<
>

O que aprendemos até agora no Mundial de League of Legends

fnatic e SK Telecom T1 abriram o mundial deste ano Riot Games

*Publicado orginalmente no ESPN Esports Internacional

O segundo dia do evento principal do Mundial de League of Legends teve todos os ingredientes para se tornar um dos melhores momentos nos oito anos de história do torneio.

O melhor jogador de todos os tempos, Lee "Faker" Sang-hyeok, da SK Telecom T1, confrontou o rival chinês Jian "Uzi" Zi-Hao, da Royal Never Give Up, em uma revanche da final mundial de 2013. Também houve outra revanche, esta mais recente, com o atual campeão mundial Invictus Gaming tentando se vingar da Team Liquid depois da eliminação no Mid-Season Invitational.

Nenhuma partida nos decepcionou.

Eis o que aprendemos após o fim de semana de abertura dos jogos na fase de grupos do campeonato mundial.

Esse pode ser o torneio de esports mais assistido de todos os tempos

Embora ainda não conheçamos números da China (de longe a região com maior número de olhos assistindo à Liga) e da TV, a audiência nos dois primeiros dias da fase de grupos do campeonato mundial foi massiva no YouTube, Twitch, Facebook e outros sites online.

De acordo com o Esports Charts, a maior audiência dos jogos de abertura de sábado e domingo, SKT vs. Fnatic e SKT vs. RNG, trouxeram 2 milhões de espectadores. Sabe quais foram as únicas duas partidas com um pico maior de visualizações nos últimos três anos? As finais de 2017 e 2018. Os jogos da fase de grupos de 2019 estão bem pertinho.

De cima para baixo, a edição deste ano do campeonato mundial ultrapassou as iterações anteriores. Com grandes franquias como SKT e Invictus Gaming impressionando no início da fase de grupos, as eliminatórias estão se moldando para quebrar recordes.

Royal Never Give Up e SK Telecom T1 estão prontas para um palco maior

A partida SKT e a RNG não apenas foi o jogo mais assistido até agora no campeonato mundial, mas também se tornou um clássico instantâneo que permanecerá nos pacotes promocionais da Riot Games nos próximos anos. A RNG mostrou seu talento técnico com Uzi, estrelando, como de costume, como o ponto focal da equipe em Xayah. Onde a RNG prosperou nas lutas e nas exibições mecânicas vitais, a SKT construiu ao redor de Faker e seu Twisted Fate, fazendo com que o esquadrão chinês se dividisse no Summoner’s Rift.

No final do confronto de 42 minutos, ambas as equipes ganharam seus pontos fortes. A RNG venceu as principais lutas de equipe, mas foi a SKT que saiu do Verti Music Hall em Berlim com a vitória, teletransportando-se para a base do adversário e correndo pelo Nexus. Era o tipo de jogo que você deseja ver mais vezes.

Em 2013, Faker expulsou o Uzi do Mundial na grande final em uma partida extremamente dominante. Três anos depois, Faker enterrou a RNG e Uzi mais uma vez, desta vez por um placar de 3-1 em Chicago. No próximo campeonato mundial, Uzi chegou o mais perto da vitória em cima de Faker e sua SKT, chegando a ficar com 2-1 no placar de mapas em frente à torcida chinesa, porém, mais uma vez saiu do palco de uma maneira devastadora.

Se a SKT e a RNG avançarem de seu grupo, não poderão se encontrar novamente até a grande final. Após seu primeiro encontro em Berlim, nenhum outro palco seria melhor para esse reencontro do clássico mundial.

Invictus Gaming é a atual campeã mundial e defende sua coroa com garra

Esqueça a primeira etapa decepcionante da LPL. Esqueça que eles tiveram alguns momentos terríveis no segundo split. Esqueça que eles precisaram chegar aos cinco jogos na eliminatória regional chinesa para conquistar seu lugar no campeonato mundial.

A segunda partida da Invictus Gaming contra a Team Liquid estava programada para nos mostrar como os atuais campeões mundiais são bons - e eles fizeram exatamente isso. Os campeões da América do Norte começaram lutando rapidamente, como no MSI, mas, com isso, a iG evitou os déficits iniciais e revidou. Quando a Invictus Gaming mais precisou deles, seus heróis apareceram: os solo laners Kang "TheShy" Seung-lok e Song "Rookie" Eui-jin estavam lá para garantir que conquistariam a vitória.

O jogo de abertura do evento da Invictus Gaming foi uma vitória de cima a baixo sobre o ahq e destacou a maior força do iG: um grupo multifacetado com talvez os jogadores mais habilidosos no torneio.

Eles não estão de volta à forma na qual conquistaram a Summoner's Cup - o tempo dirá se a Invictus Gaming pode alcançar essa mesma forma com o novato Lu "Leyan" Jue - mas já é um começo. Os atuais campeões mundiais estão de olhos abertos e estão acordando de um sono de quase um ano.

G2 saúda a comunidade europeia com vitória sobre a Griffin

Nunca é uma coisa boa quando você perde o treinador que moldou um grupo jovem e cheio de nervos a apenas algumas semanas antes do campeonato mundial. Fica ainda pior quando a equipe que acabou de perder o seu mentor é jogada no ringue contra os favoritos do evento na frente de uma multidão voraz de Berlim que quer ver a G2 Esports causar estragos.

Este jogo foi como você esperaria de uma configuração como essa. A G2 garantiu uma vantagem inicial e nunca olhou para trás, com Griffin montando algumas jogadas sólidas, mas no geral tendo uma estreia plana no cenário internacional. Em particular, o suporte Son "Lehends" Si-woo parecida fora de sincronia ao jogar com seu Nautilus, se encontrando em maus lençóis em diversas vezes e sendo deletado múltiplas vezes no decorrer do jogo.

A Griffin vai precisar ser muito melhor do que apresentou até agora, caso queiram chegar nas quartas de final. Para a G2 e seus torcedores, foi um capítulo de estreia de um conto de fadas que talvez tenha seu último capítulo esperando por eles em Paris, na grande final.