<
>

'Se eu saísse depois do Major poderia ser que eu ficasse até o final do ano sem jogar'

play
Coldzera abre o coração sobre saída do MIBR: "Sinto que eles jogaram os fãs contra mim" (12:27)

Ao ESPN Esports Brasil, jogador falou sobre carreira e os momentos passados ao lado de FalleN e companhia (12:27)

A decisão de coldzera em deixar o MIBR pegou de surpresa toda a comunidade de Counter-Strike, no mês passado, ainda mais faltando poucas semanas para o início do segundo Major da temporada. No programa “Shot da Caju”, o jogador revelou que o medo em perder o restante da temporada por conta de negociações o levou a sair da equipe antes do StarLadder Berlim.

“A questão é que eu não ferrei o time. Minha briga judicial dentro do MIBR é muito grande. Meu contrato é muito grande. Para alguém me comprar, vai demorar muito. Se eu saísse depois do Major, poderia ser que eu ficasse até o final do ano sem jogar. Estou usando esse período para renegociar meu contrato. Tenho que ter uma decisão individualmente e tenho que tomar uma decisão profissionalmente porque, querendo ou não, minha carreira está em jogo”, explicou.

Coldzera apontou ainda que “o que me deixou chateado em 2019 foi que a gente estava trazendo tanto problema pessoal para dentro do time. Problemas que as pessoas traziam de fora para dentro do time. A gente não estava conseguindo solucionar os problemas de dentro e muito menos os de foras, e cada vez mais as pessoas traziam problemas de fora e isso acabou afetando o jogo de todo mundo. Querendo ou não, a gente estava indo bem, alguém trazia um problema e caíamos de novo”.

De acordo com o jogador, isso o começou a afetar dentro do jogo fora questões de “nervosismo, da galera não estar dando 110% e levando um pouco na coxa. Isso acabou me afetando um pouco dentro do jogo. Não adianta quatro das pessoas darem 110% e um sempre falhar. O jogo são cinco pessoas e todo mundo dos cinco estando bem para jogar. Quando a gente começou a falhar nesse quesito, de sempre uma pessoa falhar, começou a me afetar muito e comecei a broxar um pouco”.

Assim como na entrevista concedida ao ESPN Esports Brasil, cold reiterou que a decisão de sair partiu de si e que não foi “kickado” do time.

“Quando a gente começou a falhar, começou a afetar dentro de jogo e afetar um pouco meu desânimo. “Aí eu falei pra eles. Quando fizemos a reunião em Cologne, eles falaram ‘quem está feliz e quem não está. Quem não está, saia do time e quem está, fique’. Falei que não estava. Sinto que não ta dando mais cedo, não tem mais química e a galera não está mais na pegada. Tá tendo muita briga, muito problema pessoa que estão jogando para dentro e isso está afetando a gente”, afirmou.

DESEJO DE JOGAR PELO LIQUID

Se não fosse o poder de convencimento dos jogadores norte-americanos que vestiram a camisa do MIBR, coldzera poderia ter sido mais um brasileiro a ter representado o Team Liquid no Counter-Strike na última temporada. No programa “Shot da Caju”, o ex-melhor do mundo revelou que queria ter ido para a equipe americana e que isso não aconteceu por causa de Tarik e Stewie2k.

“Em 2018 eu tive a opção de sair do time. Eu não estava gostando de como as pessoas estavam lidando com a situação e eu queria sair. Queria ter ido para o Liquid na época e, principalmente, os americanos me convenceram [a ficar]. O Stewie2k me convenceu, ele conversou comigo: ‘a Cold, fica. Acho que o time vai dar certo com o Tarik’. Eu falei ‘tá bom, vou dar uma chance para vocês’”, afirmou coldzera.

A possível ida de cold para o Liquid chegou a ser noticiada na época pelo FlickShot, que alegou que problemas internos motivaram a decisão. Após muita especulação, pelo Twitter, o jogador afirmou que iria permanecer na equipe.

Assim como na entrevista concedida ao ESPN Esports Brasil, cold voltou a falar que foi contrário a saída dos norte-americanos para o retorno de uma formação totalmente brasileira. “Por mais que a gente não teve os resultados que esperávamos, estávamos evoluindo e ficando cada vez melhor. Quando quisemos trocar [a line] para brasileira de novo, não gostei da ideia porque eu achei que o time tava bom. Mas ao mesmo tempo eu queria o Taco no lugar do Tarik”, apontou.

MAGOADO

No “Shot da Caju” coldzera voltou a afirmar que está magoado com os integrantes do MIBR por conta do discurso feito pelos jogadores após ter saído: “A única coisa que fiquei chateado foi quando taco e felps decidiram sair do time, ninguém nunca farpou eles. Quando eu sai, a galera começou a me farpar muito. Não só os fãs, como os jogadores também.

Coldzera continua dizendo que os jogadores do MIBR “não são pessoas que postam toda vez e quando eu sai do time eles postaram bastante no estilo ‘'estamos muito felizes'. Deram uma entrevista dizendo que me tiraram do time e eles não me tiraram. Achei que foi muito baixo. Eu nunca fiz isso com ninguém. Eles sabem que me chatearam e eles continuam fazendo isso. Foi uma coisa que me deixou muito chateado, que eu não faria e eles fizeram, e vão pagar um preço por isso”.

Apesar do sentimento que carrega, coldzera não descarta a possibilidade de um dia jogar ao lado dos ex-companheiros: "Eu voltaria a jogar com eles. São bons jogadores. Todos me fizeram ser o que eu sou hoje, assim como eu também fiz. Pode ser que um dia eu volte a jogar com eles".