<
>

Premier League: Lucas, do Tottenham, conta como sua vida e a do clube mudaram nos últimos meses

play
Lucas explica como semi da Champions mudou sua vida fora dos campos: 'Aumentou o carinho e os seguidores' (0:35)

O meia do Tottenham anotou 3 gols naquele jogo que ficou marcado na história do torneio como uma das viradas mais impressionantes (0:35)

Desde que saiu do Paris Saint-Germain em 2018 para juntar-se ao Tottenham, a carreira de Lucas Moura tem decolado mais do que em sua ascensão meteórica no São Paulo, com o qual foi campeão da Copa Sul-Americana em 2012.

Natelie Gedra, repórter da ESPN, teve a oportunidade de conversar com exclusividade com o brasileiro, que falou muito sobre o “melhor momento de sua vida”. Além disso, comentou sobre seu papel no elenco de Mauricio Pochettino e sua reação à chegada de Daniel Alves ao São Paulo.

“Nem nos meus melhores sonhos eu poderia imaginar que iria fazer três gols em uma semifinal de Champions League – no último segundo”, disse Lucas sobre sua atuação contra o Ajax, em que foi peça crucial na classificação inédita dos Spurs a uma final continental. “No momento não tivemos dimensão do que fizemos, da proporção que aquilo tomaria”.

Entre os muitos gols importantes de sua carreira, o meia-atacante não hesitou para eleger seu segundo gol contra os holandeses como o seu favorito. “Pela quantidade de pessoas na área, de costas para o gol. Tive que virar muito rápido e chutar de perna ruim. A bola passou no único lugar possível”.

A vida de Lucas mudou completamente após aquele jogo: “Na rua, os torcedores sempre vêm falar daquele jogo. Hoje eu vejo muito mais torcedores com a minha camisa. Também aumentou bastante os seguidores nas redes sociais. É muito gratificante saber que você é amado no clube em que você joga”.

Não é só Lucas que teve uma mudança brusca no cenário do futebol internacional.

O atual momento do Tottenham é o melhor de sua história. Começando pelo bilionário estádio novo (onde quem marcou o primeiro hat-trick foi o próprio Lucas), o clube subiu alguns patamares em visibilidade, lucro e, claro, gastos.

Nas últimas temporadas, o Tottenham têm sido presença carimbada na Champions League, além de ser um dos bichos-papões das janelas de transferências - só na última, os londrinos gastaram aproximadamente R$ 542 milhões.

E parece que a Premier League foi o encaixe perfeito para Lucas. A intensidade é o principal laço do jogador com a equipe e Mauricio Pochettino

“É um time que, quando a gente rouba a bola, o treinador pede para a gente correr nas costas, não ficar esperando a bola no pé. 'Run, run, run' é o que ele fala direto, e essa é a minha característica. Sou um jogador de velocidade.”

Segundo o site Transfermarkt, Lucas Moura nunca teve um valor de mercado tão alto. Hoje, o jogador é avaliado em 40 milhões de euros - R$ 184 milhões. Esse valor, inclusive, foi o mesmo pago pelo PSG para tirá-lo do São Paulo em 2013.

E falando no clube brasileiro, o atleta de 27 anos não esconde seu amor pela camisa tricolor, assim como sua animação para o futuro da equipe com a contratação de Daniel Alves.

“O São Paulo está no meu coração, é o clube que eu amo. Quando o jogo é muito tarde, a primeira coisa que faço quando acordo é ver o resultado”, disse. “Conversei com Daniel, desejei sucesso e falei ‘agora você vai ver o que é a loucura da torcida do Brasil, do São Paulo, jogar no Morumbi lotado”.

“Fiquei muito animado, ele vai ajudar muito não só dentro de campo, mas na questão do emocional, para dar uma confiança. O time está muito forte, tem tudo para brigar pelo título brasileiro”, completou.

Acompanhando o São Paulo de longe, o meia-atacante continua focado nos Spurs - ainda mais agora, em um período de clássico. Depois de o time ter empatado com o Manchester City, o Tottenham enfrentará o Arsenal no próximo domingo, às 12h (de Brasília), no Emirates Stadium. A partida tem transmissão da ESPN Brasil e WatchESPN.

Lucas ainda não marcou contra os Gunners, mas espera mudar essa história o quanto antes. “Sei da importância desse jogo, o quanto o torcedor leva a sério. Claro que é importante marcar em todos os jogos, mas em um clássico é mais especial ainda”.

Em um período tão iluminado do brasileiro, quem sabe não chegou a hora...