<
>

Streamer relata caso de assédio envolvendo 4LaN e confirma abertura de B.O

Vítima no caso envolvendo 4LaN revela identidade e confirma abertura de B.O Riot Games

A streamer Giovana Tezoni revelou nesta quarta-feira (16) que é uma das vítimas do caso de assédio envolvendo o jogador de League of Legends 4LaN. A jovem publicou quatro vídeos no Twitter, nos quais narrou o episódio que aconteceu durante uma festa na casa de brTT e Caju, na madrugada de domingo (13) para segunda-feira (14).

Ao lado do namorado, Rakin, Giovana veio a público no mesmo dia em que o ex-caçador da Team oNe se manifestou dizendo que era inocente. Segundo a jovem, "não é justo eu ficar quieta e uma pessoa fazer isso com o meu próprio corpo sem o meu consentimento". A jovem disse ainda que estava com medo de se expôr, mas que "agora não tem mais jeito" porque "está sobrando para quem não tem nada a ver com a história".

“Estou aqui para contar o que aconteceu e dar a minha versão dos fatos. A gente estava na casa do brTT e da Caju, era uma festa depois da BGS. Eu estava com uma amiga e estávamos entre a piscina e a sala, num semi corredor. A gente estava olhando um pessoal jogar carta sentado no chão”, relatou Tezoni.

“Estávamos dando risada e assistindo o jogo e aí, do nada, eu sinto alguém pegar na minha bunda e apertar. No mesmo momento, olhei para a minha amiga, que estava do meu lado, e ela olhou com a mesma cara de assustada do que eu. Na mesma hora a gente virou para o outro lado e vimos quem foi, porque a pessoa estava olhando para gente”, narrou.

Giovana afirmou que nem ela, nem a amiga sabiam o que fazer depois do que aconteceu: “Fui para a pessoa que é meu porto seguro, o Rafa [Rakin], que era a pessoa que eu sabia que poderia contar e acabar me protegendo se alguma coisa pior acontecesse. Fui contar pra ele no mesmo momento que percebi o que realmente tinha acontecido. Eu sabia quem era”. Ela completou dizendo que pediu a Rakin para que ele não fizesse nada.

“Não é justo alguém violar seu corpo sem o seu consentimento, independente se a pessoa estava fora de si ou não. Não é justo alguém chegar e por a mão no seu corpo sem que você permita. Não é justo alguém chegar do seu lado, colocar a mão no seu corpo e sair impune”, desabafou a jovem.

Giovani disse também que registrou um boletim de ocorrência: “A gente vai até o fim”. Rakin também se pronunciou nos vídeos, deixando claro que “a gente não agrediu ele fisicamente, só o expulsamos da festa. [Ele] tentou mentir o tempo todo”.

Logo após Giovana se pronunciar, Caju afirmou no Twitter que Giovana "não queria ser exposta, não queria fazer o BO. Ela não queria prejudicar ninguém, só estava com medo e se sentindo horrível".

ENTENDA O CASO

4LaN foi acusado de assédio e abuso de duas mulheres em um churrasco que ocorreu na casa de brTT e Caju, em São Paulo, durante a madrugada de domingo para segunda. O primeiro a se pronunciar sobre o caso foi Rakin, pelo Twitter, e a notícia logo se espalhou com outros presentes na festa confirmando o ocorrido.

"Hoje tive o desprazer de presenciar uma pessoa conhecida no cenário por assediar mulheres fazer isso com uma pessoa próxima minha", escreveu o streamer, que completou dizendo que se segurou "muito para não fazer besteira na hora até porque sempre fui um cara que evita tretas mas tenho zero tolerância com alguém que faz isso".

Horas após o caso vir a público, a Team oNe revelou que estava desligando 4LaN da equipe de League of Legends.

Em comunicado, a organização disse que "sempre trabalhou com transparência perante seus torcedores e o cenário de eSports, e repudia qualquer tipo de assédio. Nós acreditamos que casos como esse devem ser levados ao conhecimento das autoridades competentes, para que os responsáveis sejam devidamente responsabilizados".

Esta não é a primeira vez que 4LaN é associado a algo desta natureza. Em maio de 2019, a streamer Gabruxona afirmou que o caçador foi agressivo e a ofendeu em um show.

PASSÍVEL DE PUNIÇÃO

O ESPN Esports Brasil contactou a Riot Games, questionando a empresa se o caçador sofrerá algum tipo de punição pelo o ocorrido. Por meio da assessoria de imprensa, a desenvolvedora informou "que está apurando o caso para analisar qual o procedimento mais adequado nesta situação, com base no regulamento do CBLoL".

Conforme consta no regulamento desta temporada do torneio, o artigo 10.2.3 diz que "assédio sexual é proibido", sendo ele "definido como avanço sexual indesejável. A avaliação baseia-se se uma pessoa comum consideraria a atitude ofensiva. Há tolerância zero para qualquer ameaça ou promessa de vantagens em troca de favores sexuais".

Outra regra da competição na qual 4LaN poderia ser enquadrado é a 10.2.8, de atividade criminosa, que diz que "o membro de uma equipe não pode fazer parte de nenhuma atividade proibida pela lei comum, estatuto ou tratado e que leve ou possa ser razoavelmente considerado suscetível de conduzir a condenação em qualquer tribunal de jurisdição competente".