<
>

CSGO: fer pede desculpas por passar 'impressão de racismo' em live

play
Veja o momento em que streamer se emociona e vai ao choro com doação antes de saber que era golpe (1:26)

Pouco depois, Guilherme Borges recebeu apoio geral e doações de sua 'comunidade' (1:26)

Na madrugada desta terça-feira (2), fer, jogador de Counter-Strike: Global Offensive da MIBR, veio a público se desculpar por um comentário preconceituoso em uma de suas lives recentes.

Viralizou na internet o trecho de uma stream dele realizada em 23 de maio. Na ocasião, fer estava sempre tocando no próprio cabelo - o que chamou a atenção de um usuário no chat, que comentou: “Para de mexer no cabelo..

Assim que leu o comentário, fer respondeu: "Você tá triste por que o seu cabelo é duro e é ruim? Está triste por que o seu cabelo é ruim? O meu cabelo é bom. Lisinho."

Logo em seguida, parte do chat chamou o jogador de racista. “Racista por quê? Tudo pra vocês é racismo”, respondeu de volta.

No Twitter, fer fez uma postagem sobre o ocorrido, mas que apagou depois. “6 pessoas no time. 6 brancos. 4 com cabelo ruim na live. Racista. Talvez o racismo esteja em vocês :)”

Mais tarde, o jogador da MIBR voltou à internet em outra postagem, se retratando e pedindo desculpas para quem interpretou o comentário como racismo.

Na nova postagem, fer anexou trecho de outra live de quando ele foi abordado sobre a morte do estadunidense George Floyd, que repercutiu no mundo todo na semana passada. O jogador da MIBR comentou sobre o racismo ocorrido na situação e criticou o que aconteceu.

Floyd, negro, foi morto após ação do policial branco Derek Chauvin, que pressionou o pescoço do homem, então aborddo, com um de seus joelhos. O oficial foi acusado de homicídio culposo, que é quando acontece sem a intenção de matar, além de assassinato em terceiro grau - ou seja, quando se entende que é o responsável pela morte de forma irresponsável ou imprudente.

A repercussão do comentário preconceituoso de fer só veio a público com força porque a MIBR, no tweet de pré-jogo contra a FURIA pela BLAST Premier Spring, fez uma postagem com #VidasNegrasImportam, que faz parte da campanha que se foi criada como forma de protesto pela morte de Floyd.

A fatalidade teve impacto no cenário de esportes eletrônicos, com organizações e profissionais/influenciadores do meio se posicionando sobre.