<
>

Análise: Inspirado em LoL, Pokémon Unite tem carisma suficiente se diferenciar de outros MOBAs

Pokémon United, novo jogo da Nintendo Divulgação/Nintendo

Depois de muita espera por parte dos fãs da Nintendo, Pokémon Unite chegou ao Nintendo Switch no último dia 21 de julho trazendo os monstrinhos de bolso para o mundo dos MOBAS. Não demorou nem mesmo um dia para que torneios se espalhassem por fórums do Reddit, servidores de Discord e grupos no Facebook.

Houve um tempo, lá pelos idos de 2010, que nasceu uma febre onde toda grande produtora tentou ter seu próprio jogo de batalha em arenas. Vimos de um tudo: MOBA dos Senhor dos Anéis, da DC… MOBA em primeira pessoa, em terceira pessoa… de um tudo.

Todo mundo queria entrar na onda de League of Legends e Dota, jogos que estavam na moda e que eram “desconhecidos”. Foi uma enxurrada de games do gênero tentando pegar uma fatia desse mercado. A grande maioria falhou miseravelmente.

Não bastava fazer mecânicas incríveis, trazer personagens famosíssimos ou gráficos fabulosos. Para entrar em um mundo como o dos MOBA e criar uma comunidade ao redor desse jogo é necessário muito mais do que apenas isso. É necessário tempo e investimento. Muito investimento.

Em 2021 o mundo é diferente de uma década atrás. A Nintendo e a Pokémon Company construíram uma comunidade forte e vibrante, já a expertise da TiMi Studios nem chega a ser uma aposta, mas sim uma certeza de que os monstrinhos serão tão bem cuidados quanto seriam em um Centro Pokémon. E esse é o grande diferencial do game.

POKÉMOBA

Unite é uma espécie de mistura entre a ação de um MOBA com basquete. Em uma arena com dois caminhos, dois times formados com 5 jogadores precisam se enfrentar para controlar o mapa. Você e seu monstrinho precisam combater adversários e monstros neutros e coletar uma energia chamada Aeos. Essa energia precisa ser depositada em um aro do campo adversário e ao depositar uma certa quantidade dessa energia, o aro é destruído. Com isso, seu time avança no campo inimigo para destruir o próximo aro. Vence o time que consegue destruir todos os aros inimigos ou quem tiver mais pontos no final de 10 minutos.

Essa foi a forma mais simplista para descrever como se desenrola uma partida de Pokémon Unite e, assim como qualquer MOBA, existem pormenores que vão adicionando elementos estratégicos ao game, como derrotar monstros poderosos que concedem vantagens que ajudam a empurrar as rotas.

Porém, diferente de Dota e LoL, os Pokémons não precisam comprar itens para ficar mais fortes. Os monstrinhos se garantem apenas com suas habilidades inatas, assim como é em Heroes of the Storm. Essa simplificação é para um bem maior, afinal, o público-alvo não é o fã hardcore do gênero. Já existem jogos para esse fã e ele já está bem servido.

No lançamento são 19 monstrinhos que estão à disposição e eles vão desde os básicos Pikachu, Squirtle, Charmander e Bulbasaur até os lendários Lucario e Zeraora. E é claro que a TiMi já tem planos para lançar novos monstrinhos no futuro - e eles têm mais outros 871 Pokémon para se inspirar. Cada um deles tem sua especialidade como os atacantes, defensores ou suportes.

A TiMi conseguiu trazer a personalidade dos Pokémon para a competição. As batalhas são frenéticas e no início você pode até achar que todos os bonecos são desbalanceados, afinal, até mesmo tanques como Crustle podem causar bastante dano, mas no fim das contas você vai se divertir ao ver o caos no campo de combate.

Os golpes e habilidades especiais também são bem interessantes para o mundo do jogo e muito disso se deve à personalidade da série, que ao longo dos seus 25 anos trouxe quase infinidade de monstrinhos que temos que pegar.

Como o jogo ainda está se estabelecendo, ainda não existe um “meta” para dizer como são formadas as melhores composições, então esta é a melhor fase para entrar de cabeça. Mas é notório que existem estratégias que podem ser exploradas para que o jogo não fique apenas focado em quem aperta os botões de habilidade com mais velocidade.

É importante reforçar que as partidas duram 10 minutos e isso pode ajudar os jogadores a não ficarem frustrados quando estão perdendo feio. E se você se cansar de ficar lutando no mesmo mapa existem outras duas arenas que se alternam diariamente e trazem opções de batalhas 3v3 ou 4v4. Mas fique avisado que esses mapas, apesar de trazerem novos monstros neutros e outras particularidades, não são muito equilibrados e sempre tem um ou outro ponto que pode favorecer uma formação mais resistente, de alto nível de dano ou mais rápida. Pelo lado positivo, as partidas duram apenas cinco minutos.

JOGAR ATÉ CANSAR

Na minha opinião, Pokémon Unite estava indo muito bem, obrigado. Nos dois primeiros dias consegui testar a grande maioria dos monstrinhos e estava gostando do que estava vendo. Porém, conforme fui me aprofundando no jogo e em seus submenus e sistemas, mais fui ficando com a sobrancelha em pé.

Ao longo de 14 dias você vai ganhar alguns Pokémon como Ninetails, Scorbunny e Greninja, já Slowbro e Venusaur que vão para sua conta ao atingir certos níveis de Treinador (e quem tiver jogando na janela de lançamento vai ganhar o Zeraora).

Porém, depois disso você vai viver um martírio para habilitar os outros monstrinhos na sua Pokédex pois o progresso é lento e existe um limite semanal de moedas que você pode adquirir. Essas moedas podem ser usadas para comprar itens cosméticos para seu treinador e liberar os Pokémon. São 2 mil moedas que você pode receber a cada semana e mesmo que você compre o passe de temporada, você vai demorar para liberar todos os conteúdos sem colocar dinheiro real na sua conta.

Isso é até aceitável, tendo em vista que o jogo acabou de ser lançado e que os produtores não querem dar tudo de mão beijada para os jogadores - sem falar que vivemos em um mundo capitalista. Entretanto, é importantíssimo ressaltar que Pokémon Unite precisa urgentemente de muito mais personagens para criar uma variedade estratégica e para que as partidas sejam mais diversas - 19 é um número muito baixo de competidores.

Nesses primeiros dias de jogo eu cansei de ver sempre os mesmos monstrinhos no campo de combate. Espero que essa primeira impressão seja temporária, afinal, em menos de uma semana após o lançamento a TiMi já anunciou que o próximo personagem que chegará ao jogo será Gardevoir já neste dia 28 de julho.

Neste primeiro momento, Pokémon Unite é um jogo divertido e que tem potencial até mesmo para virar um esport na mão da comunidade - a TiMi já disse em 2020 que não tem a intenção de fazer de Unite em um esporte eletrônico. Só o tempo dirá se a TiMi e a Nintendo vão dar suporte para o jogo viver por anos a fio como aconteceu com Dota e League of Legends.

VEREDITO

Ao ingressar no mundo dos MOBAs, Pokémon Unite traz o carisma dos monstrinhos de bolso a um universo em que muitos falharam por tentar bater de frente com os principais nomes do mercado sem trazer nada de novo. O game precisa de mais variedade de monstros para criar competições mais divertidas e emocionantes.

Mas é aquilo: se você tem um Nintendo Switch, baixe e experimente o jogo. Se você não tiver pressa para reunir os itens colecionáveis, de entender que este é um jogo que ainda vai mudar muito antes de se estabelecer, a diversão será garantida. Mas vale a pena frisar que a Nintendo e a TiMi precisam se comprometer em trazer mais conteúdos, fazer balanceamento constante e incentivar com que a comunidade continue ligada ao game. Se tudo isso for seguido à risca, Pokémon Unite será um grande nome no mundo dos combates de arena.