<
>

Flamengo ou Rio de Janeiro FC? Como fica a situação dos times brasileiros com a Libertadores em Fifa 20

play
Flamengo fiel às ideias de Jesus e River 'camaleão': Mauro Cezar detalha formas de jogar dos dois times (1:37)

Equipes disputam o troféu da Libertadores, sábado, no estádio Monumental (1:37)

A acirrada disputa nas últimas temporadas entre Pro Evolution Soccer e Fifa têm várias frentes. Antes restringido a quem conseguia simular com maior qualidade o esporte bretão, os dois games – e seus desenvolvedores – partiram para uma nova arena: as licenças. Os games tem trabalhado de forma agressiva para garantir para si os melhores torneios, clubes e jogadores.

O anúncio feito pela EA Sports nesta quarta-feira (20) que Fifa 20 terá a Copa Libertadores é mais uma batalha nesta guerra – e a EA está reunindo licenças importantes com a mesma vontade que Thanos e busca as Joias do Infinito.

Além da Libertadores, Fifa conta com grandes ligas europeias (sendo a Premier League a principal), a Copa do Mundo (feminina e masculina), e claro, a Champions League, o principal torneios de clubes do globo. A Champions, em especial, foi uma grande aquisição, já que por 1 década foi a “menina dos olhos” de Pro Evolution Soccer.

Sem contar mais com a Champions, a Konami foi arrojada e elaborou um plano de parceria com grandes clubes europeus. Ligada ao Barcelona há anos, PES “foi ao mercado” para arrebatar mais parceiros. Assim, Manchester United, Bayern de Munique, Juventus (em um acordo que impede o time de Turim apareça fielmente em Fifa), Boca Juniors, River Plate, Palmeiras, São Paulo, Vasco da Gama, Corinthians e Flamengo se juntaram ao time de PES.

No entanto, EA conseguiu ultrapassar a fronteira que faltava. Como ficarão os acordos com os times brasileiros e Konami? De que maneira os times daqui serão recriados no game? Será que é fim da linha para PES?

A LIBERTADORES EM FIFA 20

Nesta quarta-feira (20), a EA Sports divulgou as primeiras informações da Copa Libertadores em Fifa 20. O torneio será distribuído como uma expansão gratuita em março de 2020. Deve trazer os 32 clubes classificados para a fase de grupos do torneio (não há confirmação quanto aos times que disputarão a chamada pré-Libertadores).

O jogo terá licença dos clubes envolvidos na edição do torneio no próximo, incluindo direitos de imagem e elenco recriado. O conteúdo afetará diversos modos do game, em especial o Ultimate Team. É certo dizer que poderemos ver os jogadores do torneio sul-americano sendo transformado em cards para o FUT, em especial os brasileiros, cujos clubes nem fazem parte do modo mais popular de Fifa por falta de direitos.

BRASILEIROS EM AÇÃO

Atualmente, Fifa 20 possui 15 clubes da primeira divisão do campeonato brasileiro. Eles possuem de forma correta o escudo, uniforme e nome. No entanto, seus elencos são compostos apenas por jogadores genéricos, criados especialmente para o game. Mesmo a Seleção Brasileira possui um elenco genérico, contando apenas com a presença de Neymar.

Essa condição é o resultado da falta de organização do futebol brasileiro e a desunião de seus clubes. Se um posicionamento ou representação unificada, há a falta de acordos entre clubes, jogadores e EA para que os times possam estar em sua plenitude no game.

A exceção a essa balburdia é o acordo de exclusividade costurado entre Konami e cinco clubes brasileiros: Flamengo, Vasco da Gama, Palmeiras, Corinthians e São Paulo. Em Pro Evolution Soccer, os cinco aparecem corretamente retratados, incluindo seus jogadores.

Como fica a situação destes clubes com a chegada da Libertadores em Fifa 20? É esperado que o acordo da EA com a CONMEBOL permita que Fifa possa usar os clubes nacionais, independente de acordos unilaterais.

Atualmente, Flamengo e Palmeiras já tem a pontuação necessária para estar na edição 2020 da Libertadores real. O Santos também garantiu participação, mas ele já consta em Fifa 20. Sendo assim, a EA teria o direito de usar os dois clubes em Fifa 20. No entanto, algumas perguntas surgem nesse imbróglio:

  • Estariam limitados aos modos de jogo relacionados à Libertadores ou liberados para o game inteiro?

  • Qual seria seu nível de recriação quanto a nome, escudo, uniforme e elenco? Teríamos um Rio de Janeiro FC representando o Flamengo ou o clube da Gávea estaria 100% recriado no game? Já houve no passado casos de clubes daqui com nomes alternativos por falta de licença, como o glorioso Litoral (Santos Futebol Clube).

E AGORA, KONAMI?

Bem, a EA conseguiu mais uma licença para seu game. Como fica então a Konami nesta história. Voltando ao início, as licenças ganharam um peso grande na luta pelo gosto do jogador nos últimos anos. Agora, a EA tem a Copa do Mundo, a Champions e a Libertadores, enquanto PES contra-ataca com seus parceiros.

Se confirmando a presença na concorrência de seus times exclusivos, PES é atacado em um de seus pilares, a recriação do Brasileirão. Em termos de torneios, tem a seu favor a licença a Europa 2020, um baita torneio para se jogar (uma Copa do Mundo sem Brasil e Argentina).

O cenário para o futuro, não é promissor, já que não há campeonatos de renome que podem ser explorados com tanto impacto como Champions ou Libertadores? Seria o caso da alta cúpula abrir os cofres para conseguir retomar algum torneio de Fifa? Quem sabe ter um direito de usar a licença junto com a concorrência.

Na minha opinião, PES e Konami tem que juntar suas armas e apostar na qualidade de seu produto. Apesar do glamour que os grandes torneios colocam em Fifa, o game é criticado ano após ano e há pouco feedback da EA para a comunidade.

A Konami pode retomar terreno perdido se colocar nos consoles e PCs dos jogadores um produto superior. Mesmo que os jogadores não possam disputar a final na Europa ou na América do Sul, ao menos não passará raiva com bugs ou falta de desenvolvimento.