<
>

Ex-presidente do Flamengo lembra bastidores com Ronaldinho e Luxemburgo: 'Eu queria ir para cima do Assis'

A passagem de Ronaldinho Gaúcho pelo Flamengo foi marcada por polêmicas. Da chegada com festa e milhares na Gávea à saída rumo ao Atlético-MG em meio a uma briga na Justiça.

Patrícia Amorim, ex-presidente rubro-negra e dirigente máxima naquela época, revelou, porém, que os bastidores conturbados foram além do que se foi noticiado. Incluindo uma relação conturbada com o técnico Vanderlei Luxemburgo. Sempre com Assis à frente.

Segundo ela, o irmão e empresário do craque questionava o técnico “o tempo inteiro”. “Às vezes em forma de brincadeira, para ver se mandava o recado. Às vezes através de amigos em comum. Foi complicado”, relembrou ele, em entrevista à “TV Globo”.

“Alguém tem que ser o bonzinho, e o outro, o mal. E eles fazem muito bem isso”, seguiu. “Às vezes, eu queria ir para cima do Assis, e nunca tive isso com Ronaldinho.”

Sobre a contratação em si, Amorim relembrou que o Flamengo precisava de “um negócio grade”, como era Ronaldinho, e não se arrepende. “A gente só pode se arrepender do que não fez”, disse ela.

Ronaldinho defendeu o Flamengo de 2011 a 2012, tendo como ponto alto um título do Campeonato Carioca no ano de sua chegada e, claro, a atuação no histórico jogo contra o Santos de Neymar, vitória rubro-negra por 5 a 4 na Vila Belmiro.

Atualmente, Ronaldinho está preso no Paraguai, junto com o irmão Assis, acusado de falsidade ideológica na obtenção de passaporte e documentos falsificados no país.