<
>

Bruno Henrique brilha, faz dois gols, Flamengo bate Inter e abre boa vantagem na Libertadores

play
Mauro fala em merecimento na vitória do Flamengo e diz que Internacional poderia ter mais ambição (5:59)

Comentarista analisou 2 a 0 no Maracanã (5:59)

Com mais de 66 mil torcedores no Maracanã, o Flamengo venceu o Internacional por 2 a 0 nesta quarta-feira, com dois gols de Bruno Henrique, pela partida de ida das quartas da Copa Libertadores.

Recheada de expectativa, a partida foi cheia de histórias e teve um recém-convocado à seleção brasileira como estrela, saindo ovacionado pela torcida no último minuto de jogo.

Dúvidas em campo

Gabigol não apareceu entre os relacionados na terça-feira, mas fez uma recuperação intensiva no dia do jogo e apareceu como surpresa entre os titulares, jogando os 90 minutos. Muito se falou até em uma estratégia do técnico Jorge Jesus para 'enganar' os rivais. Já Arrascaeta teve uma gastroenterite iniciada também na terça, mas também saiu jogando. O uruguaio, porém, saiu no intervalo.

Já pelo Inter, Edenílson fez um teste no vestiário e foi aprovado. O volante sentia dores na coxa direita, mas se recuperou a tempo da partida decisiva.

Iluminado

  • Sexta-feira: Convocado por Tite para a seleção brasileira.

  • Sábado: Gol contra o Vasco e goleada sobre o rival.

  • Quarta-feira: Com Tite no estádio, dois gols contra o Inter e vitória na Libertadores.

Ataque contra defesa

Com Victor Cuesta e Rodrigo Moledo juntos na zaga, o Inter não sofria gols há cinco jogos. Antes, os ataques de Corinthians, Cruzeiro, Nacional-URU (duas vezes) e Palmeiras não tiveram sucesso contra a dupla, que era intransponível há quase 600 minutos.

Do outro lado, Gabriel, Bruno Henrique e Arrascaeta somavam 50 gols na temporada. O camisa 9 tem 24, o ponta recém convocado por Tite tinha 16 e o uruguaio mais 10.

No Maracanã, melhor para o ataque: Bruno Henrique fez os gols da vitória e aumentou as contas: 18 para ele e 52 bolas nas redes para o trio na temporada..

O jogo

Toda a expectativa se tornou luta dentro de campo. Guerrero infernizou a defesa flamenguista, seja com ou sem a bola, mas teve poucas chances efetivas de gol. Do outro lado, o Flamengo tentava e martelava, inclusive arriscando de fora da área, mas não levava perigo real.

No começo da partida, o time carioca mandava no ritmo e chegou a passar de 70% de posse de bola. A primeira faísca saiu aos 14 minutos, quando Sóbis chutou a bola em cima de Gabigol, ganhou um lateral e gritou na cara do atacante, que xingou de volta. Jorge Jesus logo chegou e tirou seu jogador da frente.

Bruno Henrique foi um dos que mais testou Marcelo Lomba, mas seus chutes de fora da área ou iam para fora ou eram defendidos pelo goleiro colorado - ao menos nesse começo de jogo.

O Inter assustou no final do primeiro tempo com chute de D'Alessando de longe e um lance polêmico com Guerrero, que foi travado em uma sobra e quase sofreu pênalti. Entretanto, a melhor chance da primeira etapa foi de Gabigol, que, na grande área, recebeu de Everton Ribeiro, driblou e bateu, mas foi travado na 'Hora H' por Rodrigo Moledo. Na sequência, Lomba segurou a bola.

Com Gerson e sem Arrascaeta no segundo tempo, o time carioca seguiu dando o ritmo da partida. E acabou até melhorando em uma noite inspirada no meio-campista que saiu do banco.

Na reta final, chegou ele: Bruno Henrique. Aos 29, o atacante foi desarmado por Cuesta, mas a bola sobrou para Gérson, que tirou do zagueiro e de Lomba e rolou para o Bruno Henrique, sem goleiro, empurrar para o fundo do gol. Com 33, recebeu de Gabigol na entrada da área, girou em cima do zagueiro argentino e bateu no cantinho do goleiro do Inter, fazendo o segundo.

Minutos depois, Guerrero dominou na área e reclamou de toque na mão de Rodrigo Caio. O árbitro checou o lance no VAR, mas não deu nada.

Logo em seguida, Bruno Henrique ganhou de Lomba e deu o terceiro gol à Gabigol, mas o artilheiro furou sem goleiro e perdeu a chance.

Aos 45, Nico López quase diminuiu. Pablo Marí vacilou e o atacante uruguaio invadiu a área, driblou Rodrigo Caio e bateu rasteiro. A bola passou raspando na trave.

Agenda

Na próxima quarta-feira, os dois se enfrentam no Beira-Rio, em Porto Alegre, pela partida de volta. O adversário de um deles na semifinal da Libertadores será definido na terça, quando o Palmeiras recebe o Grêmio após ter vencido a partida de ida no Rio Grande do Sul.

Antes disso, no domingo, o Inter visita o Goiás às 16h e o Flamengo visita o Ceará às 19h, pela 16ª rodada do Brasileirão.

FICHA TÉCNICA:
FLAMENGO 2 X 0 INTERNACIONAL

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 21 de agosto de 2019 (Quarta-feira)
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Roberto Tobar (Chile)
Assistentes: Christian Schiemann (Chile) e Claudio Rios (Chile)
Renda: R$ 4.758.998,75 Público: 60.797 pagantes
Cartões amarelos: Willian Arão e Rafinha (Flamengo); Guerrero e Patrick (Internacional)
GOLS: FLAMENGO: Bruno Henrique, aos 29 e 33min do segundo tempo

FLAMENGO: Diego Alves, Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Gustavo Cuéllar, Willian Arão, Éverton Ribeiro (Berrío) e De Arrascaeta (Gerson); Bruno Henrique (Piris da Motta) e Gabigol Técnico: Jorge Jesus

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba, Bruno, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel, Rodrigo Lindoso, Edenílson (Guilherme Parede), D´Alessandro (Nico López) e Patrick, Rafael Sóbis (Wellington Silva) e Paolo Guerrero Técnico: Odair Hellman