<
>

Apostando no longo prazo, Furia anuncia equipe de Dota 2

Equipe de Dota 2 da Furia. Divulgação

Depois de Counter-Strike e PUBG, a Furia está se aventurando em outra modalidade: Dota 2. A organização anunciou nesta sexta-feira (28) a aquisição de uma equipe do MOBA da Valve formada pelos jogadores murd0c, RdO, mini-, hyko e Duster, e coordenada por Filipe Astini.

Segundo Jaime Pádua, CEO da organização, o objetivo do novo empreendimento é alcançar bons resultados no Dota 2 como tem feito no CS:GO. "O Brasil é um país com inúmeros talentos em todas as áreas e no Dota 2 não seria diferente. Acreditamos que com os jogadores e staffs corretos e investimento suficiente, podemos mais uma vez repetir a mesma trajetória que fizemos no CS:GO, e estamos extremamente animados com esse desafio", afirmou em comunicado oficial.

O CEO também comentou sobre a ajuda de Astini na formação e no gerenciamento da equipe: "Ele já possui uma ampla experiência na modalidade e é referência para muitos jogadores, fato que facilitou a escolha dos nomes e a atração de novos talentos".

Astini, por sua vez, revelou que foi a mentalidade da Furia em apostar a longo que o motivou a "abraçar o time". "O projeto que a FURIA tem no CS:GO sempre foi algo que chamou minha atenção e criei muita admiração pela organização", garante. "A ideia de promover uma estrutura de alto nível para apostar no longo prazo de jogadores novos e talentos está muito casada com o que sempre tentei fazer no Dota 2. Acredito que agora, com essa entrada na Furia, teremos os recursos para executar no Dota 2 o que eles provaram dar muito resultado no CS:GO".

Para a formação do time, Astini explica que optou "por jogadores novos e talentosos que ainda não tiveram muita oportunidade no cenário". "Dos nossos cinco jogadores, quatro ainda não tiveram a experiência de vivenciar uma GH, por exemplo, apesar de todos estarem no top 200 no ranking das Américas no Dota 2", nota. "Alguns deles já jogaram juntos em alguns 'mixes' no passado e tiveram bons resultados, o que facilita bastante no início do time, pois é complicado encontrar perfis que se completam dentro do jogo e que também tenham respeito e amizade fora do game, já que a convivência e pressão por resultados no Dota 2 é muito intensa".

Dentre os jogadores, o mais experiente é Duster. O suporte passou grande parte da temporada 2017-2018 do Dota Pro Circuit defendendo a paiN Gaming e fez conquistas importantes ao lado de Kingrd, Tavo, hFn e w33 - como o terceiro lugar do ESL One Birmingham e a vaga no The International 8. Após o TI8, no entanto, o jogador foi substituído pelo então técnico Misery, e na temporada de 2018-2019 não conseguiu se classificar para nenhum torneio do DPC. Este ano, Duster representou o Brasil na competição de Dota 2 da WESG em março, e se tornou "free agent" após a expiração de seu contrato com a paiN em abril.

Ao lado dos novos companheiros, Duster entrará em ação na próxima semana em busca de uma vaga no The International 9 pelas qualificatórias regionais. As qualificatórias abertas serão disputadas entre 3 a 7 de julho. Em seguida, os times disputarão uma única vaga por região entre 8 e 14 de julho.

Sobre o desafio, Astini afirma que o foco será a evolução dos jogadores como equipe e que grandes resultados não virão de forma fácil. "Temos os pés no chão em saber que será uma preparação para o nosso foco que está por vir, que serão os torneios do próximo Dota Pro Circuit (DPC), o circuito de acesso ao The International 2019-2020", crava.