<
>

Santos amplia leque, tem "sonho" no Brasil e opções até na Europa

O Santos tenta aliar a pressa para definir o substituto de Jorge Sampaoli com a busca por um técnico de impacto, capaz de deixar poucas dúvidas na escolha.

O time alvinegro pensou inicialmente em Ariel Holan (anunciado na Universidad Católica-CHI), Sebastián Beccacece (perto do Racing-ARG) e Miguel Ángel Ramírez (em alta no mercado e com contrato vigente e multa rescisória no Independiente Del Valle-EQU).

Sem a dupla e com Ramírez distante, o oclube alvinegro ampliou o leque no exterior e tem consultas “criativas” por meio do presidente José Carlos Peres e o diretor William Thomas

Um dos nomes bem avaliados é o de Rafael Dudamel, da seleção venezuelana. E o sonho no mercado interno é Renato Gaúcho – o Santos, porém, sabe da dificuldade enorme de trazer o treinador, que é caro e tem proposta de renovação no Grêmio.

Uma opção indicada à diretoria é a de Mircea Lucescu, romeno de 74 anos e livre no mercado desde a saída da seleção turca no início desta temporada. Ele possui facilidade com o idioma por ter dirigido por 12 anos o Shakhtar Donetsk (UCR), clube reconhecido pela legião de brasileiros, entre 2004 e 2016.

Outra alternativa é Domènec Torrent, ex-auxiliar de Pep Guardiola e técnico do New York City entre 2018 e 2019. Ele é espanhol e tem 57 anos. O Athletico-PR também o tem em pauta, assim como Miguel Ramírez.

O argentino Matías Almeyda, do San José Earthquakes, e o português José Peseiro, desempregado, estão na lista extensa de oferecidos. Eles, a princípio, não interessam.

O objetivo do Santos é anunciar o novo comandante, provavelmente estrangeiro, nesta semana. Enquanto isso, o lateral-direito Madson e o centroavante Raniel foram contratados com a aprovação da diretoria e equipe de análise de desempenho.