<
>

Artilheiro do Bahia, Gilberto lembra discussão com astro da Premier League que terminou com golaço

Vice-artilheiro do Campeonato Brasileiro, com 10 gols marcados, Gilberto é um atacante com uma grande personalidade dentro de campo. O segundo colocado entre os centroavantes no Prêmio ESPN Bola de Prata Sportingbet (média 6) já peitou um companheiro de equipe muito mais famoso e se deu bem.

O episódio ocorreu em 2014, quando o atacante do Bahia defendia o Toronto FC, da Major League Soccer (EUA), em uma partida contra o New York Red Bulls que terminou empatada em 2 a 2.

Ele havia sofrido uma falta perto da área adversária e queria cobrá-la. O problema é que o atacante Jermain Defoe, principal astro da equipe, também queria bater o tiro livre.

Os dois passaram a discutir bastante, mas Gilberto não afinou para o antigo jogador do Tottenham e da seleção inglesa, que chegou a dar um tapa para tirar a bola da mão do brasileiro.

Mesmo assim, o atual jogador do Bahia partiu para a cobrança e acertou um chute lindíssimo, que terminou com um golaço.

"A raiva que eu tive por ele não ter me deixado cobrar a falta eu coloquei na hora de chutar e fazer o gol. Deu tudo certo. Quando você chega de fora como brasileiro precisa tomar a iniciativa. Eu não sabia porque nunca tinha atuado fora do país. Ele era um cara que era o mais conhecido e tinha muita moral. Foi um gol muito bonito", contou ao ESPN.com.br.

Logo após a bola estufar as redes, Defoe ficou bastante sem graça e abriu um sorriso. Em seguida, ele correu para abraçar o brasileiro no gramado.

"A gente virou companheiros de time e começou a se entender mais depois disso. É um cara sensacional e viu que não era ameaça para ele", disse Gilberto.

Pelo Toronto FC, ele marcou sete gols em 30 partidas. Em seguida, defendeu o Vasco antes de voltar à MLS para defender o Chicago Fire.

"Eu cobrava muito meu time. Era uma das coisas que me dava mais raiva. No futebol você é lembrando quando ganha títulos e quando você vê que o seu companheiro não tem a mesma mentalidade você fica triste. E fica ainda mais triste quando não sabe falar o idioma para cobrá-los".

O brasileiro gostou bastante de viver nos Estados Unidos.

"Eu morava em Chicago, a cidade que era mais violenta dos EUA, mas não tinha problemas. Foi um aprendizado enorme e morei muito bem na área grega, que tinha belos restaurantes. Depois, morei no centro. Eu queria ter ficado mais tempo, mas por algumas questões não deu", lamentou.

Revelado no Santa Cruz, o jogador de 30 anos passou por times como Internacional, Portuguesa, Vasco e São Paulo. No ano passado, o atacante teve uma rápida passagem pelo Yeni Malatyaspor-TUR antes de chegar ao Bahia.

Na 20ª rodada do Brasileiro, o Bahia visita o Corinthians no próximo sáabdo (21/08), às 19h (de Brasília), na Arena Corinthians.