<
>

Pato revela por que decidiu rescindir com o São Paulo: 'Tive um pouco de estresse'

Alexandre Pato relembrou sua saída do São Paulo e explicou o que lhe levou a pedir a rescisão


Alexandre Pato teve uma segunda passagem apagada pelo São Paulo entre 2019 e 2020, saindo com rescisão amigável de contrato. Em entrevista ao site GE, o atacante do Orlando City explicou o que lhe levou a pedir para sair.

“Quando eu rescindi com o São Paulo, não foi nem por jogar. Eu estava praticamente vendido no ano em que eu estava lá. Eles queriam uma negociação que não queria. Eu tive um pouco de estresse. Foi com o Cuca e com o Diniz, e eu não queria. Era para o mundo árabe, e eu não sabia. Eu queria ficar, porque eu daria conta do recado”, disse.

“Cheguei com o contrato junto ao Raí e disse que não queria ficar mais, que tinham muitas coisas que não faziam parte do que tínhamos combinado. Tivemos algumas discussões na pandemia. Alguns jogadores combinavam alguma coisa e alguns pediam para que eu pudesse ajudar. Eu não queria ficar nesse estresse, eu queria fazer o melhor ao São Paulo”, completou.

O contrato de Pato terminaria em dezembro de 2022, mas o atacante abriu mão do que tinha a receber, além das luvas atrasadas. A economia foi de cerca de R$ 35 milhões, se contando todo o acordo até o fim.

“Rescindindo o contrato eu pensava com carinho ao São Paulo. A minha decisão foi por aquilo que eles tinham feito lá atrás, quando abriram as portas para mim em 2013. Pelo torcedor são-paulino, eu tenho carinho. A minha decisão de deixar o São Paulo foi para eu ficar bem mentalmente e o torcedor sempre ficará no meu coração”, afirmou, antes de afirmar que não tem mágoa do Tricolor.

“A parte do perdão, eu acho que você sempre tem que buscar o melhor do outro. Sempre o meu lado, quanto o do São Paulo, temos nossos objetivos e sobrevivência. Não tenho mágoa de ninguém. Sou uma pessoa livre, de cabeça tranquila. A pessoa que mais fez mal para mim, não tenho nenhum rancor”, finalizou.