<
>

Stars foi a equipe que mais impressionou especialistas na primeira fase de Pro League de Free Fire

O cobiçado troféu da Pro League de Free Fire Quem levantará nesta temporada? BBL

Será neste fim de semana que o Brasil conhecerá o novo campeão nacional de Free Fire. Times que formaram o ‘Top3’ da última Pro League, Red Canids, INTZ e Vivo Keyd, são as favoritas ao título da segunda temporada na visão de Luiz Queiroga. O analista vê “essas equipes à frente pelo aspecto técnico”.

“São times superiores aos que jogaram a Pro League em termos gerais - e provaram isso na última temporada”, opina em entrevista ao ESPN Esports Brasil. Queiroga fala ainda que o “fator emocional” pode pesar para o trio “já que há muitas expectativas em cima desses times, porque na bala eles se sobressaem”.

Mas esses não são os únicos finalistas que chamam a atenção dos especialistas. Equipe que mais pontuou na primeira fase, Stars é uma das apostas de Felpy junto com Brabox e Ryze. “São equipes que sabem adaptar seus planos de jogo e tiram proveito de situações complicadas”, afirma o comentarista.

O especialista em Free Fire fala ainda sobre a New X, que “é dominante no início e vence batalhas com facilidade”.

VANTAGEM PARA KEYD, INTZ E RED?

Das 12 equipes que estarão em São Paulo disputando a fase final da Pro League, três não precisaram disputar a primeira parte da competição por terem terminado a primeira temporada nas três primeiras colocações: Red (ex-Tropca M3C), INTZ e Vivo Keyd (antigo GPS Veteranos).

Para Diego Hads “é relativo” dizer se essas três equipes possuem vantagem em relação as demais finalistas por não terem jogado a primeira fase da Pro League. “Depende muito de como se prepararam. Por um lado é bom porque não correm risco de perder pontos por uma possível queda de internet ou imprevistos com jogadores. Já por outro é ruim pois sempre é uma oportunidade de treinar mais, conhecer os adversários e se preparar da melhor maneira possível para as finais”.

Queiroga acredita que o fato possa favorecer o trio. “Tiveram mais tempo de preparação para ajudar as estratégias e procurar o melhor estilo de jogo. Então, é muito justo esperarmos um repertório tático dependendo do desenrolar de cada queda”, analisa.

O analista aponta ainda que com a não participação de Red, INTZ e Keyd “criou-se um mistério já que, exatamente por não jogarem a fase online, não há material recente para estudo”. Queiroga lembra que o Mundial “foi em abril e certamente o estilo de jogo de Keyd e RED já mudou. Não sabemos como Keyd, INTZ e RED reagiriam aos times participantes dessa temporada. Ou melhor… Os times participantes não sabem como Keyd, INTZ e RED reagiriam a eles”.

DESTAQUES DA PRIMEIRA FASE

Brabox Team, Ice Death, Lendários, Los Grandes, LOUD, New X, RyZe United, Stars e Warriors Line foram as melhores equipes da primeira fase.

Deste grupo, na opinião dos especialistas, Stars foi quem mais se destacou. A equipe, de acordo com Felpy, “mais uma vez foi dominante na Fase de Grupos”. O comentarista também fala que a “New X provou ser uma fortíssima candidata ao título e a Brabox Team cravou sua classificação e o primeiro lugar na última semana”.

Hads diz ter ficado “muito satisfeito com o nível das equipes” e também cita as participações de STARS e New X: “Na Fase de Grupos eles realmente apresentaram um jogo diferencial. Dou meu destaque para o EL Crazy da Stars e o Ubita da New X”.

Quem também falou sobre os jogadores já citados pelo comentarista foi Queiroga. Para o analista, “EL Crazy tem que chamar a responsabilidade por ser o principal nome do time. Também da STARS destaco o 01pires, que já havia dado muita bala na última season e que vem dando muita solidez para a equipe, além de ser o braço direito de EL Crezy”.

Já sobre o integrante da New X, Queiroga aponta que “ele já foi protagonista na última temporada quando defendia a Kingzone e agora se manteve como o principal destaque não só da equipe, mas do campeonato. É quem mais chamou abates: foram 28 na conta. Só EL CRAZY conseguiu esses números”.

O CENÁRIO

Free Fire é uma das modalidades que mais vem crescendo no Brasil. Para se ter uma ideia, na última edição da Pro League, as transmissões tiveram um pico de 250 mil espectadores. O País esteve presente na edição deste ano da Copa do Mundo com Red Canids e o antigo GPS Veteranos, que teve Kronos eleito o melhor jogador da competição.

De acordo com Hads, o “cenário vem crescendo muito, com cada vez mais pessoas se interessando em competir e isso está acontecendo muito rápido. Para Queiroga, o nível do competitivo brasileiro “vem aumentando” e a “própria temporada de agora da Pro League já evidencia como temos um cenário de muita qualidade. Os últimos classificados pegaram as vagas ao presencial nos detalhes, principalmente no grupo C”.

De acordo com o analista, por mais que o Brasil não tenha vencido a Copa do Mundo, “ter tido Kronos como o melhor jogador do torneio já é sintoma do que o nosso cenário pode oferecer em escala global”. Queiroga e Hads falam com confiança sobre o País se tornar campeão mundial no futuro.

“Vejo muito bem o próximo grande título mundial do Brasil nos e-sports na conta do Free Fire. Quem sabe... Potencial não falta. Não sei se estamos em pé de igualdade, mas já somos um cenário que deixa muita equipe estrangeira preocupada”, aponta o analista.

--

FINAIS DA SEGUNDA TEMPORADA

A segunda temporada da Pro League de Free Fire chega ao fim neste sábado (20), com 12 das melhores equipes do Brasil em São Paulo duelando entre si para ver quem ficará com a maior fatia dos R$ 35 mil em prêmios.

Campeã da última edição, a Red Canids entra na competição diretamente na fase final junto com INTZ e Vivo Keyd. Já Brabox Team, Ice Death, LENDÁRIOS, LOS GRANDES, LOUD, NEW X, RyZe United, STARS e Warriors LINE foram as melhores equipes da fase de pontos da segunda temporada.