<
>

Tour de Bruno: Vicari desafia o Tour de France em nova série da ESPN

play
Veja o trailer de 'Tour de Bruno: Desafiando a Grande Montanha' (2:13)

Com Bruno Vicari, a série especial de reportagens estreia nessa sexta-feira, dia 5 de julho, no WatchESPN (2:13)

Ele é o apresentador do programa “BB Debate” da ESPN Brasil, de segunda a sexta-feira, da 12h30 às 15h30, especializado em futebol.

Mas Bruno não é conhecedor apenas dos assuntos ligados ao mundo da bola, pelo contrário, é um amante dos esportes olímpicos e especialista em ciclismo. Uma paixão descoberta em uma viagem que o pai dele fez a trabalho à França, no mesmo período em que acontecia uma das etapas da mais famosa volta ciclística do planeta, o Tour de France.

Bruno lembra que estava em um hotel quando todos os hóspedes desceram de seus quartos para acompanhar os pelotões com os melhores ciclistas do mundo que passariam ali, a metros de seus olhos.

Daí para a frente, o jornalista nunca mais deixou de estudar as histórias que marcaram o evento, que completa 116 anos em 2019.

Tour de Bruno, Desafiando a Grande Montanha

A nova série de reportagens especiais da ESPN leva o nome do apresentador, que terá como o grande desafio se preparar, durante pouco mais de um mês, para pedalar um percurso de 131 km, atravessando três das mais duras montanhas já pedaladas pelos ciclistas profissionais do Tour de France.

A série de reportagens é dividida em 4 episódios, com duração aproximada de 15 minutos cada um. Nos capítulos estão distribuídas histórias fantásticas do mundo dos pedais.

Bruno vai pedalar com gente do ramo. Vai ouvir histórias da prova francesa e receber muitos conselhos de profissionais que conhecem o esporte como poucos. Batemos à porta de Ângelo Codicasa, um senhor de 83 anos que pedala até hoje, todos os dias. “Seo” Ângelo é um empresário aposentado que ajudou a patrocinar e a desenvolver uma das provas mais tradicionais do ciclismo brasileiro, a 9 de Julho.

O veterano ciclista contou histórias do início do esporte no Brasil, apresentou troféus, medalhas, malhas e recortes de jornais que mostraram que a modalidade já foi respeitada e promissora no Brasil.

Hoje, Ângelo lamenta o retrocesso do esporte que permanece nas mãos de dirigentes que não saem dos cargos e não ajudam a fomentar o esporte que ele tanto ama.

As pedaladas de Bruno se estenderam com treinos no Riacho Grande, em São Bernardo do Campo, onde centenas de atletas amadores e profissionais praticam o ciclismo e o triatlo também.

Subiu e desceu montanhas ao lado de uma equipe feminina, casca-grossa em provas de longa distância. Com a “LuluFive”, Bruno recebeu dicas e conselhos para realizar a prova nos alpes franceses com sucesso.

O alfaiate do ciclista

Quem ouve, logo de cara, pode até pensar que é bobagem, ou jogar dinheiro fora, mas não.

O Bike Fit é o alfaiate do ciclista e da bicicleta. O trabalho de avaliação do atleta e de seu equipamento de treino e competição já existem há mais de 25 anos em terras brasileiras e, como em todas as profissões, há uma grande evolução dessa área. Mas é bom deixar claro, é caro ser ciclista amador no Brasil, pois os preços das bikes vão de R$ 4 mil, para iniciantes, até R$ 70 mil, as mais sofisticadas, usadas por profissionais que, por exemplo, participam do Tour de France.

No estúdio de análise, o bike fitter tira todas as medidas do atleta e da bicicleta, abastecendo o computador de informações enquanto o ciclista pedala, parado, como se fosse num rolo, para que o programa de computador determine os parâmetros de acertos entre a máquina e o ser humano.

Bruno pedalou durante 30 minutos e recebeu a avaliação do bike fitter com as sugestões de ajustes, tanto na pedalada, quanto à postura, tamanho do banco, do guidão, selim, enfim, acertos que ajudam o praticante a pedalar melhor, com mais qualidade, segurança e saúde.

A paixão de pedalar na estrada e a linha fina entre a vida e a morte

Rafael Querino de Morais foi um triatleta, três vezes campeão brasileiro da modalidade na categoria júnior. Tinha um físico invejável para um cara que amava o esporte, particularmente o triatlo, que ele sonhava em se tornar profissional.

Formou-se em educação física. Ministrava aulas em uma das mais famosas redes de academias da capital paulista. Era personal trainer de vários artistas, entre elas, Denise Fraga.

Tinha 25 anos, havia se casado há três meses quando um trágico acidente na rodovia Anchieta o deixou na cadeira de rodas por toda a vida.

Um funcionário de uma oficina mecânica, embriagado, pegou um carro de um cliente e, depois de uma noite regada a bebidas, capotou uma Blazer em cima de onde Rafael pedalava.

No programa, você vai entender como o ciclista conseguiu sobreviveu e de onde ele tira forças para escrever um livro e promover palestras ligadas ao esporte de alto rendimento e a histórias de superação.

Os males do doping

A série especial de reportagens também vai abordar um assunto tabu: o doping no ciclismo profissional e amador.

O debate apresenta personagens como o médico Júlio César Alves que assumiu, no início dos anos 2000, ter preparado vários atletas olímpicos e de futebol com substâncias proibidas, ou seja, trabalhou durante anos o doping em atletas, para que eles tivessem desempenhos satisfatórios em seus esportes. Ouvimos ciclistas que assumiram o uso de doping em provas nacionais e falamos com especialistas que alertam sobre o uso de substâncias que podem causar danos irreversíveis aos usuários que querem, de qualquer jeito, chegar sempre à frente dos adversários, não importa como.

Abordaremos casos famosos, como o do supercampeão do Tour de France, Lance Armstrong, pego em um esquema gigantesco de doping no esporte, que culminou com a perda de seus sete títulos da competição, e falaremos muito sobre o passaporte biológico, onde o controle dos atletas é feito por intermédio de exames de sangue.

A voz do Tour de France

Quem acompanha o evento mais famoso do ciclismo desde 2010 sabe que a voz que conduz as etapas nos canais ESPN é de Ari Aguiar.

Para homenagear o narrador, o colocamos em cima de uma bicicleta, coisa que ele não fazia há 20 anos. O mineiro de Belo Horizonte fez uma redução de estômago onde perdeu aproximadamente 70 kg, pois chegou a pesar 160 kg. Ari sabe tudo do Tour. É um estudioso no assunto e, por isso, resolvemos colocar o desafio a ele nas redondezas do condomínio onde mora, distante 50 km da capital paulista.

Na série, você vai ver como foi o desempenho dele no pedal e conferir a narração exclusiva que ele fez para a participação de Bruno na etapa do Tour, a mais desafiadora da vida do jornalista.

Candidato a Rei da Montanha

O Tour de Bruno tem como a maior atração, no último capítulo, a saga do apresentador Bruno Vicari na prova mais difícil de toda a trajetória dele no esporte.

São 131 km em um percurso que marca a 20ª, ou seja, a penúltima etapa que definirá o grande vencedor do Tour de France de 2019. O problema não está na distância, mas sim na dificuldade de subir três montanhas em uma ascensão de 4.500 m.

Assista aos 4 capítulos da série e mergulhe nesse universo curioso e fascinante do ciclismo brasileiro e mundial.

Conheça as histórias de gente que leva a vida com o ciclismo, como o comentarista dos canais ESPN, Celso Anderson, que participou das gravações dando dicas importantes para que Bruno chegue bem ao desafio dos alpes franceses e que, principalmente, conclua a prova com segurança e saúde.

Quer pedalar e saber como um ser humano “comum” consegue ou não encarar uma das etapas mais difíceis da história do Tour de France?

Então, entre aqui no Watch ESPN e descubra, antes de todo mundo, as magias do mundo do ciclismo aqui e fora do país. Assista aos 4 episódios, a hora que quiser e quantas vezes preferir.