<
>

Messi 15 anos: 15 jogos para a história no Barcelona

Lionel Messi soma 692 jogos oficiais com o Barcelona desde sua estreia em 16 de outubro de 2004 contra o Espanyol em Montjuic. Ao longo de sua carreira, coroada com 604 gols e 236 assistências que lhe catapultaram à conquista de 34 troféus, são incontáveis os encontros que provocaram a exclamação de inesquecível.

Através de seus gols, suas assistências, sua direção e sua liderança, o Barça de Rikjaard, de Guardiola, Vilanova, Martino, Luis Enrique e Valverde conseguiu a consideração do mundo do futebol. E por mais que seja impossível, absolutamente, ficar com um só jogo na carreira do craque argentino, atendendo a essa consideração de históricos de muitos deles contra o Real Madrid ou finais europeias ou mundiais, esta poderia ser uma eleição de 15 momentos inesquecíveis em seus 15 anos como jogador da primeira equipe blaugrana.

1. A ESTREIA

16/10/2004, Espanyol x Barcelona

Impossível esquecer o primeiro dia. O Barça ganhou por 1 a 0, e ali chegaram seus primeiros minutos assim que Frank Rijkaard, naquele 16 de outubro de 15 anos atrás, o chamou no banco de reservas para que entrasse em substituição a Deco. Teve pouco tempo, mas o suficiente para se fazer presente, encarando Lopo, brigando por uma bola no alto com Kameni, combinando com Iniesta... Demonstrando que aquele era o início de uma carreira que, no final das contas, acabou por superar todas as expectativas.

2. O PRIMEIRO GOL

1/5/2005, Barcelona x Albacete

O Barça cavalgava para a conquista de seu primeiro título de LaLiga após cinco anos de seca e com o 1 a 0 no marcador, na rodada 34, frente ao Albacete, Rikjaard colocou Messi faltando três minutos para acabar o jogo. Marcou um gol em sua primeira ação, que foi anulado pelo árbitro... E nos acréscimos, com assistência de Ronaldinho, estreou sua conta goleadora de blaugrana, com uma tacada excepcional.

3. OI, EUROPA

22/2/2006, Chelsea x Barcelona

Já tinha jogado cinco partidas na Champions e tinha estreado sua marca goleadora contra o Panathinaikos, mas a vitória por 2 a 1 sobre o Chelsea em Stamford Bridge o colocou no primeiro plano. Cavou a expulsão de Del Horno, completou um jogo sensacional que provocou o elogio unânime de todo mundo e deu espaço para a famosa frase de Mourinho: “Teatro do bom”. Sem dúvida, a atuação de Messi foi mais do que boa, foi soberba para que a Europa descobrisse o novo rei que se aproximava.

4. HOMENAGEM A MARADONA

18/4/2007, Barcelona x Getafe

Um mês depois de conseguir seu primeiro hat-trick em um Clásico, Mess decidiu superar o feito no jogo de ida das semifinais da Copa do Rei frente ao Getafe no Camp Nou, em uma noite fria que ele transformou em apoteótica. O Barça venceu por 5 a 2, mas na retina, na memória, se mantém o gol que marco emulando a lendária jogada de Maradona contra a Inglaterra na Copa do Mundo de 1986, deixando para trás todos os rivais que apareceram pela frente desde o meio-campo em um slalom maiúsculo que fechou driblando o goleiro e marcando na melhor homenagem que pode render a Diego.

5. A CONQUISTA DA ESCÓCIA

20/2/2008, Celtic x Barcelona

O primeiro jogo de Lionel na Escócia, em Glasgow, não foi um qualquer. O Barcelona venceu por 3 a 2 com dois de Messi, que alcançou naquela noite seus 40 gols de blaugrana, fechando a virada contra um Celtic quase intocável em seu santuário e cuja torcida, deprimida pela derrota, não duvidou em ovacionar o craque argentino.

6. A GLÓRIA

27/5/2009, Barcelona x Manchester United

Ausente da final de Paris em 2006, Messi precisou esperar três anos para ter a sua oportunidade... E em Roma, o fez de maneira bestial. “De Leo, não se pode duvidar. Algum dia, vai surpreendê-los”, tinha afirmado semanas antes Guardiola quando lhe indagaram que o argentino não se destacava no jogo aéreo. Com assistência de Xavi, marcou de cabeça por cima de Van der Sar – o gol que ele mesmo considerou o mais inesquecível de sua carreira em uma final (vitória por 2 a 0).

7. O CORAÇÃO

19/12/2009, Barcelona x Estudiantes

O Barça dos seis títulos, o Barça inabordável, o Barça perfeito. O jogo que fechou o ano de 2009 conquistando o Mundial de Clubes, impondo-se na final contra o Estudiantes (2 a 1) após uma partida duríssima, em que Pedro levou à prorrogação no último suspiro (entrando na história por marcar em todas as competições) e que Messi decidiu nesse tempo extra chutando com o peito do pé um cruzamento de Xavi.

8. O AMO

27/4/2011, Real Madrid x Barcelona

Uma semana depois de perder a final da Copa do Rei em Valência e com os ânimos mais acirrados do que nunca após uma entrevista coletiva prévia na qual Guardiola classificou Mourinho como “o puto amo na sala de imprensa” em plena guerra Barça x Real, a equipe catalã visitou o Bernabéu na ida da semifinal de Champions... E ganhou por 2 a 0, com Messi marcando dois e que com o passar dos anos mantém como o jogo mais inesquecível de sua carreira. Mourinho pode ser o amo da sala de imprensa. Leo o foi no campo de jogo.

9. O REPOKER

7/3/2012, Barcelona x Bayer Leverkusen

Décimo jogador na história da máxima competição continental em marcar cinco gols em um só jogo, Messi foi o primeiro a conseguir outro “poker” na Champions em uma partida eliminatória, no 7 a 1 com o qual o Barcelona derrotou o Bayer Leverkusen, entrando nos livros do torneio.

10. A FRIEZA

23/3/2014, Real Madrid x Barcelona

Com o Barça derrotado em seus dois jogos anteriores para Real Sociedad e Valladolid, a visita ao Bernabéu se entendia como vida ou morte em sua briga por LaLiga. Marcou Iniesta, virou o Real Madrid, empatou o argentino, Cristiano Ronaldo fez de pênalti o 3 a 2... E desde a marca do pênalti, com uma frieza nunca vista, Messi deu a volta no marcador com dois gols que presentearam o 4 a 3 para o Barça de Tata Martino.

11. BOATENG

6/5/2015, Barcelona x Bayern de Munique

Ainda com a desclassificação de dois anos antes na cabeça, o Bayern - com Guardiola no banco de reservas - visitou o Camp Nou na ida das semifinais da Champions da temporada 2014/15, que o Barça resolveu com um excelente, e definitivo, 3 a 0. Leo marcou dois gols, o segundo após driblar Boateng com o corpo em uma jogada mágica. A temporada acabou com “triplete” de títulos, mas aquela noite não se esquece.

12. A RESSURREIÇÃO

20/4/2016, Deportivo La Coruña x Barcelona

Eliminado pelo Atlético de Madrid na Champions, o Barça tinha enfileirado um empate e três derrotas na Liga que destroçaram sua vantagem na classificação até converter a equipe de Luis Enrique em um grupo deprimido e à beira do nocaute, jogando o crédito e o futuro na La Coruña... O resultado foi um 8 a 0 indiscutível, com Messi como autêntico mestre de cerimônias, autor de um gol, de duas assistências e de outras duas jogadas pessoais que acabariam em outros dois gols. A partir daí o Barcelona voltou a ser intocável, conseguindo o doblete.

13. A CAMISETA

23/4/2017, Real Madrid x Barcelona

Um mês e meio depois de celebrar enlouquecido com a arquibancada a majestosa e lendária virada sobre o PSG, Messi voltou ao Bernabéu à frente de um Barça que poderia receber um golpe em LaLiga das mãos do líder, um Real Madrid que abriu o placar por meio de Casemiro, que salvou a derrota no minuto 85 com o empate de James... E que acabou rendido a Messi, autor do 3 a 2 definitivo nos acréscimos, coroando com sua celebração, estendendo a camiseta entre as suas mãos e oferecendo-a à torcida blaugrana presente do coliseu merengue. Vendo aquela celebração... Quem poderia duvidar de seu barcelonismo?

14. A RAIVA

21/4/2018, Sevilla x Barcelona

Fazia 11 dias que o Barça havia sido eliminado da Champions, sofrendo uma humilhação em Roma que colocou no cenário a possível saída de Valverde, quem para muitos jogava seu cargo naquela final de Copa do Rei disputava em Madri... E que o Barça venceu por 5 a 0, com uma exibição na qual Messi foi protagonista de exceção. Autor de um gol e de duas assistências, proclamou através do futebol seu apoio a Valverde, que se manteve no cargo ganhando o “doblete”.

15. A OVAÇÃO

17/3/2019, Betis x Barcelona

Disparando na liderança de LaLiga e feliz, ainda, na Champions, o Barcelona atropelou o betis no Villamarín, ganhando por 4 a 1 com um hat-trick de Messi... Que desfrutou de um feito insólito: após marcar um gol genial, de cobertura, em Pau López, contemplou como o estádio bético a plenos pulmões cantava seu nome, obrigando-o a agradecer aquele gesto uma torcida rival.