<
>

Flamengo: Frank De Boer, a TV: 'Na Itália, o chamávamos de Gabi-não-gol'

Técnico de Gabigol na Inter de Milão, Frank de Boer mostrou-se completamente surpreso com o desempenho do atacante no Flamengo durante este ano e, principalmente, na final da Libertadores da América.

Convidado a comentar a decisão da disputa continental no canal Fox Sports da Holanda, o ex-jogador lembrou de forma negativa o período em que comandou o atleta.

"Quando chegou, eu não sabia muito sobre ele, mas me diziam que era um jogador fantástico. O chamam de Gabigol, mas nós o chamávamos de Gabi-não-gol na Itália", afirmou o lendário ex-zagueiro de Ajax, Barcelona e seleção holandesa.

Aos 49 anos e atualmente no comando do Atlanta United, dos Estados Unidos, De Boer acrescentou outras lembranças do jogador de quando trabalharam juntos.

"Lembro que ele chegou com duas pessoas. Uma cuidava de suas redes sociais e estava sempre ao seu lado e a outra era um nutricionista para cuidar de seu corpo."

"Mas conosco, ele não fez nada!", encerrou De Boer sobre Gabigol.

Chora, Imperador! Adriano não segura as lágrimas com virada épica do Flamengo e título da Libertadores; veja

Não é a primeira vez

O péssimo desempenho de Gabigol na Inter de Milão parece mesmo ter marcado De Boer.

Em julho de 2018, em Moscou, na Rússia, durante a Copa do Mundo, ele deu entrevista ao ESPN.com.br e detonou o atacante.

"Ele pensava que ainda estava jogando no Brasil. Ele estava só andando, e tem que estar em movimento. Ele só quer receber a bola sem correr, mas tem que trabalhar duro nos treinamentos. Não é por nada que não jogou comigo e não jogou mais na Inter", foi uma das respostas.

A entrevista completa, você lê clicando aqui.

Só 10 jogos, só 1 gol

Comprado do Santos por 27,5 milhões de euros em agosto de 2016, logo após ganhar a medalha de ouro olímpica com a seleção brasileira, no Rio, Gabriel Barbosa foi muito mal na Inter de Milão.

Então com 20 anos, ele vestiu a camisa do clube italiano em apenas dez partidas, sendo só uma como titular. Só fez um mísero gol.

Depois, foi emprestado ao Benfica, de Portugal, no qual também teve dificuldades e não foi bem.

A redenção

A volta por cima de Gabigol começou em sua volta ao Brasil.

Emprestado ao Santos, ele fez 27 gols em 2018 e foi o segundo maior artilheiro do país, só atrás de Gustavo, o Gustagol, à época no Fortaleza e atualmente no Corinthians.

Foi o artilheiro do Campeonato Brasileiro com 18 gols, cinco a mais que o segundo colocado, Ricardo Oliveira, do Atlético-MG.

Em 2019, ele tem sido ainda melhor. Muito melhor!

Deu ruim! Torcedor escuta gol do River pelo rádio e comemora sozinho antes da festa geral; assista

Emprestado ao Flamengo - seu contrato com a Inter de Milão vai até junho de 2021 -, Gabigol fez até agora incríveis 40 gols em 54 partidas e é não só o o artilheiro do Brasileiro, com22 tentos, como também de todo o país no ano.

No sábado, fez simplesmente os dois gols que deram ao Flamengo a virada épica sobre o River Plate e o título da Libertadores da América, o qual o clube não ganhava há 38 anos (desde 1981).