<
>

Grêmio vai precisar do que nunca conseguiu na Libertadores para derrubar Palmeiras

play
Renato volta a falar em 'melhor futebol do Brasil': 'O Grêmio é o Grêmio há quase três anos; não tem que mudar' (1:41)

Em Porto Alegre, Palmeiras venceu por 1 a 0, pela ida das quartas de final da Libertadores (1:41)

O Grêmio tem um desafio dos grandes pela frente para chegar à semifinal da Copa Libertadores pelo terceiro ano consecutivo: virar um confronto de mata-mata no torneio depois de perder a partida de ida em casa.

A derrota por 1 a 0 para o Palmeiras na Arena do Grêmio obriga o time gaúcho a vencer a partida de volta, no Pacaembu, para evitar a eliminação.

Se repetir o resultado, a decisão vai para os pênaltis; se a vitória for com pelo menos dois gols marcados, Renato Gaúcho e seus comandados conseguirão mais do que a vaga: também poderão ser o primeiro time gremista a se recuperar de um confronto da Libertadores depois de perder o primeiro jogo em seus domínios.

O mata-mata contra o Palmeiras é o 14º em que o Grêmio faz o primeiro jogo em sua casa. Agora, são oito vitórias, dois empates e quatro derrotas no retrospecto. E quando perdeu, nunca conseguiu se classificar na volta como visitante.

A última vez em que isso aconteceu foi em 2016, nas oitavas de final contra o Rosario Central, quando Marco Ruben garantiu a vitória argentina por 1 a 0 na Arena. No segundo encontro, derrota gremista por 3 a 0 e eliminação.

Antes disso, também nas oitavas, o Grêmio sofreu dois gols de Lucas Pratto e perdeu por 2 a 1 para a Universidad Católica, ainda no antigo estádio Olímpico. Na volta, 1 a 0 para o time chileno e desclassificação do time que, coincidentemente, era treinado por Renato Gaúcho.

No último dos exemplos, a lembrança mais dolorida para a torcida do tricolor gaúcho.

Em 1984, o Grêmio buscava o bicampeonato da Libertadores - já havia vencido em 1983. Com 75 mil pessoas no Olímpico, o Grêmio foi derrotado pelo Independiente na final da competição. Um empate por 0 a 0 na Argentina deu o título ao rival, que se tornava heptacampeão continental.