<
>

Romário, Ronaldinho, Rivaldo e outros craques levam calote milionário; jornal revela como foi

O jornal espanhol Marca revelou nesta terça-feira que diversos ex-astros da bola revelaram calotes milionários no Kuwait.

De acordo com veículo, Romário, Ronaldinho Gaúcho, Verón, Rivaldo, Cafu, Yaya Touré, Abidal e Michel Salgado foram convidados para o Alkhurainejtour, um torneio amistoso realizado durante o Ramadã que já teve várias edições.

O anfitrião da competição é Mubarak Al-Khurainej, ex-vice-presidente da Assembleia Nacional do Kuwait e ex-presidente do Parlamento nacional. Em 2018, ele quis dar um upgrade no evento, e chamou diversas estrelas para participarem.

Segundo o jornal, os oito ex-jogadores que toparam a aventura assinaram contratos com a agência britânica DreamPro Events, que é comandada pelo filho mais novo de Mubarak, Abdullah. A cada um foi prometido um cachê de US$ 1.637.600,00 (R$ 6.128.554,24) pela presença.

Todos viajaram ao Kuwait e cumpriram tudo o que havia sido combinado: disputaram as partidas contra estrelas do futebol local, participaram de jantares de gala com os organizadores e concederam entrevistas para a imprensa do país. Parecia tudo perfeito.

O problema foi na hora do pagamento...

Geralmente, esses ex-jogadores solicitam 50% do pagamento no momento da assinatura do contrato e a metade restante na chegada ao país que sedia o evento. Dessa vez, porém, todos toparam receber 100% na chegada ao Kuwait, até pelo fato da família Al-Khurainej ter boas credenciais e ser conhecida na nação do Oriente Médio pela relação próxima com a família real.

Quando a trupe chegou ao seu destino, receberam recibos de pagamentos feitos a partir de um banco em Macau (região administrativa especial da China, assim como Hong Kong). No entanto, ao checarem suas contas bancárias, os ex-atletas viram que o dinheiro não havia caído.

A DreamPro Events disse, então, que havia acontecido um pequeno problema e que os pagamentos seriam feitos novamente, desta vez a partir de um banco sediado em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. Novamente, porém, nada da grana aparecer nas contas.

Insatisfeitos, os astros da bola confirmaram ao Marca que já entraram com ações legais contra os caloteiros.

OUTRO LADO

O jornal entrou em contato com Ahmed, filho mais velho de Mubarak Al-Khurainej. O também empresário assegurou que tudo o que foi prometido aos participantes foi "cumprido de maneira perfeita".

"Adiantamos os fundos à DreamPro e, quando os jogadores chegaram, transferimos tudo o que havia sido combinado. Inclusive todos me pediram vários aumentos correspondentes aos importos cobrados. Eles sempre queriam mais, e ficaram pedindo cada vez mais dinheiro", defendeu-se.

Ahmed disse estar com a consciência tranquila e não vê qualquer motivo para perder as ações judiciais.

"Juridicamente, fizemos tudo de maneira correta. Havia um contrato com a DreamPro e cumprimos toda a nossa parte. Legalmente, estamos tranquilos, mas não queremos ver as lendas do futebol insatisfeitas. Queremos organizar esse torneio de novo e precisamos deles", afirmou.

"Estou disposto a ir à Espanha para dar minha versão do ocorrido. Queremos resolver tudo da melhor maneira. Sincemente, não entendi o que aconteceu", finalizou.