<
>

Fala muito? Tradutora estudou 'Titês' antes de jogo do Brasil com a República Tcheca

Nove repórteres cercam Lucie Dlouha na acanhada sala de entrevistas coletivas. Em seu inseparável caderninho estavam informações até então desconhecidas. O conteúdo é valioso: como o adversário da República Tcheca entrará em campo nesta terça-feira, no amistoso contra a seleção do Brasil.

Tite e Sylvinho (e antes Casemiro) passaram quase uma hora respondendo, explicando – às vezes despistando – detalhes de como o time vai se portar após um empate ruim contra o Panamá.

E Lucie, a tradutora oficial do evento, precisou caprichar na lição de casa. “Eu estudei muito, em geral coisas que envolviam a seleção nestes jogos. Vi coletivas do Tite na convocação, antes e depois do jogo contra o Panamá”, fala à ESPN.

Conto que no Brasil alguns termos do treinador são curiosos mesmo pra quem fala o português. “Teve muitos. Tenho aqui no caderninho muitos”, diz a tradutora, corada com os questionamentos.

A jornada de hoje foi dupla na Eden Arena, palco do amistoso entre República Tcheca e Brasil. Primeiro ela auxiliou os jornalistas brasileiros a entenderem o que o treinador Jaroslav Šilhavý e o defensor Marek (do Basel-SUI) respondiam. Depois, fez o trabalho inverso. “Foi mais difícil, certamente. Ele fala mais, é mais técnico, mais específico. Tem muitas informações na entrevistas”, conta.

Nascida na República Tcheca, Lucie é fluente em inglês, espanhol e estuda francês. “Agora estou tentando entender o português”. Algumas palavras ela decorou: “Criatividade, renovação, nova etapa, setor de criação foram as que mais foram ditas.