<
>

"Brasil é região com potencial para crescimento", diz diretor da Lowkey após novo investimento no País

Lowkey fez novo investimento no Brasil, agora no Counter-Strike Reprodução

A contratação dos jogadores brasileiros de Counter-Strike: Global Offensive que vinham competindo sob o nome de Amigos do Tadeu é mais um investimento feito pela Lowkey no cenário nacional de esportes eletrônicos. De acordo com o diretor Victor Luiz, a organização norte-americana “vê o Brasil como uma grande região que possui cenários com muito potencial para um crescimento”.

Em conversa com o ESPN Esports Brasil, o executivo responsável por cuidar dos investimentos feitos na América do Sul revelou também que o clube possui, sim, planos de fazer novos investimentos e explicou a investida no CS:GO “porque o cenário brasileiro nos últimos tempos vem crescendo bastante, com a chegada do circuito Clutch e do CBCS, além de ser um jogo bastante conhecido na região”.

Victor Luiz contou que chegou até os Amigos do Tadeu após estudar o cenário brasileiro da modalidade por vários meses: “A escolha por esta equipe foi feita após muitas análises. Vi que era uma equipe com grande potencial e que se encaixaria perfeitamente no plano da Lowkey”. O executivo apontou ainda que o objetivo do clube para com o time é “se classificar para o circuito Clutch e se consolidar uma grande equipe no cenário brasileiro”.

Ao ser questionado pela reportagem sobre a possibilidade da organização fornecer uma estrutura física para o time treinar, como uma gaming house um um gaming office, o diretor da Lowkey respondei que, “por enquanto os jogadores vão jogar cada um em sua casa, porém se os objetivos e metas forem alcançadas, são grandes as chances de termos uma GH”.

O interesse da Lowkey nos Amigos do Tadeu foi revelado pelo ESPN Esporst Brasil no último dia 11. Na ocasião, a equipe vinha atuando com o ex-Vivo Keyd RMN, que acabou não assinando. Para completar a formação, foi chamado ftx, que já defendeu o Santos na modalidade.

No elenco estão dois jogadores que fizeram parte da última formação masculina da Black Dragons: SpyDaemon e dem0. Essa mesma equipe, antes de fechar com a Lowkey, chegou a negociar com o CNB e-Sports Club, mas o negócio não foi concluído por conta do rebaixamento que o clube sofreu no League of Legends.

SpyDaemon e o gerente Alegretti comentaram sobre a montagem do elenco e a vinda de ftx: “Optamos por buscar novos nomes e dar oportunidades a pessoas novas do cenário. Devido a isso, a escolha do quinto jogador foi um pouco demorada mas encontramos o zevy e o CK. Ftx foi uma oportunidade que surgiu de última hora, mas uma grande escolha e que se encaixou perfeitamente no que precisávamos”.

Dem0 revelou estar aliviado por ter encontrado uma nova casa e afirmou que ser contratado pela Lowkey é a realização de uma meta estabelecida por ele e os companheiros, de “passar por todas as ligas da Gamers Club, mesmo sem organização, até chegar na Liga Dell para fecharmos com um clube, o que conseguimos”.

O jogador finalizou dizendo que existe, sim, um pouco de pressão por estar defender uma organização estrangeira, mas que o projeto é a longo prazo, o que dá ao time “tempo para trabalhar”.