<
>

China está desenvolvendo normas para padronizar a profissão de atleta de esport no país

Chinesa, FunPlus foi quem faturou o Mundial de LoL em 2019 Riot Games

Quase um ano após reconhecer o esporte eletrônico como profissão, a China está trabalhando no desenvolvimento de normas que serão utilizadas na padrodinização da ocupação de jogador profissional de esport. O objetivo do governo chinês é criar uma definição clara sobre o que é ser um atleta de esport em todo o país.

Afiliada ao Ministério da Cultura chinês, a Associação Administrativa da Cultura da China (CCAA em ingês) é quem está a frente da criação do padrão nacional.

Isso quer dizer que, em um futuro próximo, todos os chineses que desejarem seguir nas profissões ligadas aos esportes eletrônicos regulamentadas pela China vão precisar obter certificações por meio de treinamento e exames padronizados.

"Como uma indústria emergente que floresceu nos últimos anos, o esport não se tornou apenas um fenômeno cultural entre os mais jovens, mas também uma nova força motriz para as economias locais", afirmou a vice-presidente da CCA, Chang Pijun.

Além de trabalhar na criação das normas, o CCAA também está desenvolvendo materiais de ensino e realizando pesquisas visando as avaliações que serão feitas aos futuros talentos do esport chinês.

O reconhecimento do esporte eletrônico como profissão feito pela China aconteceu em fevereiro de 2019, quando o Ministério de Direitos Humanos e Segurança Social do país revelou que, dentre as 15 novas ocupações criadas, estavam a de jogador profissional e operador de esport.

O jogador profissional foi definido todo aquele que, entre outras funções, compete em torneios oficiais, participa de eventos ou treine, enquanto o operador de esport é aquele que organizaou produz conteúdo para eventos e campeonatos de esporte eletrônicos.

Segundo estimativa do Newzoo, até 2022, ano no qual o mercado global de esport valerá US$ 1,8 bilhão, a China representará quase metade dos amantes dos esportes eletrônico.

Em relatório publicado em 2019, a Associação de Publicidade Digital de Áudio e Vídeo da China afirmou que o País possuían naquele ano 440 milhões de consumidores de esports e que a indústira do país gerou uma receita de vendas no valor de US$ 13,8 bilhões.