<
>

Após 43 jogos em 2022, Palmeiras vai na contramão de rivais e tem só um jogador no DM; coordenador revela como isso foi possível

play
Abel Ferreira rasga elogios aos jogadores do Palmeiras e afirma: 'Minha responsabilidade no sucesso do time é 30%' (1:41)

VEJA o SportsCenter AO VIVO pela ESPN no Star+ (1:41)

Palmeiras está com departamento médico vazio, ao contrário de rivais da capital paulista


Quando o Palmeiras entrar em campo nesta quarta-feira (29), às 19h15 (de Brasília), contra o Cerro Porteño, pela Conmebol Libertadores, estará fazendo seu 44º jogo em 2022 - a equipe fez sua estreia em 23 de janeiro. Mas, apesar da maratona enlouquecedora de partidas, o departamento médico do Verdão está vazio.

No momento, o DM palestrino só tem um atleta: o volante Jaílson, que contundiu o joelho durante treino em 24 de abril, passou por operação e só deve voltar em 2023.

Não há, todavia, qualquer atleta com lesão muscular ou outro tipo de lesão, e o técnico Abel Ferreira tem plantel praticamento 100% disponível para o duelo em Assunção - a exceção é o lateral-esquerdo Jorge, que testou positivo para COVID-19 e entrou em isolamento.

A situação no Palestra Itália vai totalmente na contramão dos principais rivais do clube, o Corinthians e o São Paulo, que estão com departamentos médicos lotados.

O Timão ganhou o "reforço" de Fagner e Willian no DM na última terça-feira (28), durante jogo contra o Boca Juniors, pela Libertadores. Também estão em recuperação nomes como Maycon, Gil, Renato Augusto, Gustavo Mosquito, Du Queiroz e Rafael Ramos.

No Tricolor, a situação também é desesperadora. Além de Arboleda, que machucou o tornozelo com gravidade, atletas como Andrés Colorado, Talles Costa, Gabriel Sara, Alisson, Nikão, Luan e Caio estão em tratamento no Reffis.

O Palmeiras, por sua vez, viu o meia Raphael Veiga e o lateral-direito Marcos Rocha terem problemas musculares recentementes, mas com recuperações rápidas. Ambos inclusive já estão 100% recuperados e prontos para o duelo desta quarta, na capital do Paraguai.

Até mesmo Gabriel Veron, que sofreu com constantes lesões desde que foi promovido da base ao profissional, vem atuando com muito mais regularidade em 2022.

Nesta temporada, o garoto soma 31 partidas, muito mais que em 2021 (quando só jogou 20 vezes) e em ritmo forte para bater 2020 (quando fez 37 participações).

Como o Palmeiras conseguiu deixar DM vazio?

Segundo Daniel Gonçalves, coordenador científico do Alviverde, o departamento médico vazio na Academia de Futebol é fruto de trabalho conjunto da comissão técnica palestrina com o NSP (Núcleo de Saúde e Performance) do clube.

"O Palmeiras se planeja para contar com a totalidade do seu elenco nos momentos mais importantes da temporada. Em um trabalho conjunto do Núcleo de Saúde e Performance com a comissão técnica, analisamos minuciosamente o calendário a fim de minimizar os riscos de lesão e preparar os atletas para os jogos decisivos", explicou Gonçalves, ao ESPN.com.br.

De acordo com o profissional, os membros do plantel palestrino são analisados minuciosamente de maneira diária, principalmente com avaliações de fadiga, que são essenciais para previnir as contusões musculares.

Gonçalves também destaca o forte investimento do Palmeiras nos últimos anos na compra de aparelhos de última geração para o DM, além da contratação de profissionais gabaritados.

"No dia-a-dia de atividades, os atletas passam por avaliações investigativas de fadiga e cumprem todos os protocolos preventivos, desenvolvidos em conjunto com as áreas de fisiologia, fisioterapia, preparação física e nutrição, entre outras. Além disso, o clube possui recursos tecnológicos e profissionais de excelência, proporcionando que os jogadores lesionados se recuperem bem e de forma acelerada", salientou.