<
>

Chefão do Liverpool, Peter Moore diz que sucesso do time está baseado no 'socialismo'

play
Construção do sucesso: Veja todas as contratações do Liverpool em 4 anos da 'Era Klopp' (1:53)

Salah, Alisson e Van Dijk são só alguns dos nomes que o treinador ajudou a trazer para os últimos campeões da Europa (1:53)

A 'lenda do marketing' Peter Moore ficou conhecido por desenvolver os consoles da Sega, Microsoft e Electronic Arts, mas decidiu deixar esse lado de sua vida para trás e retornar a Liverpool, cidade em que nasceu, e em 2017 se tornou diretor geral e CEO do clube campeão da Champions League na temporada 2018/19.

O 'chefão' dos líderes da Premier League concedeu uma entrevista ao jornal El País e quando perguntado sobre o que distingue o Liverpool na indústria do futebol, respondeu: o "socialismo".

Moore explicou: "Como expert em marketing, quis desvendar o que significava exatamente. Dizer que o Liverpool é único não significa muito. Real Madrid e Barcelona, Borussia Dortmund e Bayern de Munique são especiais também. Então, como nos diferenciamos disso? Tivemos essa incrível figura história: Bill Shankly, um socialista escocês. Inclusive hoje, quando falamos de negócios, nos perguntamos: 'O que faria Shankly? O que diria Bill nesta situação?'. Era um verdadeiro socialista que acreditava que o futebol consistia em trabalhar juntos".

"No departamento de marketing, nos reunimos e falamos: "Vamos colocar isso em palavras". A conclusão foi que a ideia essencial do Liverpool é que isso significa mais. Mais que ganhar ou perder. Mais que jogar futebol, se juntar no pub e caminhar até em casa", afirmou.

E completou: "Ele definia como socialismo, porém não em um sentido político, mas no sentido de solidariedade. Liverpool é uma cidade socialista, de tradição trabalhista, muito unida ao porto. [...] As pessoas muitas vezes se veem como 'liverpolita', não necessariamente como ingleses. É estranho".

"Essa cultura se fortalece com um sentimento que Shankly expressou na ideia de trabalhar junto em um campo na máxima de "passar a bola e se mover". É muito simples: "passe a bola e se mova para oferecer-se ao companheiro". Há uma canção dos torcedores que tem quase 60 anos que descrevia esse estilo como "poesia em movimento". Não é exatamente o tiki-taka. Mas se produz quando o jogo flui livremente com contra-ataques muito rápidos. É nossa marca", finalizou.

Sobre a escolha de Klopp, um socialista alemão, no comando da equipe, afirma: "Ele já é um clássico de Liverpool. Ele se inclina mais à esquerda que à direita. Uma vez, Shankly disse: "Eu fui feito para o Liverpool e o Liverpool estava feito para mim". Klopp pode dizer exatamente o mesmo. Entende perfeitamente os elementos socialistas que impregnam o clube e a cidade, os desafios que emocionam e o que significa o clube para muita gente que não tem a oportunidade de ter nada melhor na vida do que o amor pelo clube. Durante uma época, o símbolo da cidade foram os Beatles. Hoje, é o futebol".