<
>

Opinião: Que tal jogar com os maiores esquadrões da história do futebol em Fifa 21?

Seria um pesadelo para se conseguir em países onde a desorganização (e falta de vontade) de licenças impera. Já onde as licenças são bem “amarradas”, como na Premier League, é algo possível. Se concretizado, a EA faria um bem enorme ao futebol como um todo, já que seria um show de nostalgia para os mais velhos e uma forma de viver, mesmo que de forma emulada, para os mais jovens.

Do que estou falando? A EA deveria seguir o mesmo exemplo da franquia NBA 2K e introduzir times clássicos completos em Fifa.

Quão legal seria comandar times que fizeram a história do futebol? Equipes cuja escalação foi decorada, do goleiro ao ponta esquerda, por seus torcedores? Times que ultrapassaram a barreira do tempo e são lembrados até hoje por alguma evolução ou pelo belo futebol praticado? Seria grande.

ULTIMATE TEAM

Fifa 21 chega a marca de 100 “Ídolos”, cards especiais de grandes nomes da história do futebol mundial. Os craques do passado, de diferentes gerações, fazem parte do banco de dados do modo Ultimate Team e podem interagir com os maiores nomes do cenário atual. São cards especiais de rating alto e excelentes opções para turbinar o time de qualquer jogador de Fifa.

A introdução dos times clássicos seria uma espécie de expansão dos Ídolos. No lugar de termos apenas Pelé, todo o time que fez do Santos uma equipe mundialmente conhecida. Por que só Johan Cruijff se pudéssemos jogar com a “Laranja Mecânica de 1974”?

Claro que o objetivo no FUT é montar o melhor time possível e ter os cards avulsos dos times seria uma boa ideia. O objetivo desta opinião, no entanto, é explorar o potencial do time fechado dos esquadrões.

NBA 2K COMO EXEMPLO

Há tempos, o jogador de NBA 2K tem chance de jogar com maiores times da história da NBA. Jogar com o Chicago Bulls de 92-93? Sim. Que tal o Los Angeles Lakers de 97-98? Pode ser. Boston Celtics de 85-86. Só escolher.

Agora pense nas Academias do Palmeiras, o São Paulo bicampeão mundial, o Nottingham Forest de Brian Clough, o Real Madrid da década dos anos 50, o Brasil de 1970 ou mesmo qualquer campeão da Copa do Mundo. As possibilidades são inúmeras.

NBA 2K mostra também que não é preciso de prender a times de certo período, já que podemos jogar com a união dos melhores jogadores de um mesmo time. No game de basquete, dá para jogar com um time do Lakers formado por Magic Johnson, Shaquille O’Neal, Kobe Bryant e Kareem Abdul-Jabbar.

Agora imagine uma Seleção Brasileira com Ronaldo Fenômeno, Ronaldo Gaúcho, Pelé, Careca, Sócrates, Júnior, Romário, Zagallo, Vavá, Djalma Santos, Roberto Carlos, Taffarel, Zico e muitos outros. Alguns cards como Pelé e Fenômeno já estão no FUT, mas a inclusão de mais jogadores só enriqueceria a experiência.

Falando em experiência, essa inclusão, assim como em NBA 2K, faria mais sentidos nos demais modos de Fifa. FUT seria bastante beneficiado pela inclusão de mais cards, mas o propósito de 2K é manter o “pacote fechado”.

Assim, estes esquadrões entrariam em ação para enriquecer os demais modos do game. Torneios, copas, Volta, Pro Clubs e demais modos seriam os verdadeiros beneficiados. Que tal uma Copa do Mundo que reunisse as seleções com seus maiores jogadores? Ou uma Champions League com times que fizeram história na competição mais importante de clubes do Mundo? Quem sabe um choque de gerações com grandes campeões da Libertadores.

Até os esports de Fifa seriam beneficiados com a presença dos times clássico. Versões de grandes torneios como LaLiga, Bundesliga ou a Copa América poderia ser recriados com esquadrões do passado.

MAS...

Como citei no início deste texto, a inclusão de grandes times esbarra em licenças. NBA 2K se aproveita do acordo da 2K com a liga de basquete, que permite o direito de uso total, alinhado entre todas as equipes. Há casos semelhantes entre a EA e a Premier League, por exemplo, mas em sua maioria, as grandes organizações de futebol não possuem um acordo tão profundo que resgate o direito de usar os jogadores do passado.

A EA não consegue nem ter acesso aos jogadores atuais por uma série problemas (desorganização, unidade entre clubes, falta de vontade e muitos outros motivos). Imaginar jogadores e times antigos daqui é algo bastante longe. Por hora, nos contentamos com os Ídolos já presentes.

Fifa 21 será lançado em 9 de outubro e terá versões para PC, PlayStation 4 e Xbox One.