<
>

Pablo abre o jogo sobre carinho pelo Corinthians, sonho de voltar à seleção e rumores sobre ida ao Barcelona

play
Corinthians diz que não recebeu proposta oficial por Gustagol (0:49)

A imprensa italiana divulgou na última quarta-feira que o atacante corintiano teve uma oferta de R$ 22 milhões do Bologna. (0:49)

Adversário do PSG pelo Campeonato Francês neste sábado, Pablo, do Bordeaux, teve uma passagem curta, porém marcante pelo Corinthians. Em apenas uma temporada, foi campeão paulista e brasileiro em 2017, formando uma dupla de zaga muito elogiada ao lado do paraguaio Balbuena.

Desde que voltou à França, no ano seguinte, ele passou a ser titular da defesa da equipe francesa. Chegou a ter seu nome especulado por alguns veículos de imprensa na Europa no Barcelona e foi chamado por Tite para a seleção brasileira.

Em entrevista exclusiva ao ESPN.com.br, o zagueiro abriu o jogo o momento que vive, o carinho pelo Corinthians e os planos para a carreira.

Ele também falou sobre o frisson que despertou em agosto nos torcedores corintianos ao dizer que está com saudades de ver o filho cantando o hino do clube.

Veja a entrevista de Pablo:

Como tem sido a temporada para você e o Bordeaux?
Eu tive uma temporada bem produtiva. Começamos de forma diferente em relação ao ano passado. A equipe está bem. Em sete jogos nós vencemos três, empatamos três e perdemos apenas uma vez. Estou bem individualmente e coletivamente junto com a equipe.

Surgiram algumas especulações, principalmente do jornal Sport (da Catalunha) de que você poderia ir ao Barcelona. Chegou algo oficial para você?
Pelo que eu sei foi muita especulação mesmo. Não teve nada oficial, mas ser especulado pelo Barcelona é algo surreal. Todos os atletas pensam em jogar em times de ponta, e o Barcelona é uma equipe espetacular e gigantesca. Seria uma honra!

Sua postagem no Instagram sobre o Corinthians fez um grande barulho. Como foi isso? (***)
Foi um comentário que fiz em cima de um comentário de um torcedor do Corinthians. Foi um comentário feito com o coração, não vou esconder que tenho carinho imenso pelo Corinthians. É uma equipe que fez alavancar a minha carreira. Com certeza, quando for voltar ao Brasil será a primeira equipe que vou procurar. Deu uma repercussão muito grande e fico até feliz pelo carinho da torcida. Se o Corinthians me quiser quando eu voltar ao Brasil ficarei muito honrado.

Quais os planos para os próximos anos? Pretende voltar ao Brasil, ficar no Bordeuax ou ir para outro time na Europa?
Estou com 28 anos. Acredito que tenho ainda muita coisa para fazer na Europa ainda. Estou na minha segunda temporada depois que voltei do Brasil e acredito que é a chance de crescer profissionalmente. Meu pensamento é crescer, o Bordeaux abriu as portas para mim fora do Brasil e estou trabalhando para que possa ir para times maiores. Meu pensamento é ficar na Europa e ir para uma equipe que joga a Champions League ou a Europa League.

Você acompanha o Corinthians?
Eu sempre acompanho o Corinthians. A situação é complicada, mas quem é corintiano de verdade sabe que as coisas podem acontecer. Tem que ser otimista e acreditar. Vejo tudo que acontece. Faço até umas postagens nos meus histories do Instagram vendo os jogos. Um dia com certeza vou voltar a vestir essa camisa maravilhosa.

Como será enfrentar o PSG?
Vai ser um jogo muito difícil porque todo ano o PSG tem um time muito forte. Eles são os líderes do campeonato. Teremos que fazer um jogo perfeito para sair com a vitória. Todos os jogos em Bordeaux são complicados para o Paris. No ano passado nós empatamos com eles e no retrasado também. Espero que este ano seja assim também. Sabemos das qualidades individuais da equipe deles.

Como você vê a situação do Neymar. Como é a repercussão disso na França?
O Neymar é um jogador mundialmente conhecido. Falam muito dele porque é um nome que é forte e vende muito. Agora, ele voltou a jogar. Ele é muito bom e um cara sensacional. No pouco tempo que convivemos na seleção foi legal.

Qual a maior dificuldade de marcá-lo?
O Neymar faz o improviso em cima do improviso (risos)! Ele é muito inteligente e rápido. Nós temos as nossa táticas para fecharmos os espaços e tentamos dificultar, mas é complicado. Temos que estar sempre concentrados porque ele resolve os jogos às vezes em menos de um segundo.

Como você tem atuado por ai?
Eu joguei como zagueiro por alguns jogos, mas depois mudou. Eu faço como se fosse um lateral-esquerdo defensivo quando ataca e um terceiro zagueiro quando defendemos.

Você joga com o Koscielny, ex-Arsenal...
Ele tem uma experiência incrível na Premier League e uma moral gigantesca na França, serviu muitas vezes a seleção francesa. Tem muita qualidade.

Você chegou a ser chamado para a seleção. Como foi?
Foi uma coisa muito especial na minha carreira e ainda busco isso. Não posso esconder o meu desejo. Trabalho muito forte e me dedico bastante para que tenha outra chance. Foi muito bacana e é o sonho de qualquer jogador. Para isso, preciso estar bem no time e a equipe também esteja forte.

Alguma passagem legal na seleção?
Como foi a minha primeira vez eu precisei cantar e foi bem engraçado. Todos ficaram me zoando, incluindo o Neymar. Essa parte do grupo é bem legal e jogamos dois jogos importantes. Fui muito bem e estou trabalhando para voltar.

Como foram as partidas?
A sensação foi perfeita. Estava ao lado só de craques como Neymar, Coutinho, Firmino, Casemiro... São pessoas do bem, e foi uma experiência muito bacana. Pude aprender muito com o Tite, que faz um trabalho muito parecido com o do Carille. Até por que o Carille foi auxiliar dele.

(***) Veja a postagem de Pablo: