<
>

Opinião: O que esperamos de Valorant

Valorant vem gerando muitas expectativas na comunidade de esports Divulgação/Riot Games

Na última segunda-feira (2), a Riot Games apresentou o Valorant (anteriormente conhecido como "Projeto A"), seu próprio jogo de tiro tático baseado no confronto de personagens cinco contra cinco. Junto com um trailer mostrando um round de Valorant oferece e como alguns dos personagens funcionam, a Riot também anunciou que o lançamento para seu próximo grande título será no verão deste ano.

A ESPN NA reuniu os especialistas da casa Tyler Erzberger, Emily Rand e Arda Ocal para comentarem suas reações iniciais aos anúncios do Valorant e o que eles esperam ver no título coirmão de League of Legends, atualmente o esport mais visto em todo o mundo.

Quais são as suas primeiras impressões do jogo de tiro tático 5v5 da Riot?

Erzberger: Eu sabia que algum tipo de anúncio viria nos próximos dias com as páginas do Valorant Twitch e do Twitter sendo verificadas, mas ainda assim fiquei surpreso quando vi que o site estava no ar e que havia um trailer com data de lançamento. E nesse semestre”” Já temos a temporada de League of Legends em pleno andamento, e agora teremos seu jogo coirmão, Valorant, lançado exatamente no meio das divisões de verão (e inverno) em todo o mundo.

Meu primeiro pensamento foi o quão elegante o trailer era e o quão clean é a identidade visual. Você definitivamente pode ver a influência das skins PROJETO de League of Legends e como essa estética parece o ponto de partida de Valorant. Quando as primeiras imagens do jogo apareceram, não chegavam nem perto do que estávamos esperando de um game da Riot. Mas estou feliz que o jogo seja muito mais próximo de Counter-Strike e Rainbow Six Siege do que Overwatch em termos de jogabilidade.

Rand: Independentemente da jogabilidade, uma coisa que eu sempre soube sobre esse jogo antes do lançamento é que ele ficaria muito bom. Esse trailer confirmou isso. Foi bem suave, que é provavelmente o adjetivo mais adequado aqui - e nem é o lançamento final. Agora estou curioso para ver como o jogo funciona. Uma combinação de Overwatch e Counter-Strike é a reação instantânea que temos do público, e isso parece adequado com base no que pode ser visto nas capturas de tela: vários locais de realizar plant juntamente com missão de desarmar as bombas e uma ampla variedade de habilidades com base no personagem que o jogador escolheu.

Ocal: Este jogo parece bem clean. Ou seja: simples, mas com nuances. Parece fácil de aprender, difícil de dominar, o que sempre contribui para um jogo fantástico. O sistema de compra de armas vai deixar aquecido o coração de muitos fãs de CS:GO. O trailer me deixou empolgado com o que isso pode se tornar como esport. Além disso, no trailer da jogabilidade, parecia que não havia sangue. Se isso persistir, acho que pode ser uma ótima opção para apelo em massa. Pessoalmente, não acho que este jogo precise de sangue pela forma como é apresentado e pela aparência dos gráficos.

Que cenários de esports devem se preocupar com a chegada do Valorant?

Erzberger: Embora a comparação óbvia seja Counter-Strike:Global Offensive por conta da similaridade na jogabilidade, acho que os dois jogos prosperarão e (esperançosamente) vão disputar para se tornar os melhores jogos possíveis. Counter-Strike acabou de ter um dos seus melhores fins de semana de visualização de todos os tempos em Katowice, e nenhum produto mais bonito da Riot Games vai tirar o público hardcore que a Valve construiu ao longo dos anos.

Definitivamente acho que veremos jogadores profissionais de outros jogos, incluindo CS, Overwatch e outros títulos de FPS, experimentar o Valorant para ver se eles podem se tornar o rosto de um jogo que está quase certo de ser um sucesso. Mas não espere qualquer FPS estabelecido nos esports desmoronar por causa do Valorant.

Rand: As pessoas provavelmente estão cansadas de mim continuamente insistindo nisso em termos de audiência e um forte retorno inicial sobre o investimento, mas estabelecer uma posição inicial na China é fundamental. A parceria da Riot com a Tencent (e isso antes de a Tencent ser proprietária majoritária) foi absolutamente crucial para tornar o League of Legends no esport que é hoje na China. Há poucas razões para acreditar que a Tencent vai fracassar nesse mesmo movimento com Valorant após o lançamento, especialmente se estiver simplesmente anexado às contas existentes das pessoas por lá.

Pelo que pude ver, ainda há muito espaço no mercado para um jogo de FPS com apelo em massa que, por inúmeras razões diferentes, Counter-Strike e Overwatch não foram capazes de preencher. Jogos de FPS permanecem populares estranhamente de forma regional.

Quanto aos jogos que devem estar preocupados, estamos no ponto da história dos esports agora que todo mundo vai tentar o novo. Aconteceu no lançamento precipitado do Overwatch, e aconteceu em escala menor nos últimos anos com PlayerUnknowns Battlegrounds, Apex Legends e, é claro, Fortnite, já que as pessoas se voltaram para os jogos de battle royale. Eu acho que alguns jogadores desses games existentes farão a troca, outros não. O estranho de se pensar agora é que um esport está cercado de expectativas para sua chegada, então é difícil não pensar que terá um crescimento orgânico por trás.

Uma das partes mais bem-sucedidas do Counter-Strike e do League of Legends lá no início é que eles tiveram espaço para aumentar a base de jogadores - e, mais importante, uma base competitiva de jogadores - antes que mais circuitos oficiais de torneios e franquias posteriores fossem implementados. Você terá jogadores profissionais nos esports já existentes que abandonarão seus jogos para experimentar o Valorant, mas, para que o game seja realmente bem-sucedido daqui para frente, ele precisará encontrar seu próprio espaço e aproveitar melhor seu hype inicial.

Ocal: A Riot tem um histórico de sucesso no esports. League of Legends é um dos únicos jogos - e títulos competitivos do planeta - que realmente tem apelo global em massa: China, Coréia do Sul, América do Norte, Europa e outros lugares. A Riot sabe como ter sucesso globalmente. Então, quando eles lançam jogos como esse, por que você não apostaria que Valorant se sairia bem? Que eles pensaram em como fazer disso um sucesso em todos os mercados? É claro que novos jogos são atraentes: Diabotical, o jogo FPS em arena, ganhou muito engajamento nesse fim de semana em seu lançamento beta, por exemplo. Porém, Valorant, no papel, tem potencial de execução em casa. Se as premiações estiverem lá no alto também, e eu sou um profissional de FPS, estou pensando seriamente em dar esse salto na carreira.

O que você mais deseja que a Riot cumpra com Valorant?

Erzberger: Eu quero que este jogo pregue realmente a criatividade que a Riot promete. Não precisamos de um Counter-Strike II: Electric Boogaloo porque já temos um incrível jogo de Counter-Strike na sua versão atual. Mas se a Riot pode trazer a mesma ação que vimos no CS:GO, além de um elemento semelhante ao xadrez no jogo com a adição de magias e outras especialidades de personagens, acho que poderíamos ter algo que é especial.

Eu também quero ver se a Riot pode realmente alcançar um verdadeiro nível internacional como eles têm com o League of Legends. Enquanto o Counter-Strike é gigantesco no oeste, os jogos de tiro mais populares na China e na Coréia do Sul são Crossfire e Sudden Attack, respectivamente. Se pudéssemos ter um mundo onde América do Norte, América do Sul, China, Coréia do Sul e Europa, juntamente com outras grandes regiões, estão todos investindo no Valorant como temos com o League of Legends, teremos um incrível cenário.

Rand: Fora do apelo acima mencionado a um mercado chinês, o que mais quero ver do Valorant é a simplicidade. Uma das razões pelas quais Counter-Strike: Global Offensive permanece popular no Ocidente por tanto tempo é que é incrivelmente fácil de assistir. Em uma escala de popularidade menor, Call of Duty é algo que, novamente, é realmente fácil de entender visualmente. A partir desse pequeno aspecto, parece que diferentes habilidades serão usadas - o que pode ser preocupante se for muito longe no território de Overwatch, onde, desde o começo, eu senti que o jogo estava tentando fazer muito de uma só vez. Todos esses elementos extras, embora divertidos para um jogador, podem tornar o jogo mais confuso para o espectador do que uma partida de CS ou CoD.

Ocal: O próximo jogo de FPS adotado pelo mundo que é divertido de jogar, divertido de assistir, inova em ambas as áreas e, como Tyler mencionou, e tem apelo no Oriente e no Ocidente. Isso pode acontecer com Valorant? Eu apostaria mais sim do que não.

Faça um palpite: daqui a um ano, onde vai estar o cenário de Valorant?

Ocal: Eu acho que depende muito da economia. Nenhum profissional vai ter um salto na carreira se não houver investimento significativo. Acho que a Riot levou isso em consideração e ficaremos impressionados com o que vamos ver. Será um sistema de franquias? Serão as equipes que todos conhecemos e amamos? Serão equipes baseadas na cidade? Acho que daqui a um ano haverá algumas respostas, mas Riot não vai apressar isso.

Rand: Intencional ou não, a Riot Games tem uma tendência a deixar as coisas respirarem um pouco após o lançamento. A empresa lançará algo como o Teamfight Tactics sem muita fanfarra, mas depois vai enriquecer essa atmosfera com uma comunidade que está engajada pelos conteúdos. Às vezes, isso acaba funcionando muito bem. Outras vezes, isso não acontece (como não tivemos uma tonelada de mercadorias da K/DA após o lançamento em 2018 em meio ao Campeonato Mundial de League of Legends ???).

Eu acho que o modelo adotado no Teamfight Tactics é um plano provável para o Valorant. Não há como colocar o gênio de volta na garrafa, pois todos esperam algum tipo de infraestrutura imediatamente. No entanto, acho que, como vemos em alguns torneios em vários eventos ao redor do mundo, haja possivelmente um pequeno "campeonato mundial" como o League of Legends por volta de 2011. É mais provável por alguns motivos. Um é por conta dos lançamentos anteriores. O outro é um simples problema de banda larga. A Riot também está atualmente lidando com várias fatores na frente de League of Legends, especialmente com o recente surto de coronavírus.

Erzberger: A Riot provavelmente vai preferir jogar à longo prazo do que tentar capitalizar em cima do hype para ganhar dinheiro rapidamente. A desenvolvedora sabe que Valorant tem o potencial de ser um dos maiores esports do mundo, especialmente se a China gostar, e, por isso, acho que eles vão levar as coisas devagar no primeiro ano. Espero que eles realizem torneios por convite em todas as suas principais regiões em 2020 e fico muito esperançoso que anunciem um circuito em 2021 que seja semelhante às suas ligas regionais em League of Legends.

Para as organizações de esports por aí, eu não ficaria chocado se tivermos cinco equipes do Valorant anunciadas amanhã. As equipes tentarão dominar o mercado o mais rápido possível e estou animado para ver quais jogadores se tornarão o rosto do Valorant. Vimos isso em Fortnite e Apex Legends. Acho que até o final de 2020 haverá um rei ou rainha que as pessoas já estarão chamando de melhor do mundo.

Qual profissional/streamer você gostaria que fosse atrás do Valorant?

Ocal: Me dê os Quatro Cavaleiros de Fortnite: Ninja, DrLupo, CouRage e TimTheTatman. O Dr. Disrespect seria interessante também tanto do ponto de vista de "como o truque leva a este jogo", mas também como os mapas foram criados e seus pensamentos sobre ele como um ex-designer de mapas do CoD. Ficaríamos um pouco malucos com este também: por que não o Faker? Vamos ver como ele se sai em outro jogo da Riot...

Rand: Há um grupo fácil de ser convertido que são ex-jogadores profissionais do Team Fortress 2 e Overwatch. No caso desse último, eles não largaram porque a Overwatch League não era para eles ou então porque se sentiram menosprezados com a diminuição do financiamento para as cenas amadoras e de Nível 2. Muitos desses jogadores se mudaram para o Apex Legends quando era o jogo do dia, mas desde que o Apex ainda não chegou ao ponto em que há uma cena profissional altamente lucrativa (apesar de ser, na minha humilde opinião, absolutamente o melhor jogo de battle royale do mundo), vejo muitos deles se mudando para, pelo menos, tentar o Valorant.

Da mesma forma, vejo todo e qualquer profissional de CoD que não foi capaz de encontrar equipes na nova liga franqueada ou está simplesmente procurando por algo novo para testá-lo também.

Erzberger: Eu quero ver EscA, o ícone indiscutível dos jogos FPS na Coréia do Sul. Ele ganhou um campeonato de PUBG com a Gen.G Esports. Ele era o líder no jogo da equipe que popularizou Overwatch na Coréia do Sul, Lunatic-Hai, onde também conquistou um título nacional. Todo FPS que EscA já jogou, ele se tornou um campeão. Embora ele tenha 28 anos e seja considerado um homem velho hoje em dia no mundo dos esports, quase pareceria errado se ele não jogasse o chapéu no ringue para Valorant.

Se houvesse um jogador para iniciar a futura dinastia da Coréia do Sul em Valorant, como há tantos anos em League of Legends, seria EscA.

* Esta matéria foi originalmente publicada no ESPN Esports