<
>

Borja marca após 146 dias, Weverton pega pênalti, e Palmeiras evita vexame na Libertadores com reação incrível

play
Palmeiras e Flamengo tem obrigação de passar? César Sampaio fala em 'tragédia' no caso de eliminação na Libertadores (1:28)

Para comentarista, clubes tem que avançar nas oitavas de final da competição continental (1:28)

O Palmeiras viajou à Mendoza, na Argentina, e empatou em 2 a 2 com o Godoy Cruz nesta terça-feira, pela ida das oitavas de final da Copa Libertadores. Ambos os gols dos mandantes foram marcados por Santiago García, mas Felipe Melo e Borja igualaram o marcador.

A partida de volta será na próxima terça-feira, no Allianz Parque, às 21h30. Quem vencer, avança às quartas. Em caso de empate, o 0 a 0 e o 1 a 1 dão a vaga ao Palmeiras. 2 a 2 leva a decisão aos pênaltis. 3 a 3 ou mais coloca o Godoy Cruz na próxima fase.

Após duas derrotas consecutivas, Felipão mexeu no time e colocou Raphael Veiga, Willian e Borja entre os titulares. Por opção do técnico, Scarpa e Ramires sequer ficaram no banco. Antes do jogo começar, a torcida do Palmeiras protestou contra Dudu e o auxiliar Paulo Turra, além de entoar cantos como "time de pipoqueiro".

Para chegar nesse confronto, o time brasileiro venceu cinco jogos e perdeu um na primeiras fase, marcando 13 gols e sofrendo apenas um - ou seja, menos do que tomou na noite dessa terça. Já o Godoy havia vencido dois jogos, empatado três e perdido um em seu grupo, fazendo cinco gols e levando três.

Godoy Cruz começa com tudo

Com cinco minutos, gol dos argentinos. Andrada cruzou da direita para a esquerda, Brunetta ajeitou e Santiago García cabeceou. Weverton tocou na bola, mas não impediu o gol.

O Palmeiras, nervoso, tentou reagir, mas logo veio o segundo golpe. Aos 29, Santiago García apareceu no meio de campo para fazer o pivô e correu para a área. Após jogada de Ballaude pela esquerda, o atacante recebeu entrando pela direita e fez seu segundo gol. 2 a 0.

Reage o Palmeiras

Com 33 da primeira etapa, a sorte mudou de lado, mesmo com os brasileiros jogando mal. Willian ajeitou para Marcos Rocha cruzar. O goleiro Mehring saiu sem achar nada e, em suas costas, Felipe Melo testou para o fundo do gol.

Três minutos depois, o Godoy Cruz teve a chance de logo devolver a pancada, mas não conseguiu. Santiago García, sempre ele, recebeu na entrada da área e foi puxado por Gustavo Gómes. Wilmar Roldán deu pênalti. Em busca de seu terceiro gol na noite, García pegou a bola para cobrar a penalidade. Após um chute fraco e rasteiro, no meio do gol, Weverton esticou o pé e salvou o Palmeiras.

A redenção de Borja

O time de Felipão voltou do intervalo mais ligado e, após tentativas de Felipe Melo e William, empatou o jogo aos 11 minutos. Luan achou Borja na referência do ataque. O colombiano dominou a bola com um lindo giro, deixando Varela na saudade, e tocou entre as pernas do goleiro para igualar o marcador.

Foi o primeiro gol do atacante desde 27 de fevereiro - ou o primeiro em 146 dias. Na ocasião, pela 9ª rodada do Campeonato Paulista, Borja fez o terceiro gol na vitória por 3 a 2 sobre o Ituano. O atacante não havia sido titular em nenhuma partida após a pausa da Copa América.

Esse foi o 10º gol de Borja pelo Palmeiras em Libertadores, se isolando como terceiro maior artilheiro da história do clube na competição. À frente, apenas Alex, com 12, e Tupãzinho, com 11.

Reta final movimentada

Após o empate palmeirense, os argentinos voltaram a buscar mais o ataque e tentar a vitória. Com 25 minutos, Varela cabeceou com perigo, e com 30 Brunetta soltou o pé pela direita, exigindo boa defesa de Weverton.

Aos 43, Bruno Henrique bateu uma falta com muito perigo, fazendo Mehring se esticar inteiro para impedir a virada. Nos quatro minutos de acréscimos, o Palmeiras ainda pressionou, mas nenhuma chance real de gol foi criada e o placar seguiu em 2 a 2.

Tabu prolongado

Nesta terceira passagem de Felipão no comando palmeirense, nunca o time conseguiu uma vitória após começar perdendo. Apesar de conseguir o bom resultado em Mendoza, mais uma partida entrou na conta.

A última virada do Palmeiras foi em 2 de junho de 2018, quando o time de Roger Machado fez 3 a 1 no São Paulo. Com Felipão no comando, só em 2012 - 3 a 1 contra o Figueirense, na Arena Barueri.

Agenda

Antes de decidirem a vaga nas quartas da Libertadores, os dois times jogam por seus campeonatos nacionais.

No sábado, às 17h, o Palmeiras recebe o Vasco pelo Brasileirão. Às 15h30, pouco antes, o Godoy Cruz visita o San Lorenzo pela primeira rodada do Campeonato Argentino.

Quem avançar às quartas da Libertadores encara Grêmio ou Libertad (PAR). Os dois fazem o jogo de ida das oitavas nessa quinta-feira, às 21h30, em Porto Alegre.

FICHA TÉCNICA:
GODOY CRUZ 2 x 2 PALMEIRAS

Local: Estádio Malvinas Argentinas, em Mendoza, Argentina
Data: 23 de julho de 2019, terça-feira
Horário: 21h30 (Brasília)
Árbitro: Wilmar Roldán (COL)
Assistentes: Alexander Guzman e Dionisio Ruiz (COL)
VAR: Victor Carrillo, auxiliado por Michael Espinoza e Jonny Bossio (PER)
Cartão Amarelo: Aleo e Brunetta (Godoy Cruz); Luan (Palmeiras)
Cartão Vermelho:
Gols:
GODOY CRUZ: Santiago García, aos cinco e aos 28 minutos do 1º tempo PALMEIRAS: Felipe Melo, aos 33 minutos do 1º tempo, e Miguel Borja, aos 13 minutos do 2º tempo

GODOY CRUZ: Mehring; Varela, Arena, Cardona e Aleo; Gutiérrez, Andrada e Bullaude (Manzur); Brunetta, Merentiel (Prieto) e Santiago García Técnico: Lucas Bernardi

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Luan e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Raphael Veiga; Willian (Hyoran), Dudu e Borja Técnico: Luiz Felipe Scolari