<
>

Libertadores: Flamengo fará final em estádio que já viu Beyoncè, Ronaldo, River campeão e é melhor que casa do City

play
Conheça o Estádio Monumental de Lima, casa de Flamengo x River Plate, a final da Libertadores (0:51)

Duelo em 23 de novembro definirá quem é o grande campeão da América (0:51)

O gigantesco Estádio Monumental, em Lima, no Peru, foi o escolhido para receber a final da Copa Libertadores entre Flamengo e River Plate, em 23 de novembro. A nova casa da decisão já recebeu craques como Ronaldo, Rivaldo e Kaká, viu Richarlyson ser expulso, acompanhou jogadores da base do time rubro-negro em campo, teve taça do time argentino e já se divertiu muito com ícones da música mundial.

Conheça, abaixo, um pouco mais sobre o Monumental:

Construção

Projetado pelo arquiteto uruguaio Walter Lavalleja em 1989, o estádio teve a sua pedra fundamental colocada em janeiro de 1991. Curiosamente, a compra do terreno só foi concretizada em outubro de 1994, quando começaram as obras. Seis anos depois, em 2 de julho de 2000, o Universitario vencia o Sporting Cristal por 2 a 0, na partida que marcou a inauguração do local. Mais do que um estádio de futebol, é um complexo esportivo e multiuso para eventos.


Gigante

Com 80.093 lugares, é o maior em capacidade da América do Sul e está entre os 20 maiores neste quesito em todo o planeta.

| Rodolfo Landim comenta mudança na final da Libertadores para Lima |


Brasil, parte 1

Em 16 de novembro de 2003, o Brasil visitou o Peru pelas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2006, com empate por 1 a 1 diante de 70 mil pessoas. Rivaldo abriu o placar em cobrança de pênalti, e Nolberto Solano igualou no início do primeiro tempo para o time comandado por Paulo Autuori.

Para aquele jogo, Carlos Alberto Parreira escalou o Brasil com Dida; Cafu, Lúcio, Roque Júnior e Júnior; Gilberto Silva, Emerson (Renato), Zé Roberto e Kaká (Alex); Rivaldo (Luis Fabiano) e Ronaldo.


Brasil, parte 2

Quatro anos depois, em 18 de novembro de 2007, a seleção brasileira voltou ao Monumental, novamente pelas eliminatórias para a Copa de 2010, de novo com empate por 1 a 1. Exatas 45.847 pessoas viram Kaká fazer 1 a 0 no primeiro tempo, e Juan Vargas deixar tudo igual na etapa final.

Julio Cesar; Maicon, Lúcio, Juan e Gilberto; Gilberto Silva, Mineiro, Kaká e Ronaldinho; Robinho (Elano) e Vagner Love (Luis Fabiano). Este foi o time escalado pelo técnico Dunga.


Flamengo? Libertadores?

A Copa Libertadores Sub-20 de 2011 teve o Peru como sede, o Universitario como campeão e o Boca Juniors como vice. O representante brasileiro era o Flamengo, que garantiu a vaga ao conquistar a Copa São Paulo.

Com uma vitória e dois empates, o time rubro-negro avançou para o mata-mata em primeiro do grupo C. Na segunda rodada da primeira fase, a equipe empatou sem gols com o Millonarios, justamente no Monumental, no único jogo dos brasileiros no local. O Flamengo foi eliminado nas quartas de final, ao ser goleado pelo Alianza Lima por 5 a 1.

O elenco do Flamengo na Libertadores Sub-20:

Goleiros: Cesar, Caio e Douglas

Laterais: Felipe Dias, Felipe Ferreira, João Felipe e Digão

Zagueiros: Marllon, Frauches, Fernando e China

Volantes: João Vitor, Luiz Philippe, Lorran e Vitor Hugo

Meias: Elvinho e Pedrinho

Atacantes: Nixon, Rafinha, Thomas e Yguinho


River Plate campeão

| Gian faz apelo a torcedores que vão à final da Libertadores: 'Quem já comprou passagem para Santiago: processe a Conmebol' |

O time argentino atuou pelo menos duas vezes no Monumental pela Libertadores, e o retrospecto é péssimo para o rival do Flamengo. Duas derrotas, ambas para a Universidad San Martín. A primeira foi na fase de grupos de 2008, por 2 a 0. No ano seguinte, a cena se repetiu, mas com o placar de 2 a 1 para os peruanos.

Já na Libertadores Sub-20 de 2012, a situação foi diferente. Dos seis jogos na competição, o River disputou cinco partidas no Monumental. Na estreia, venceu o Atlético de Madrid por 2 a 1 e depois goleou o Junior de Barranquilla por 5 a 0. Em seguida, empate por 1 a 1 com o Corinthians.

No mata-mata, passou América-MG nos pênaltis, no último jogo no Estadio Alejandro Villanueva, e voltou ao Monumental na semi, derrotando o Corinthians por 2 a 1. Na final, vitória por 1 a 0 sobre os uruguaios do Defensor Sporting, e festa argentina em Lima.

Duas curiosidades sobre aquele time do River: o artilheiro da equipe na competição foi o equatoriano Juan Cazares, que hoje defende o Atlético-MG. E o gol do título foi de Augusto Solari, neto de Jorge Solari e sobrinho de Santiago Solari, Esteban Solari e David Solari.


São Paulo

O time do Morumbi enfrentou o Universitario no jogo de ida das oitavas de final da Libertadores de 2010 no Monumental, com empate sem gols e expulsão de Richarlyson. O jogador quase partiu para cima do árbitro argentino Saúl Laverni, mas foi contido pelo zagueiro Alex Silva.

Na volta, novo 0 a 0, e o São Paulo se classificou nos pênaltis com redenção de Rogério Ceni: o goleiro perdeu a primeira cobrança, mas defendeu duas dos rivais. Além deles, o elenco do técnico Ricardo Gomes contava com Cicinho, Alex Silva, Miranda, Hernanes, Jorge Wagner, Dagoberto, Fernandinho e Marcelinho Paraíba.


Show e mais shows

Desde sempre, o Monumental recebe shows e festivais musicais. Ídolos do rock, como Paul McCartney, Rolling Stones, Roger Waters, Iggy Pop, Aerosmith, Ozzy Osbourne e Guns N' Roses passaram por lá.

Você gosta de música pop? Backstreet Boys, Beyoncé, The Black Eyed Peas, Miley Cyrus, Ricky Martin e Britney Spears são algumas das estrelas que lá se apresentaram. Música Latina? Fito Páez, Café Tacvba, Los Pericos, Maluma e Maná são alguns dos artistas que já tocaram no local.


Melhor que Etihad e Stamford Bridge

Etihad Stadium, casa do Manchester City. Stamford Bridge, do Chelsea. Estádio Do Dragão, do Porto. Centurylink Field, dividido por Seattle Sounders e Seattle Seahawks. Esses são alguns exemplos de arenas consideradas piores que o Monumental.

Em 2015, a conceituada revista Four Four Two fez uma lista com os 100 melhores estádios do planeta. O Monumental apareceu na 44ª posição. Centurylink Field? 63º. Estádio do Dragão, 64º. Etihad, 72º. Stamford Bridge? 100º.

“Esse estádio é tão grande que a construção também incluiu um plano de contingência para pouca presença de público: cada assento foi pintado em uma cor diferente, para que as arquibancadas nunca pareçam vazias. São camadas completamente diferentes, oferecendo uma visão única de como é combinar dois estádios em um. Uma mistura entre Bombonera, Giuseppe Meazza e Camp Nou”, disse a revista.

| André Kfouri comenta mudança da final da Libertadores para Lima: ‘Acerta e erra ao mesmo tempo’ |


Ficha técnica

Final da Libertadores 2019

Data: 23 de novembro

Local: Estádio Monumental, em Lima, no Peru