<
>

Forlán revela como foi briga Ferguson x Beckham e diz que Cristiano Ronaldo não vivia sem um espelho no United

play
Há 16 anos, Cristiano Ronaldo e Kléberson eram apresentados juntos no Manchester United; relembre (0:46)

O meio-campista brasileiro não vingou no clube inglês, mas o atacante português se tornou um dos maiores da história. (0:46)

Diego Forlán anunciou recentemente sua aposentadoria do futebol. E agora resolveu falar sobre assuntos que presenciou durante seus tempos de jogador.

O urugauio, que dividiu vestiário com David Beckham na época do Manchester United, contou ao jornal inglês Daily Mirror mais detalhes um dos motivos para que o meia deixasse Old Trafford. Em 2003, depois de derrota em casa do United por 2 x 0 para o Arsenal, pela Copa da Inglaterra, Beckham ficou com um olho cortado depois de uma chuteira arremessada pelo seu técnico, o grande Alex Ferguson.

Mais tarde, o treinador pediu desculpas para seu jogador, mas alguns meses depois acabou o vendendo para o Real Madrid por 25 milhões de libras. E Forlán revelou que foi necessária a intervenção de Roy Keane e Ruud van Nistelrooy para evitar que os dois não chegassem as vias de fato.

“Foi depois de uma partida contra o Arsenal na Copa da Inglaterra e Ferguson não ficou feliz porque Robert Pires fez uma jogada na esquerda, Gary Neville estava muito longe para chegar e Beckham não cobriu o lateral", lembrou.

“No vestiário, Ferguson e Beckham começaram a insultar um ao outro. Todo insulto era pior que o último e os dois homens queriam a palavra final. Então Ferguson saiu e parecia que a discussão tinha acabado, mas então Beckham disse algo mais".

Ferguson virou-se e viu uma chuteira no chão e jogou na direção de Beckham. Uma trava acertou na sobrancelha e cortou o meia. “Todos nós vimos o sangue e pensamos 'não, isso não aconteceu', mas em um momento ambos se preparavam para lutar. Foi quando Keane e Nistelrooy intervieram para separá-los”.

Ferguson mais tarde sugeriu que ele decidiu tirar Beckham fora do clube, porque seu estilo de vida do showbiz estava criando uma sombra sobre o clube. Mas Forlán insistiu que o ex-capitão da Inglaterra era um personagem realista, diferente de Cristiano Ronaldo, o jogador que mais tarde herdou a camisa número 7 no United.

Segundo o uruguaio, o português era um egoísta no vestiário. "Nada a ver com Beckham. Cristiano queria estar sempre junto de um espelho. Passava o dia todo olhando para um", finalizou.