<
>

Final da Champions entre Real Madrid e Liverpool pode ter recorde de brasileiros em campo; veja o ranking histórico

play
Liverpool e Real Madrid protagonizam final mais repetida da história da Champions; relembre outros duelos (0:56)

Equipes se encontram pela terceira vez na decisão do torneio, e se isolam entre os confrontos (0:56)

Real Madrid e Liverpool devem fazer a final mais brasileira da história da Champions


Real Madrid e Liverpool, que se enfrentam neste sábado (28), deverão fazer a final mais brasileira da história da Champions League. Somando os dois times, são oito jogadores nascidos no Brasil que podem entrar em campo. No clube merengue, são cinco: Casemiro, Militão, Rodrygo, Vinicius Jr. e Marcelo, que deverá começar no banco; pelo lado inglês, Alisson e Fabinho são titulares absolutos, enquanto Firmino virou reserva. O número poderia ser ainda maior, mas Thiago Alcântara, filho de brasileiro e nascido na Itália, se naturalizou espanhol. Caso seis dos atletas citados acima joguem, o recorde anterior será batido. Em outras três decisões de Liga dos Campeões, cinco brasileiros estiveram em campo.

Em 2021, na vitória do Chelsea por 1 a 0 sobre o Manchester City, jogaram Ederson, Fernandinho e Gabriel Jesus pelos Citizens, enquanto Thiago Silva, que saiu machucado, e Jorginho (naturalizado italiano) defenderam os Blues. Emerson Palmieri, que defende a Itália, ficou no banco de reservas.

Outra decisão que teve cinco brasileiros ocorreu em 2016, quando o Real Madrid venceu o Atlético de Madrid nos pênaltis após empate por 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação. Marcelo, Casemiro, Danilo e Pepe (naturalizado português) ergueram a taça pelo clube merengue. No time derrotado atuou Filipe Luís, atualmente no Flamengo.

O Barcelona, que derrotou o Arsenal por 2 a 1 de virada em 2006, teve em campo Edmílson, Ronaldinho Gaúcho, Deco (naturalizado português) e Belletti, que entrou no segundo tempo e marcou o gol do título. Gilberto Silva foi titular dos Gunners.

Finais com quatro brasileiros

Em 1988, o Benfica que perdeu a decisão nos pênaltis para o PSV – após empate por 0 a 0 - tinha: Elzo, Mozer, Chiquinho Carlos e Wando.

O Milan, derrotado nas penalidades para o Liverpool, após sair ganhando por 3 a 0 no primeiro tempo, escalou Dida, Cafu, Kaká e Serginho.

Em 2014, o Real Madrid derrotou na prorrogação o Atlético de Madrid por 4 a 1, com um gol de Marcelo. Já a equipe de Simeone tinha Miranda, Filipe Luis e Diego Costa, que é naturalizado espanhol e saiu ainda no primeiro tempo.

O PSG escalou Neymar, Thiago Silva e Marquinhos na única decisão que participou, em 2020. No entanto, acabou derrotado pelo Bayern de Munique, que colocou Coutinho no segundo tempo.

Em 2017, Casemiro balançou as redes na vitória do Real Madrid, que tinha também Marcelo, por 4 a 1 sobre a Juventus de Daniel Alves e Alex Sandro.

Lucas Moura marcou três gols que garantiram o Tottenham na final da Champions League. No entanto, só entrou na decisão no segundo tempo e viu sua equipe perder por 3 a 1 para o Liverpool de Alisson, Fabinho e Firmino.

play
0:56

Liverpool e Real Madrid protagonizam final mais repetida da história da Champions; relembre outros duelos

Equipes se encontram pela terceira vez na decisão do torneio, e se isolam entre os confrontos

Primeiros brasileiros em final

A primeira vez que um brasileiro jogou a final foi logo na segunda edição da Copa dos Clubes Campeões Europeus (antigo nome da Champions), realizada em Madri. O Real Madrid derrotou a Fiorentina por 2 a 0. Pelo lado da equipe italiana atuava a lenda Julinho Botelho, que defendeu com muito sucesso também Palmeiras e Juventus-SP.

O primeiro título de um brasileiro aconteceu em 1960, quando o Real Madrid goleou o Eintracht Frankfurt por 7 a 3. O jogador Canário, ídolo do América-RJ, foi titular da equipe merengue comanda por Alfredo Di Stéfano.

José Altafini, o Mazzolla, campeão mundial pelo Brasil em 58, venceu a final de 63 pelo Milan contra o Benfica (fez dois gols ) e perdeu a de 1973 para o Ajax, quando defendia a Juventus.

A última decisão que não teve brasileiros em campo foi em 1999, quando o Manchester United venceu de virada o Bayern de Munique por 2 a 1 no Camp Nou. Desde então, todos os anos algum brasileiro disputou - e venceu - a competição.