<
>

No Liverpool, Salah foi responsável pela diminuição dos crimes de preconceito na cidade

Segundo estudo da Universidade de Stanford, a chegada de Mohamed Salah causou diminuição significativa no preconceito aos islâmicos em Liverpool. Desde que o atacante egípcio chegou, em julho de 2017, os crimes na região relacionados ao anti-islamismo foram reduzidos em 19%.

A partir do momento que estreou, Salah foi às redes em 71 oportunidades e em todas ajoelhou e agradeceu rezando com a cabeça apoiada no chão, na típica comemoração muçulmana. O estudo diz que a diminuição nesse tipo de violência tem maior chance de ter acontecido pela familiaridade com a religião.

A análise conduzida pelo laboratório de políticas de imigração da universidade concluiu que os tuítes anti-islamismo diminuíram em 53% desde a chegada do atleta. Isso levou em conta torcedores de todos os maiores oito times da Premier League. Nenhum outro tipo de ofensa teve tamanha queda no país.

"Nosso resultados indicam que a exposição positiva de modelos de vida como Salah podem revelar novas informações que humanizam o grupo que pertencem numa larga escala.

Campeão da Champions League e artilheiro do time na competição, além de artilheiro da Premier League, Mohamed Salah tem se tornado ídolo na Inglaterra. O atacante marcou o primeiro gol na final do Europeu, contra o Tottenham, o que colaborou para seu apelido desde os primeiros gols: Rei do Egito em Liverpool.

Na elaboração dos estudos, mais de 8 mil fãs do Liverpool participaram, além de mais de 15 milhões de tuítes analisados.