<
>

LoL: Riot e cantores comentam tecnologia inédita do show na final do Mundial

Tecnologia de holograma marcou a final do Mundial de League of Legends 2019 Riot Games

A Riot Games estreou o que chama de "Projeção Holográfica" durante a cerimônia de abertura da final do Campeonato Mundial de League of Legends em Paris, na Arena AccorHotels. Usando um produto chamado Holonet, uma malha de tecido com filamento metálico nas fibras e com iluminação precisa na arena, a desenvolvedora conseguiu dar vida aos personagens com efeitos especiais inéditos.

"Decidimos usar a tecnologia Holonet este ano por alguns motivos", disse Adam Mackasek, gerente associado de eventos de esportes da Riot Games, à ESPN sobre a cerimônia de abertura. "A arena deste ano é coberta e tem condições de iluminação controladas, algo que não tivemos nas últimas finais mundiais. Isso ampliou a gama de ferramentas que poderíamos usar para dar vida à nossa marca. Queríamos escolher uma tecnologia que realmente se encaixasse à estética e o sentimento das músicas que estamos apresentando este ano. Não queríamos apenas fazer RA [realidade aumentada] porque fizemos isso no passado. Em vez disso, a equipe queria surpreender os fãs e nos esforçamos para fazer algo que eles nunca viram antes".

Valerie Broussard, da Filadélfia, iniciou o concerto holográfico ao tocar "Awaken", uma música lançada no início do ano para sinalizar o início do ano civil do League of Legends.

"Este show está fazendo coisas sem precedentes", disse Broussard à ESPN alguns dias antes da grande final em um ensaio da cerimônia. "Há coisas que nem mesmo [o show do intervalo do] Super Bowl fez. Acho que do ponto de vista tecnológico, as pessoas vão se impressionar. Meu holograma será o primeiro, então é super emocionante. Acho que é emocionante ver esse tipo de tecnologia sendo utilizada".

Os preparativos para a cerimônia de abertura começaram em janeiro. Além de "Awaken", o hino do torneio, "Phoenix", foi realizado por Chrissy Costanza e Cailin Russo. O single de estréia do grupo de hip-hop de realidade aumentada True Damage, "Giants", composto pelos vocais de Rebecca "Becky G" Marie Gomez, Jeon "Soyeon" So-yeon, Umar "Thutmose" Ibrahim, Jared "Duckwrth" Lee e Keke Palmer também utilizou o recurso.

"Eu sinto que tenho que repensar meu show pessoal depois de fazer isso, porque esse é o próximo nível", disse Duckwrth. "Quando eles me contaram [sobre os hologramas], fiquei impressionado porque eles fizeram uma coisa [semelhante] no ano passado, mas em uma escala menor". "Eu estudava computadores na mesma época em que ficava obcecado com música, então só podia sonhar com algo assim na minha cabeça no meu dormitório pensando nas possibilidades", disse Thutmose. "Ironicamente, a música me trouxe de volta a uma situação semelhante. Não há outras palavras para descrever tudo isso, exceto 'louco'".

O Campeonato Mundial de League of Legends do ano que vem, a 10ª edição, será realizado pela China, com a Riot Games já está trabalhando para torná-la "maior e melhor" do que a performance deste ano. A final do campeonato mundial de 2018 entre a Fnatic e a Invictus Gaming foi vista por 99,6 milhões de espectadores únicos. A final de 2019, com o G2 Esports da Europa e o FunPlus Phoenix da China, esgotou-se em segundos quando os ingressos foram colocados à venda, com sites de terceiros oferecendo ingressos por mais de US $ 3.000 para ver a competição.

* Publicado originalmente em inglês no ESPN Esports