<
>

Barcelona x Real Madrid: jornal lista dilemas se rivais contratam Neymar

play
Maurício Barros, sobre Neymar: 'É o supercraque brasileiro com maior rejeição de todos os tempos' (0:21)

Comentarista analisou situação do jogador brasileiro (0:21)

O 'El Clásico' por Neymar é o que movimenta o mercado da LaLiga neste momento. Barcelona e Real Madrid brigam atrás das cortinas para ver quem conseguirá contratar o brasileiro.

A permanência do camisa 10 no Paris Saint-Germain parece "insustentável", ainda mais após a reação da torcida na estreia do time no Campeonato Francês.

Pelo lado do Barça, a situação se "envenenou progressivamente" por conta da má relação das diretorias e, apesar das inúmeras propostas, o retorno de Neymar é extremamente complicado, mas foi um pedido de Messi e Suárez.

Os merengues levam vantagem nesse ponto: a diretoria madrilenha mantém "excelente sintonia institucional" com os franceses. E a investida de Florentino Pérez fez com que se iniciasse uma "guerra" entre os eternos rivais.

Os três clubes se encontrarão na próxima sexta-feira durante uma reunião executiva da ECA e teremos na mesma sala Bartomeu, Al-Khelaifi e o representante de Madrid, provavelmente López Jiménez, vice-presidente.

Por outro ponto de vista, o jornal AS listou os dilemas de cada um dos times na contratação:

Neymar no Real Madrid

Fator institucional:

Segundo o jornal, o acerto com Neymar seria basicamente "presidencialista". Apaixonado pelo futebol do brasileiro, o presidente já tentou sua contratação outras vezes, mas na atual situação seria "apenas uma chegada de impacto" e segue estudando os prós e contras.

Fator econômico:

O velho conhecido Fair Play Financeiro da Uefa pode ser um grande problema para o Real Madrid. É aconselhável que os clubes não tenha balanço abaixo de -100 milhões de euros em um janela, e os espanhóis já tem -170 milhões. Por outro lado, as saídas de Bale, James e Mariano poderia ser uma saída, apesar do altíssimo salário de Neymar, que é mais que o dobro do de Sergio Ramos, por exemplo.

Fator esportivo:

Zidane não pediu Neymar.

Após a chegada de Hazard, o técnico não pensaria em outro atacante, e muito menos um ponta, ainda mais dando chances para os jovens, como Vinícius Jr., Brahim Díaz, Rodrygo e Kubo. Porém, a qualidade do jogador do PSG faria Zidane "encaixar facilmente" Neymar em qualquer posição do ataque.

Fator social:

O "golpe de ilusão" que é necessário após uma má pré-temporada e o fracasso na contratação de Paul Pogba. O torcedor vibra por um "novo galático para se iludir". A chegada do brasileiro seria celebrada em dobro, não apenas por ser Neymar, mas por "desbancar" o maior rival.

Neymar no Barcelona

Fator institucional:

"Uma aposta mal calculada" pela diretoria que investiu todas as suas economias em Griezmann e durante muito tempo da janela se distanciou e afirmou que o problema era entre Neymar e PSG. Porém, quando a situação se tornou um 'Clásico', perder Neymar significa perder "pulso e foça eleitoral" para Bartomeu.

Fator econômico:

75 milhões de euros em De Jong e 120 milhões de euros em Griezmann: o Barça não pode mais gastar. A investida era em uma troca de jogadores por Neymar, mas não será possível apenas isso. E a folha salarial, já alta, pode ficar bem apertada com o brasileiro chegando à Catalunha.

Fator esportivo:

Muitos jogadores para o ataque, um "problema de convivência anunciado" pela disputa de posição entre Griezmann, Neymar e Dembelé - isso se Coutinho sair. O treinador Ernesto Valverde teve que se "remodelar" quando perdeu o brasileiro para o PSG em apenas duas semanas no cargo e agora vê a possibilidade de ter quatro dos melhores atacantes do mundo para escalar na frente de seu time - com Messi e Suárez.

Fator social:

A "dignidade" do Barça com os torcedores está em jogo após o modo como se fez a saída do brasileiro para a França. Muitos se mostraram contrários a sua volta. Porém, boas atuações podem mudar isso rapidamente. O grande golpe será perder o craque para os rivais de Madri. Isso, sim, seria uma dor de cabeça para a instituição.