<
>

Estrela Vermelha bate o Liverpool e conquista sua primeira vitória na Champions League na história

play
De Salah cabisbaixo à alegria inédita: as 10 melhores fotos de Estrela Vermelha x Liverpool (0:35)

A equipe da Sérvia venceu o time de Roberto Firmino e Alisson por 2 a 0 (0:35)

O Estrela Vermelha fez história. Em casa, o time sérvio conquistou não apenas sua primeira vitória nessa edição da Uefa Champions League, mas também sua primeira vitória na história no torneio continental, com destacada atuação do goleiro Borjan.

(Vale aqui o registro histórico de que o Estrela Vermelha conquistou a European Cup, torneio que precedeu a Champions League, em 1991, mesmo ano em que conquistou o Mundial de Clubes, sobre o Colo-Colo).

Com o 2 a 0 sobre o líder Liverpool, o time da Sérvia empata com o PSG, com quatro pontos na classificação do Grupo C. O Liverpool segue na liderança. com 9, e o Napoli, com cinco, segue na segunda posição.

Os dois gols do jogo foram marcados pelo grandalhão Pavkok, camisa 9, que foi escalado justamente por sua estatura, para poder competir com a zaga do Liverpool. E a estratégia deu certo logo de cara.

Aos 22, o escanteio batido da direita por Marko Marin encontrou o centroavante sozinho dentro da área, a despeito da marcação de Lalana. Era, na verdade, a terceira bola alçada com perigo à área inglesa.

O segundo gol não demorou a sair. E foi novamente de Pavkov. Com categoria, o atacante bateu da entrada da área, o goleiro Alisson não alcançou e viu a bola entrar quase no seu ângulo direito, aos 26.

A partir daí, é claro, o time sérvio se fechou. E o Liverpool começou um jogo de insistência de quase 70 minutos. O massacre, em termos de posse de bola, foi grande. O Liverpool teve a bola dominada em aproximadamente 75% do tempo. Mas não consegui marcar.

Na segunda etapa, Jurgen Klopp tentou mudar o jogo, com Joe Gomez pela direita e Firmino no ataque, ao lado de Salah e Mané. Aos 10, Robertson acertou o travessão, em chute de longe.

Cada vez mais recuado, o Estrela Vermelha praticamente não deixava seu campo defensivo. Foram apenas sete chutes a gol dos donos da casa, contra 21 do time inglês.

Aos 48 do segundo tempo, Salah teve a bola do jogo, mas o goleiro Borjan fez excelente defesa - como já fizera aos 39, em cabeçada de Van Djik, e aos 25, em chute de fora também do craque egípcio.

Aos 50, o juiz apitou. E o que parecia impossível, aconteceu. Belgrado testemunhou a história sendo feita.