<
>

Não foi só o Rangers: relembre clubes que faliram e se reergueram para jogar de Champions a Libertadores

Assim como o Rangers, outros times chegaram a decretar falência, mas retornaram à elite do futebol de seus continentes


O Rangers busca fazer história nesta quarta-feira (18) na final da Europa League contra o Eintracht Frankfurt, às 16h (de Brasília), com transmissão ao vivo pela ESPN no Star+, podendo conquistar seu primeiro título na história do torneio e quebrando tabu de 50 anos sem título europeu.

Além disso, porém, a conquista pode significar o retorno do time à Champions League depois de 12 anos ausente da fase de grupos da competição. No período, o clube sofreu a grande derrota de sua história: a falência decretada em 2012 e a missão de subir da quarta divisão nacional para a elite até a tentativa de voltar ao grande palco do futebol europeu.

Tal feito, porém, não é inédito. Na Champions, outras três equipes conseguiram retornar anos depois decretarem falência. O caso mais famoso é do Napoli. Depois de quase ser extinto em 2004, o clube renasceu sob o comando de Aurelio de Laurentis e retornou para a elite europeia na temporada 2011/12, quando chegou até as oitavas.

Outro time italiano que sofreu com a falência foi a Fiorentina. O time, que foi finalista da Copa dos Campeões em 1957, sofreu com o processo em 2002, mas retornou à Champions em 2008/09, ficando pela fase de grupos.

Mais recentemente, em 2013, o AEK Atenas também sofreu com problemas financeiros e foi à falência. Em 2018, porém, foi campeão grego e no ano seguinte disputou a fase de grupos da Liga dos Campeões. O desempenho, porém, deixou a desejar, com o time não marcando pontos.

Na América do Sul, o Racing, da Argentina, teve a falência decretada em 1999, chegando a se tornar uma SAF entre 2000 e 2008. O retorno do time à Conmebol Libertadores, porém, foi mais rápido. Em 2003, o time voltou e chegou nas oitavas.