<
>

Amazônia, Rio e São Paulo: Quando o Brasil serviu de cenário para os videogames

Alguns dos momentos em que o Brasil foi palco para os videogames Capcom/Polyphony Digital/Rockstar

No último dia 20 de maio, a Blizzard anunciou novidades sobre o segundo Overwatch, incluindo um mapa cheio de referências à cidade do Rio de Janeiro.

A Cidade Maravilhosa estará no game de tiro por equipes com diversas referências, incluindo comunidades, praia e trilha sonora. O mapa terá até o “Bar da Peixuxa”, estabelecimento comercial criado para um mapa de outro game de tiro, o Counter-Strike 1.6.

Já que o Brasil estará em destaque no próximo Overwatch, vamos relembrar outros momentos em que o país esteve em destaque no mundos dos games e serviu como palco para corridas, lutas ou momentos de ação.

COUNTER-STRIKE 1.6

O mapa homenageado por Overwatch 2 é “cs_rio”, criado para a versão 1.6 de Counter-Strike por Joca Prado e Roger Sodré em 2001. O mapa é ambientado em uma comunidade carioca, cheia de becos, um campo de futebol, e vielas, ao som de funk e o samba “A Semente”, de Bezerra da Silva, e com o “Bar da Peixuxa” como parte do cenário.

JOGOS DE CORRIDA

O Brasil é um dos países mais importantes do automobilismo mundial, seja pelo talento dos seus pilotos, como pelo desafio de seus autódromos. Quando se fala em Fórmula 1, os simuladores de corrida não deixam faltar a pista de Interlagos, em São Paulo.

O game F1 da Codemasters conta com a pista, assim o simulador exclusivo para os consoles da Sony, Gran Turismo Sport.

MAX PAYNE 3

De volta aos jogos de tiro, o Brasil recebeu o “homem que não tem nada a perder”, Max Payne. Em seu terceiro jogo, o ex-detetive de Nova York foi parar em São Paulo como segurança particular de uma família abastada, os Brancos. Entre prédios e comunidades, além de um estádio de futebol, Payne encara os inimigos da família Branco e outros tipos de criminosos.

CALL OF DUTY: MODERN WARFARE 2

Entre os incontáveis jogos da franquia Call of Duty lançado ao longo dos anos, Modern Warfare 2 tem um particularidade. Entre os soldados dos Estados Unidos enviados para diversos pontos do planeta, uma parte do game se passa no Brasil. Assim, acabamos em uma comunidade carioca na caça de um traficante de armas e um terrorista russo.

ANGRY BIRDS RIO

Aproveitando o lançamento da animação Rio, de 2011, a Rovio Entertainment juntou os pássaros do filme com suas aves raivosas em Angry Birds Rio, terceiro game da franquia. No game, os protagonistas foram raptados para a cidade do Rio de Janeiro e contam com a ajuda do jogadores para se libertarem.

ASSASSINS CREED 3

Voltamos para São Paulo, que foi o local escolhido pelos criadores de Assassins Creed 3 para parte da ação de seus assassinos. No game, uma equipe de Assassinos está na capital paulista, incluindo um espião, que avisa os Templários da localização do grupo. O Assassino Desmond Miles vai até a cidade na busca por uma fonte de energia e a encontra dentro de um estádio de futebol – além de encarar outros desafios no local.

THE KING OF FIGHTERS ‘94

A SNK possuía tantos jogos de luta e personagens em 1994 que acabou criando uma franquia com os melhores lutadores em um só game. Nascia naquele ano a série The King of Fighters. No início, as equipes eram divididas por nacionalidade e o Brasil esteve presente, mesmo que seu time não contassem com brasileiros.

Em The King of Fighters ’94, o time brasileiro, ou Team Ikari Warriors, conta com os norte-americanos Ralf e Clark, além Heidern (sem nacionalidade). Ao menos seu cenário de luta fica em nosso país, em uma floresta tropical. Ao fundo vemos índios, macacos, tucanos e um helicóptero abatido que parece ter saído do filme “Predador”.

STREET FIGHTER

Ainda nos jogos de luta, não podemos deixar de falar de Street Fighter 2: The World Warrior, um dos maiores título do gênero de todos os tempos. O representante brasileiro pode não ter nascido aqui, mas o cenário em Blanka dava choques, sim. Assim, como KOF 94, o cenário é mais uma vez a floresta tropical, só que mais perto de um rio. Temos ribeirinhos e uma cobra gigante no cenário.

Passando para Street Fighter III, temos o jovem Sean, fã de Ken que luta em um local que parece ser o porto de Santos. Já em Street Fighter III: 2nd Impact, o jovem luta em São Paulo.

SOCOM II: U.S. NAVY SEALS

O game tático da Zipper agarrou a ideia em ter o Brasil como palco e criou nada menos que 3 cenários em nosso país. O jogador deve completar missões no Rio de Janeiro, na floresta amazônica e na represa de Itaipu. O motivo? Forças revolucionárias querem tomar o poder do país e você deve evitar que isso aconteça.

TONY HAWK PRO SKATER

O jogo de skate de Tony Hawk sempre teve grande participação brasileira. Além de skatistas, os locais para as manobras também estiveram em nosso país. Seja em Pro Skater 3 e Downhill Jam, o Rio de Janeiro foi escolhida como palco para as manobras.

DRIVER 2

Por fim, o game Driver esteve por aqui. Além de fases em Havana (Cuba) e Las Vegas (EUA), o protagonista dirige carros na cidade do Rio de Janeiro.