<
>

CBLoL: 'Sempre gostei do projeto deles', conta Halier sobre integrar a comissão técnica do Flamengo Esports

Halier foi técnico da latino-americana All Knights no início de 2021 Bruno Alvares & Pedro Pavanato/Riot Games

Longe do Brasil, o técnico Halier esteve atuando no servidor mexicano durante a última etapa das competições regionais como parte da comissão técnica da latino-americana All Knights. Alcançando o terceiro lugar nos playoffs da LLA, a equipe dispensou o brasileiro para encontrar novas oportunidades, o que acabou resultando em sua volta às terras tupiniquins para vestir o manto rubro-negro do Flamengo Esports como treinador assistente.

Indo do céu ao inferno em apenas algumas semanas ao ver a All Knights decidir não seguir com seus trabalhos por conta da chegada de um novo treinador que complicaria manter o brasileiro no elenco, o período de espera por um convite para voltar à ativa não demorou muito, para falar a verdade segundo o próprio treinador não durou nem quatro dias.

Já em contato com os nomes que estão à frente do projeto de esports do Flamengo antes mesmo de anunciar sua disponibilidade no mercado, a junção entre as partes foi apenas a consolidação do casamento em um namoro que já acontecia a tempos. Em meio a sondagem de outra equipe do próprio CBLoL e ofertas tentadoras de outras regiões, Halier escolheu o rubro-negro.

“Assim que anunciei que estava free agent eu já tinha mandado mensagem pro Tanure e o Jed me mandou mensagem perguntando como estava minha situação, daí marcamos uma reunião (...) O projeto do Flamengo foi o que mais me agradou, tiveram ofertas que financeiramente eram superiores, mas sempre gostei do projeto deles. O time tem um grupo vencedor que pode ser campeão, só não foi no split passado por detalhes, e eu quero conseguir preencher esses detalhes pra sermos campeões”, conta sobre como aconteceu a aproximação com a equipe em entrevista ao ESPN Esports Brasil.

Com um sentimento de alívio e felicidade por ver seu trabalho sendo reconhecido e sondado por grandes equipes, Halier retornou ao cenário brasileiro para disputar o CBLoL mais uma vez com um grande desafio à sua frente - em sua última passagem, fez parte do Santos como treinador.

Chega ao Flamengo com a tarefa de mudar o resultado insatisfatório da primeira etapa onde, após dominar a fase regular com treze vitórias e apenas cinco derrotas, configuraram o primeiro lugar na tabela acompanhado de perto pela Vorax e caíram nas semifinais contra a atual campeã brasileira, paiN Gaming. Para isso, contará com uma boa relação para ajudar da forma que conseguir o técnico Pades.

“Quando eu vi o Flamengo no primeiro split, eu já tava tendo algumas ideias do que estava acontecendo, alguns jogadores não estavam conseguindo ter uma regularidade por causa de alguns fatores. Quando tive a entrevista com o Pades, eu passei pra ele o que eu via e o que eu gostaria de fazer, ele abraçou essa ideia e sinto que está confiando muito em mim. Até hoje ele nunca me disse não, tudo o que eu propus nós fizemos”, comenta sobre a entrevista que teve com o técnico principal da equipe.

Aos seus olhos, terá a missão de diminuir o choque cultural entre os jogadores e o técnico turco, que traz um método de trabalho muito mais rígido do que se é comum ver nas equipes que disputam o principal circuito do Brasil. ”As vezes tem que ter uma pessoa que consiga conciliar essas culturas para que tudo aconteça da melhor maneira possível. É a principal função que estou fazendo fora de jogo”.

IMPORTANDO IDEIAS E MUDANÇAS REPENTINAS

Trabalhando nos últimos meses com a All Knights, Halier teve uma grande oportunidade de aprender com adversários não só do próprio cenário no qual a equipe estava inserida, mas também no cenário norte-americano, uma vez que a proximidade entre as regiões possibilita que os times latino-americanos treinem com alguns do NA.

Com muito aprendizado na bagagem que trouxe ao Brasil, a experiência que teve com as equipes dos Estados Unidos sem dúvida vai agregar muito no que o brasileiro pode trazer ao Flamengo - mesmo com o desempenho ruim da região nos últimos campeonatos internacionais -, seja fora ou dentro de jogo.

Sabendo dos problemas que as equipes brasileiras encontram com a qualidade de treinamentos e vendo como as coisas lá fora funcionam de forma muito mais rígida, o principal ponto que quer atacar com sua equipe para torná-los mais proveitosos é a seriedade e dedicação nos mesmos.

"Aqui o atraso é normal, temos diversos jogadores reclamando de atraso mas todos que reclamam sempre atrasam, é uma cultura nossa. Lá é imperdoável, se você atrasar 10 minutos o treino é cancelado e você fica manchado no discord de treinos, tendo dificuldades de encontrar novos (...) Todo esse pré e durante o treino reflete no jogo, os mapas lá são mais enriquecedores”, fala sobre os treinos na região norte-americana.

“O Pades fica bem chateado quando, por ambas as partes, seja nossa ou do adversário, o treino seja desperdiçado por conta de indisciplina, quando o time começa atrás e joga de qualquer jeito. É algo que pra ele é inaceitável, tanto que tem time que ele já falou que não tem mais vontade de treinar porque não acha que é produtivo, porque o time não tem disciplina. É bom ter um treinador que tem esse tipo de pensamento, então só vou ajudar ele a implementar na nossa equipe”, completa.

Buscando trazer essa mudança na forma de encarar os treinos, a equipe rubro-negra também sofreu com uma grande mudança semanas antes do campeonato começar: Absolut deu uma pausa momentânea em sua carreira e o Flamengo viu Netuno chegando para compor a equipe principal como titular.

O jogador que vinha impressionando a comunidade do League of Legends, com suas boas mecânicas e o bom desempenho na primeira etapa do Academy, entrou na equipe para ocupar o lugar de um dos atiradores mais renomados do cenário e, para a felicidade da equipe e dos fãs flamenguistas, estava preparado.

“O jogador da academy tem que estar preparado, muita gente pode falar que é sorte, mas é só uma combinação de você estar preparado e a oportunidade bater na porta. A oportunidade vai bater se você trabalhar e o Netuno sempre se destacou no Academy, mostrava mecânica nos treinos e sempre teve uma cabeça boa. A oportunidade foi dada, ele treinou muito bem e isso facilitou essa mudança. Ele chegou, se impôs nas necessidades da equipe, preencheu a lacuna que o Absolut tinha deixado então ele só tem a crescer”, fala sobre a chegada de Netuno para ajudar a equipe.

Calçou a chuteira, fez gol junto de todos os outros jogadores da equipe e correu para o abraço da torcida. Mostrando ótimos resultados durante as duas primeiras semanas com 100% de aproveitamento nas quatro partidas que disputou e agarrando a primeira colocação da tabela, a boa fase da equipe preocupa um pouco.

Preocupa pelo retrospecto do time, que teve o mesmo começo forte na primeira etapa de 2021 e acabou vendo o rendimento caindo aos poucos no decorrer do campeonato. Sabe que ainda é apenas o começo e que ainda tem muito chão pela frente.

“O ideal é nível coreano (risos). A gente precisa ter um começo de jogo mais sólido, jogamos muito bem defensivamente e se recuperando, precisamos só melhorar nossa proatividade nesse early game, então precisamos encaixar alguns fatores nesse começo de jogo e fazendo isso vamos conseguir ter uma estabilidade maior durante o campeonato e galgar um lugar mais longe nesse split”, conclui sobre o que falta melhorar na equipe.

O Flamengo entra em Summoner’s Rift neste sábado (19) pela terceira rodada do Circuito Brasileiro de League of Legends. O primeiro confronto da equipe no fim de semana acontecerá contra a FURIA e para fechar, enfrentará a Netshoes Miners na próxima quinta (24) - equipe essa que teve seus jogos adiados por conta de casos de COVID-19.