<
>

Ex-comandado por Renato Gaúcho conta bastidores, cita desentendimento com técnico e dispara: 'Zero trabalho. Era só resenha'

Hoje no Besiktas, da Turquia, Souza, ex-nome de clubes como Grêmio, Vasco e São Paulo, falou sobre Renato Gaúcho


Com 33 anos e mais um ano de contrato com o Besiktas, da Turquia, Souza, meio-campista com passagens por clubes como Vasco da Gama, Grêmio e São Paulo, concedeu entrevista ao Charla Podcast.

Dentre diversos temas, o brasileiro comentou sobre o período que trabalhou com o técnico Renato Gaúcho quando ambos estavam no Grêmio, em 2013. Souza foi bastante crítico sobre a passagem do ídolo do Imortal no clube há quase uma década, mas aproveitou para exaltar Vanderlei Luxemburgo, com quem havia trabalhado um ano antes.

“Luxemburgo foi muito bom, um dos melhores com que eu trabalhei. Me ensinou muito, eu, como volante, aprendi muito. As pessoas falam muito dele, mas ele é bom. Motivador, trabalha, é um treinador que trabalha. Eu estive com o Renato também, um ano, zero trabalho. Zero, só resenha. As pessoas falam que dá resultado...depende”, disse o meio-campista.

“Para mim, tem uma coisa que o Pep Guardiola falou e eu concordo muito com isso. Para ele, é muito mais válido ganhar uma Liga do que ganhar uma Copa. Ganhar um campeonato é consistência. Não é uma sorte ou alguns meses. Renato ganhou muita Copa no Grêmio, mas vê o que ele fez no Campeonato Brasileiro. Mas olha o Luxemburgo. É um treinador de consistência”, explicou.

Renato Gaúcho tem o costume de dar preferência às competições de mata-mata pelos clubes nos quais trabalha. No Flamengo, último time que dirigiu, o treinador levou a equipe ao vice-campeonato da Conmebol Libertadores e à semifinal da Copa do Brasil, encerrando o Campeonato Brasileiro em segundo lugar, 13 pontos atrás do Atlético-MG, campeão.

“Não é que ele abandona o Brasileiro. Ninguém abandona nada. Ele tenta, mas chegamos à semifinal da Copa do Brasil, perdemos para o Athletico-PR. No Brasileiro, ficamos em terceiro, quarto, tínhamos um bom elenco. Aí depois ele deixou o Grêmio...não adianta, cara. Tem que trabalhar. Não adianta ficar na praia. A gente viu o resultado aí no Flamengo”.

Souza aproveitou ainda para revelar que não nutria grande relação com o treinador no período do Grêmio. Nas palavras do meio-campista, Renato não estava satisfeito em ver Zé Roberto como principal figura no Imortal e tomou atitudes internas para atingir o experiente meio-campista.

“Fora de campo, teve uma situação que eu fiquei chateado com o Renato. Lá no Grêmio, desde a época do Luxa, ele brincava com nós, mas nunca nos impediu de fazer nada. Mas, quando ele chegou, de alguma forma ele queria afetar o Zé Roberto. Acho que ele queria ser o cabeça lá”, explicou.

“E ele ficava com uma implicância com o Zé. Uma vez o Zé estava pregando, eu pregava às vezes também, e ele mandou acabar com a nossa reunião, dizendo que a gente tinha que se concentrar pra jogo. E eu disse que não concordava, a gente deu uma retrucada, mas eu sabia quem ele queria ferir. Não gostei muito dessas atitudes. E, em campo, não víamos muito trabalho. A gente gostava de trabalhar. Então a gente não gostava muito”.