newcastle por 6,8 milhões de libras em 1996

97 – Dimitri Payet, meio-campista, do Olympique de Marselha para o West Ham por 13,5 milhões de libras em 2015

98 – James Milner, meio-campista, do Manchester City para o Liverpool de graça em 2015

99 - Niall Quinn, atacante, do Manchester City para o Sunderland por 1,2 milhão de libras em 1996

100 - Jussi Jaaskelainen, goleiro, do VPS Vaasa para o Bolton por 135 mil libras em 1997