<
>

Cloud9 entra no Mundial de LoL querendo quebrar tabu de não chegar nas semis

Com duas tacadas, cloud9 venceu Regional e tirou TSM do Mundial Riot Games

Sete vezes finalista da liga profissional norte-americana (LCS NA) de League of Legends, detentora de dois títulos e a representante da América do Norte que mais vezes chegou ao mata-mata do Campeonato Mundial. Esta é a cloud9 (c9), uma das adversárias da KaBuM na primeira rodada da Fase de Entrada na edição deste ano do maior e mais importante torneio da modalidade.

Você conhece essa equipe? Não? Fique tranquilo, pois o ESPN Esports Brasil preparou um super resumo com as principais informações sobre os adversários iniciais dos Alaranjados nessa primeira fase do Mundial.

OS PRIMEIROS PASSOS

A história da cloud9 no League of Legends começou em 2013, quando a organização adquiriu a ex-formação da Quantic Gaming, que, na época vinha, atuando sob o nome de Team NomNom. Mas os primeiros meses do clube na modalidade foram instáveis graças às idas e vindas do elenco.

A organização só conseguiu se estabelecer de verdade em maio daquele ano, na mesma época em que o cenário norte-americano era agitado pelas seletivas para a segunda etapa da LCS NA. A cloud9 conseguiu colocar o nome entre as participantes após, novamente, contratar os jogadores da Quantic - entre eles o atirador Zachary "Sneaky" Scuderi, que ainda defende o clube

Já na primeira participação na liga, a cloud9 conseguiu o primeiro título de expressão. Na segunda etapa da LCS NA 2013, a equipe fechou a Fase de Classificação vencendo 25 das 28 séries que disputou e levantou o troféu após desbancar a Team SoloMid (TSM) na grande final.

Daí em diante a equipe teve ascensão meteórica na modalidade e, em pouco tempo, a se tornou referência no cenário norte-americano. Em cinco anos competindo no League of Legends, o time conquistou ainda a segunda etapa da LCS NA 2013, novamente com triunfo sobre a TSM, e foi vice-campeão em outras cinco oportunidades, sendo a última para a Team Liquid, no dia 9 deste mês, valendo pela segunda etapa deste ano.

A cloud9 é ainda a maior vencedora das Finais Regionais da América do Norte, tendo conquistado as quatro edições já realizadas desde 2015.

RETROSPECTO NO MUNDIAL

Se por um lado a Team SoloMid é a equipe norte-americana com o melhor desempenho em Mundiais, dona de um terceiro lugar na edição de 2011, a cloud9 é a representante da região que mais vezes chegou à Fase de Eliminatória da principal competição da modalidade. Em cinco participações foram quatro idas às quartas de final.

A primeira vez que o nome da cloud9 apareceu entre as participantes do Campeonato Mundial de League of Legends foi em 2013, quando a equipe se classificou diretamente para o mata-mata por ter sido campeã da LCS NA. Mas a participação não durou muito tempo, já que o time perdeu para a fnatic nas quartas por 2 a 1. Desde então, a c9 nunca mais deixou de se classificar para o torneio.

A 5ª/8ª colocação obtida em 2013 foi o melhor resultado já conquistado pela cloud9 nos Mundiais. A equipe fez campanhas semelhantes em 2014, 2016 e 2017. Nesses anos, o time acabou sendo eliminado, respectivamente, pelas sul-coreanas Samsung Blue e Samsung Galaxy, e a chinesa World Elite. Já em 2015, a c9 não conseguiu passar da Fase de Grupos.

Curiosamente, nas últimas quatro vezes que a cloud9 se classificou para o Campeonato Mundial, a equipe garantiu vaga ao conquistar o título da Final Regional norte-americana, minitorneio criado para determinar o terceiro representante da região.

Assim como na edição passada, a cloud9 iniciará o Mundial 2018 pela Fase de Entrada. Coincidentemente, a equipe norte-americana está novamente no mesmo grupo da representante brasileira. Em 2017, o time enfrentou a Team oNe.

A TEMPORADA 2018

O ano começou com a cloud9 passando por profunda reformulação, assim como aconteceu com as demais equipes que conseguiram se tornar franquias na LCS NA.

Na primeira etapa a equipe fez campanha mediana: terminou a Fase de Classificação em quinto lugar, após vencer 11 das 18 séries que disputou e, na Fase Eliminatória, acabou caindo nas quartas de final para a Team Liquid.

A cloud9 voltou a se agigantar a partir da segunda etapa. Mais uma vez, a equipe fechou a temporada regular com 11 vitórias e sete derrotas, mas com um posicionamento melhor na tabela: a segunda colocação. No mata-mata o time chegou até a decisão, onde novamente foi superado pela Team Liquid.

As duas campanhas renderam a pontuação necessária para a equipe se classificar para a Regional Final. A cloud9 manteve a hegemonia no minitorneio batendo a TSM na grande final por 3 a 0.

O REENCONTRO COM A KABUM

Essa não será a primeira vez que a KaBuM enfrentará a cloud9 numa competição internacional. Em 2014, também pelo Campeonato Mundial, as duas equipes caíram no mesmo grupo. A brasileira, inclusive, foi primordial para a classificação da norte-americana por conta da vitória sobre a europeia Alliance - triunfo este que encheu os norte-americanos de confiança.

No confronto decisivo, valendo a vaga para a Fase Eliminatória, a cloud9 bateu a coreana NaJin Sword e os jogadores, antes de derrubarem o Nexus adversário, gritaram no microfone “This is for KaBuM” (“Isso é pela KaBuM”, em tradução livre) como forma de agradecimento.