<
>

Meia da Argentina coloca Brasil como favorito na Copa Améria, mas destaca 'fator Messi'

play
'A Argentina não é favorita em nenhum dos jogos': Sebá Dominguez fala sobre expectativas para a seleção de Lionel Messi (1:13)

Para o ex-jogador e hoje comentarista, a seleção chega com muitos nomes novos e pouca experiência, o que tira o favoritismo das últimas edições do torneio (1:13)

O meia Rodrigo de Paul admitiu nesta quarta-feira, em entrevista coletiva, que a seleção brasileira é a maior favorita a conquistar a Copa América, que começa daqui dois dias, mas lembrou da força 'albiceleste', por contar com o atacante Lionel Messi.

"O campeão é um só, acho que o principal candidato, por ser sede e pelos jogadores que têm, é o Brasil. Nós sabemos que temos o melhor do mundo. Se formos de pequeno passo, em pequeno passo, podemos sonhar", garantiu o titular da Udinese, da Itália.

De Paul, que esteve no encontro com jornalistas junto com o zagueiro Germán Pezzella, em Salvador, palco do duelo deste sábado com a Colômbia, exaltou a figura de Messi, especialmente pela humildade com os jogadores mais jovens da seleção.

"Na verdade, ele é mais um. Compartilhamos momentos juntos, e é importante o que ele transmite. É um prazer estar aqui e compartilhar uma Copa América com ele. Que ele se coloque no mesmo nível que nós, ao nosso lado, nos deixa muito feliz", afirmou o meia.

Questionado sobre o ambiente da seleção da Argentina, que foi marcado por momentos conturbados nos últimos anos, De Paul disse se haver muita alegria entre os jogadores.

"Eu me levanto e, ao ver que visto essa camisa, já fico de bom humor. A verdade, é que todos somos um grupo que está sempre de bom humor. Nunca estive em um grupo tão feliz. Talvez, porque vestir a camisa da seleção permite isso", garantiu De Paul.

Sobre a seleção colombiana, adversária no jogo de estreia, o jogador da Udinese admitiu se tratar de um compromisso difícil, pelo peso da aparição inicial da competição, mas destacou que é preciso pensar em todos os adversários do grupo B.

"O primeiro jogo é importante, mas também não temos que nos preocupar com isso. Enfrentaremos um grande adversário, será muito importante para a confiança da equipe, mas são três jogos, nada vai ser definido até enfrentarmos o Catar. Não deixa de ser só mais um jogo da fase de grupos", avaliou.